A malária é doença de pobres

Angola registou, entre Janeiro e Maio de 2021, 3.799.458 casos de malária e 5.573 óbitos, representando um acréscimo de casos, mas uma redução de mortes face ao período homólogo, segundo a ministra da Saúde angolana. Enquanto a malária não entrar nos “bunkers” dos donos do reino, continuará a ter livre trânsito para matar os pobres. Sílvia Lutucuta apresentou hoje os dados numa conferência de imprensa em Luanda, notando que a malária tem sofrido um ligeiro (segundo os dados oficiais que, contudo, estão muito longe da realidade) incremento no número de…

Leia mais

Ricos dos países “pobres” rezam na Catedral de Notre-Dame

O Presidente da República de França reúne-se esta terça-feira em Paris com dezenas de líderes africanos para debater o relançamento do crescimento, apostando no envolvimento dos parceiros internacionais e na criação de um pacote de “apoio massivo” às economias. “A cimeira pretende aprofundar duas linhas de ajuda: a criação de um pacote massivo de apoio para o continente africano, para superar o choque da pandemia e, por outro lado, lançar as bases para um novo ciclo de crescimento que beneficiará os povos africanos, mas que pode ser também um motor…

Leia mais

Manter o Povo no sofrimento é a estratégia

Quem ficou rico através da corrupção não deve usar a palavra meritocracia. A celebração e a exaltação da corrupção em Angola como se fosse uma qualificação é um insulto contra todos trabalhadores honestos que, de forma heróica, enfrentam dificuldades no seu quotidiano. Por Malundo Kudiqueba (*) Quem reclama por um pedaço de pão não deve ser considerado extremista. Extremismo e radicalismo é demolir casas de pobres sem nenhuma justificação ou indemnização. Não devemos punir ou castigar aquelas pessoas que ainda têm o fôlego de gritar em voz alta: “Estamos com…

Leia mais

Basta repristinar Savimbi

A UNITA propôs hoje a “criação de uma frente patriótica para alternância do poder”, por forma a “salvar” Angola de uma “ditadura democrática”, quando se assinala o 19º aniversário da morte do seu fundador, Jonas Malheiro Savimbi. É “imperiosa a criação de uma frente patriótica para alternância do poder, com o fito de se salvar o país, amordaçado pela ditadura democrática”, afirma o Comité Permanente da Comissão Política da UNITA, o principal partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista (não se sabe se por muito tempo) em…

Leia mais

Mas, afinal, existem pobres em Angola?

Num artigo publicado no “Vatican News”, lê-se que “o foco no pobre permanece uma prioridade da igreja, disse nesta segunda – feira (21/12) o arcebispo de Luanda e presidente da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), D. Filomeno do Nascimento Viera Dias, no acto de cumprimentos de Natal e ano novo”. “O foco no pobre permanece uma prioridade, devemos pensar juntos o que podemos fazer por eles, de forma organizada, sistematizada e programada, cada um pense qual o lugar do pobre na sua vida e no seu carisma…

Leia mais

Boas Festas, Presidente!

Não fosse, mas afinal é, o triste facto de 45 anos depois o nosso povo continuar a passar fome, continuar a ser gerado com fome, continuar a nascer com fome e a morrer pouco depois com fome… se calhar o Natal faria algum sentido. No entanto, os que têm, pelo menos, três refeições por dia vão ter, certamente, um bom Natal. Quanto aos milhões que nem um prato de pirão têm, para esses haverá mais do mesmo em 2021. Boas Festas Presidente João Lourenço. O Presidente da República, João Lourenço,…

Leia mais

Se os porcos comem farelo e não morrem…

O Governo do MPLA, o único que Angola conheceu desde a independência, em 1975, assinala os 45 anos de independência a partir de terça-feira, com homenagens e inaugurações, entre as quais a do Hotel Intercontinental, nacionalizado no mês passado. No dia 11, quarta-feira, data em que se celebram os 45 anos da “Dipanda”, as cerimónias começam às 07h00 com o içar da bandeira no Museu Central das Forças Armadas Angolanas, seguindo-se às 09h00, a deposição de uma coroa de flores no memorial António Agostinho Neto, primeiro presidente de Angola, o…

Leia mais

+ R + P = MPLA

A analista de assuntos económicos com o pelouro de África nas Nações Unidas, Helena Afonso, afirma que a ONU prevê uma recessão de 1,8% em Angola este ano, antecipando uma recuperação de 1,5% em 2021. Em 2021 voltar-se-á a falar de recessão. É a vantagem das previsões. Dão para tudo. Em entrevista à Lusa a partir de Nova Iorque, a sede das Nações Unidas, Helena Afonso disse que prevê “que Angola continue numa recessão grave e prolongada, com um crescimento de -1,8% em 2020 devido ao colapso do petróleo, menor…

Leia mais

Satélites, ricos e remédios

A ministra angolana da Saúde, Sílvia Lutucuta, manifestou hoje a intenção de retomar a produção de medicamentos, sobretudo os de primeira necessidade, sublinhando que há “capital humano angolano na área farmacêutica”. O país não consegue produzir comida para alimentar os seus 20 milhões de pobres mas, é claro, pode e consegue produzir medicamentos, satélites e… ricos. A ministra, que respondia às perguntas dos jornalistas numa conferência de imprensa em Luanda, onde apresentou o mais recente balanço epidemiológico da Covid-19, afirmou que Angola quer retomar a produção de medicamentos. “Não estamos…

Leia mais

Fome, Covid-19, Malária, morte ou… AK-47?

O analista que segue as economias africanas na consultora Capital Economics considera que Angola pode ser um dos países mais beneficiados com o alívio de dívida, que pode chegar a 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB). A Covid-19 abriu a caixa de Pandora e os pobres podem ter de escolher entre morrer à fome ou pela doença, diz o reitor da Universidade de Moçambique (UDM), Severino Ngoenha. “É difícil ter números actualizados sobre os pagamentos de dívida divididos por credor, mas os números de 2018 dão uma boa indicação, e…

Leia mais