MAIS DO MESMO, SEIS POR MEIA DÚZIA

A Comunidade Médica de Língua Portuguesa (CMLP) defendeu hoje a mobilidade de médicos a nível da CPLP, sobretudo jovens para especialização e aperfeiçoamento, e exortou os líderes políticos a disponibilizarem financiamento. ara o presidente da assembleia da CMLP, José Manuel Pavão, a especialização é um estatuto que consagra ao médico o exercício de uma medicina e assistência de qualidade, com a devida responsabilidade jurídica, considerando ser “urgente” a mobilidade destes no espaço lusófono. Em Luanda, à margem de um encontro da CMLP, promovido pela Ordem dos Médicos de Angola, José…

Leia mais

MAIS HOSPITAIS SEM MÉDICOS? ASSIM NÃO!

No Dia do Médico Angolano, a ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta, anuncia a construção de mais unidades hospitalares em todo o país até 2027. Médicos respondem para lembrar que “construir unidades hospitalares sem apostar na formação de mais médicos de especialidade e na melhoria das condições salariais e de trabalho dos profissionais do sector, nunca se vai conseguir alcançar a melhoria da oferta de serviços de saúde a população ambicionado pelo Executivo”. Por Geraldo José Letras melhoria dos serviços de saúde prestados à população não passa unicamente pela construção de…

Leia mais

MÉDICOS E PROFESSORES NÃO PRECISAM DE SALÁRIOS?

Enquanto os médicos angolanos ameaçaram hoje paralisar os serviços, caso o Governo não esclareça até quinta-feira os motivos do atraso no pagamento do salário do mês de Maio, os professores também estão sem os salários de Maio e sem qualquer explicação do Governo. Quem se seguirá? egundo o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Médicos Angolanos (Sinmea), Pedro da Rosa, o Governo não informou a razão do atraso e, por isso, a classe “vai ter de reagir mesmo”. “Em alguns sectores, no meu hospital por exemplo, vai haver o abandono laboral,…

Leia mais

CERTIDÃO DE ÓBITO AO… GOVERNO!

Médicos angolanos consideraram hoje que o Governo do MPLA (há 47 anos no Poder) fez um grande investimento no sistema curativo e não apostou, nos últimos cinco anos, num verdadeiro sistema de saúde, como forma de justificar “gastos inconfessos” de milhões de dólares. Se o Executivo fosse um ser humano, os médicos estariam a passar-lhe um atestado de óbito. Como não é, a certidão é passada aos… angolanos. ste posicionamento do Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (Sinmea) consta da sua “visão sobre o estado da saúde em Angola”, apresentada…

Leia mais

DIA DO MÉDICO ANGOLANO (AGOSTINHO NETO?)

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, saudou, esta quinta-feira, em Luanda, a classe médica pelos sacrifícios que fez em prol de um melhor serviço a toda a população. Sob o lema ”Médicos unidos, confiantes, usar vidas para salvar vidas”, assinalou-se hoje, o Dia do Médico Angolano. Não seria de acrescentar que este dia é em honra de… Agostinho Neto? governante, no seu pronunciamento em alusão à efeméride, realçou que neste dia de reflexão o sistema nacional de saúde continuará apostar na classe de profissionais para manter a resiliência do sector…

Leia mais

VISITAR OS DE ANGOLA, TRATAR-SE NOS DA EUROPA OU EUA

Os médicos angolanos suspenderam, por um mês, a greve que durava desde 21 de Março, devido à elevada mortalidade registada nos hospitais e acusam o Governo de ter iniciado “uma caça às bruxas”. Se, ao menos, os membros do Governo/MPLA tivesse de ir, quando estão doentes, aos mesmos hospitais a que recorrem os angolanos… O presidente do Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (Sinmea), Adriano Manuel, diz que a decisão de interromper a greve, entre os dias 25 de Abril e 27 de Maio, foi tomada na assembleia-geral. “Temos vindo…

Leia mais

MÉDICOS UNIDOS PELA (NOSSA) SAÚDE

Médicos angolanos, em greve desde 21 de Março, saíram hoje às ruas de Luanda, para manifestarem a sua insatisfação devido ao posicionamento do Governo no decurso das negociações. Posição que, aliás, está no ADN do MPLA: A razão da força, custe o que custar. Em duas horas, os médicos percorrem algumas ruas da capital, até à Ordem dos Médicos de Angola, onde reiteraram o compromisso de realizarem manifestações, todos os sábados, até que as suas exigências sejam atendidas pela entidade patronal. Em declarações à Lusa, a vice-presidente do Sindicato Nacional…

Leia mais

GOVERNO RESPONDE AOS MÉDICOS COM A RAZÃO DA FORÇA

O Sindicato Nacional dos Médicos (Sinmea) angolano reiterou a manutenção da greve, que decorre desde 21 de Março, e várias manifestações para os próximos tempos, a primeira programada para sábado. À sua força da razão, o Governo responde com a razão da força. Em conferência de imprensa, a Direcção do sindicato denunciou que estão a ser alvo de ameaças do Governo pela realização da greve, que reivindica melhores condições de trabalho e melhoria salarial e social para a classe. O secretário-geral do Sinmea, Pedro da Rosa, sublinhou que “foi com…

Leia mais

HOSPITAIS SEM CAPACIDADE DE RESPOSTA

Pacientes e familiares queixaram-se hoje da morosidade no atendimento e das condições de acomodação dos hospitais públicos de Luanda, onde o número de doentes nas urgências duplicou no primeiro dia de greve dos médicos “por tempo indeterminado”. A necessidade da melhoria dos serviços ambulatórios foi apontada como uma das dificuldades de quem acorre aos serviços de urgência das unidades hospitalares da capital angolana, sobretudo quando estes registam uma procura considerável, como constatou a Lusa numa ronda pelos principais hospitais de Luanda. Com os médicos em greve a partir das primeiras…

Leia mais

SERVIÇOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS EM ESTADO DE COMA

Os médicos angolanos vão voltar a paralisar a partir de segunda-feira, por tempo indeterminado, funcionando apenas com 25% da força de trabalho para assegurar os serviços mínimos, anunciou o Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (SINMEA). Segundo a declaração de greve aprovada no sábado em assembleia-geral, a paralisação é extensiva a todas as unidades sanitárias, a partir das 8:00 do dia 21 de Março de 2022, por tempo indeterminado. Enquanto durar a greve, ficam suspensos os trabalhos nas enfermarias, seminários, internatos de especialidade, admissão e alta de pacientes, assim como…

Leia mais