VISITAR OS DE ANGOLA, TRATAR-SE NOS DA EUROPA OU EUA

Os médicos angolanos suspenderam, por um mês, a greve que durava desde 21 de Março, devido à elevada mortalidade registada nos hospitais e acusam o Governo de ter iniciado “uma caça às bruxas”. Se, ao menos, os membros do Governo/MPLA tivesse de ir, quando estão doentes, aos mesmos hospitais a que recorrem os angolanos… O presidente do Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (Sinmea), Adriano Manuel, diz que a decisão de interromper a greve, entre os dias 25 de Abril e 27 de Maio, foi tomada na assembleia-geral. “Temos vindo…

Leia mais

MÉDICOS UNIDOS PELA (NOSSA) SAÚDE

Médicos angolanos, em greve desde 21 de Março, saíram hoje às ruas de Luanda, para manifestarem a sua insatisfação devido ao posicionamento do Governo no decurso das negociações. Posição que, aliás, está no ADN do MPLA: A razão da força, custe o que custar. Em duas horas, os médicos percorrem algumas ruas da capital, até à Ordem dos Médicos de Angola, onde reiteraram o compromisso de realizarem manifestações, todos os sábados, até que as suas exigências sejam atendidas pela entidade patronal. Em declarações à Lusa, a vice-presidente do Sindicato Nacional…

Leia mais

GOVERNO RESPONDE AOS MÉDICOS COM A RAZÃO DA FORÇA

O Sindicato Nacional dos Médicos (Sinmea) angolano reiterou a manutenção da greve, que decorre desde 21 de Março, e várias manifestações para os próximos tempos, a primeira programada para sábado. À sua força da razão, o Governo responde com a razão da força. Em conferência de imprensa, a Direcção do sindicato denunciou que estão a ser alvo de ameaças do Governo pela realização da greve, que reivindica melhores condições de trabalho e melhoria salarial e social para a classe. O secretário-geral do Sinmea, Pedro da Rosa, sublinhou que “foi com…

Leia mais

HOSPITAIS SEM CAPACIDADE DE RESPOSTA

Pacientes e familiares queixaram-se hoje da morosidade no atendimento e das condições de acomodação dos hospitais públicos de Luanda, onde o número de doentes nas urgências duplicou no primeiro dia de greve dos médicos “por tempo indeterminado”. A necessidade da melhoria dos serviços ambulatórios foi apontada como uma das dificuldades de quem acorre aos serviços de urgência das unidades hospitalares da capital angolana, sobretudo quando estes registam uma procura considerável, como constatou a Lusa numa ronda pelos principais hospitais de Luanda. Com os médicos em greve a partir das primeiras…

Leia mais

SERVIÇOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS EM ESTADO DE COMA

Os médicos angolanos vão voltar a paralisar a partir de segunda-feira, por tempo indeterminado, funcionando apenas com 25% da força de trabalho para assegurar os serviços mínimos, anunciou o Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (SINMEA). Segundo a declaração de greve aprovada no sábado em assembleia-geral, a paralisação é extensiva a todas as unidades sanitárias, a partir das 8:00 do dia 21 de Março de 2022, por tempo indeterminado. Enquanto durar a greve, ficam suspensos os trabalhos nas enfermarias, seminários, internatos de especialidade, admissão e alta de pacientes, assim como…

Leia mais

25% SIGNIFICA 25 EM 100. OBRIGADO SR.ª MINISTRA!

A ministra da Saúde angolana, Sílvia Lutucuta, manifestou-se hoje preocupada com o resultado da testagem em massa à Covid-19, em curso na província de Luanda, que aponta para a infecção de 25 pessoas em cada 100 indivíduos. Isto numa altura em que o Presidente João Lourenço autorizou admissão excepcional de 7.350 profissionais de saúde. Sílvia Lutucuta falava no mercado do quilómetro 30, município de Viana, onde se regista pelo segundo dia uma testagem massiva de cidadãos para aferir a real situação da pandemia no país, caracterizada desde 15 de Dezembro…

Leia mais

MÉDICOS SUSPENDEM GREVE

A greve cumprida há mais de uma semana pelos médicos angolanos foi hoje suspensa, depois de um acordo com o Ministério da Saúde de Angola, revelou o sindicato destes profissionais, esclarecendo que segunda-feira os médicos regressam ao trabalho. Segundo o presidente do Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (Sinmea), Adriano Manuel, foi dado o prazo de 90 dias para a entidade patronal responder aos pontos que constam do caderno reivindicativo, entre os quais a questão dos aumentos salariais. Relativamente à sua recolocação laboral e à nulidade do seu processo disciplinar,…

Leia mais

A INCOMPETÊNCIA É SEMPRE RELATIVA

A Assembleia Nacional de Angola (do MPLA) aprovou hoje, na globalidade, o Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2022, com votos favoráveis somente do partido no poder há 46 anos, e críticas generalizadas da oposição, que apontam “vícios do passado”. Entretanto, o Bureau Político do MPLA aprovou o regulamento do Conselho de Honra do MPLA, novo órgão do partido, onde terá lugar José Eduardo dos Santos, e a greve dos médicos angolanos já dura há uma semana. A proposta de Lei do OGE 2022 foi hoje aprovada com 135 votos…

Leia mais

MÉDICOS SÃO CRIMINOSOS? GOVERNO INSINUA QUE SIM

O Ministério da Saúde de Angola manifestou-se surpreso com a greve por tempo indeterminado dos médicos, que hoje cumpre o seu segundo dia, apelando aos profissionais que regressem ao trabalho, porque a maioria das reivindicações estão atendidas. Por outras palavras, os médicos ou são marimbondos ou… “criminosos”. Não está mal. A posição foi expressa pelo secretário de Estado para a Área Hospitalar, Leonardo Europeu, que tem negociado com o Sindicato Nacional dos Médicos de Angola. Segundo Leonardo Europeu, o caderno reivindicativo apresentado em Setembro pelo sindicato, “mereceu uma resposta em…

Leia mais

DEMITA-SE SENHORA MINISTRA!

O presidente do Sindicato Nacional dos Médicos de Angola, Adriano Manuel, disse que a greve que hoje se iniciou, por tempo indeterminado, registou um nível de adesão “altamente surpreendente” no seu primeiro dia, superior a 95%. Do ponto de vista, estratégico, do MPLA a ordem superior é: Os angolanos devem viver sem comer e morrer sem ficar doentes. Simples! “Nós mesmos não contávamos com a adesão de toda a classe médica angolana, o nível de adesão é acima dos 95%, de uma forma geral, e isso para nós é muito…

Leia mais