SÓ IMPORTA COMO FORAM CONTADOS OS VOTOS

O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, felicitou hoje o Presidente do MPLA, João Lourenço, pela reeleição, comprometendo-se a reforçar a “relação vital” entre os dois países. Margaret Thatcher (primeira-ministra do Reino Unido de 1979 a 1990 ) proibiu em 1979 o seu enviado especial à então Rodésia de se encontrar com Robert Mugabe. O argumento era o de que “não se discute com terroristas antes de serem primeiros-ministros”… Numa nota a propósito das eleições (não presidenciais mas legislativas) em Angola, que se realizaram a 24 de Agosto e deram…

Leia mais

O (CRA)VINHO DOS DITADORES… BONS

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, João Gomes Cravinho, ex-ministro da Defesa, inimigo assumido da UNITA (disse que Jonas Savimbi era um Hitler africano), vê na próxima reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Luanda, uma oportunidade de partilhar, “num clima de confiança”, diferentes visões sobre a guerra na Ucrânia. Em declarações à Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE) luso manifestou expectativas positivas para a XXVII Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP: “Vai ser muito útil porque eu vou poder explicar a visão portuguesa…

Leia mais

COMO QUEM MORRE É O POVO…

O chefe da diplomacia angolana, Téte António, entregou uma mensagem do Presidente de Angola, João Lourenço, ao seu homólogo da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang Mbasogo, em que expressa a importância equato-guineense na região do golfo da Guiné. Segundo um comunicado oficial, que cita declarações de Téte António à imprensa no final do encontro, Angola considera a Guiné Equatorial “um motor importante na região e no continente africano e, ao mesmo tempo, também é uma oportunidade para trocar impressões com o [Presidente] Obianga Nguema Mbasogo sobre questões regionais, uma vez que…

Leia mais

DITADORES DE BARRIGA CHEIA

Se é normal, embora hipócrita, que as democracias se entendam bem com as ditaduras que lhes interessam, mais normal é o entendimento entre ditaduras. Não admira, por isso, que Kim Jong-un, Teodoro Obiang ou Vladimir Putin sejam íntimos de João Lourenço. É bom que os angolanos (a comunidade internacional passou uma esponja no assunto) saibam que a ditadura de Pyongyang tem relações históricas com a sua congénere de Luanda. Para além dos laços históricos, nascidos na década de 70 com o apoio militar norte-coreano às FAPLA, é certo que Angola…

Leia mais

A ignorância é uma arma

Como se não lhes bastasse o controlo hegemónico das salas de aula, programas como o Fórum TSF, Antena Aberta ou Opinião Pública permitem ver como a brigada fundamentalista toma de assalto o pluralismo. Por Gabriel Mithá Ribeiro (*) O ser humano é indissociável da condição pensante quer enquanto indivíduo, quer enquanto colectivo. Significa que as sociedades apenas existem enquanto tal se produzirem um pensamento colectivo (ou social) autónomo não apenas em relação ao pensamento individual (ou intelectual), mas também em relação ao pensamento de outras sociedades. Serge Moscovici – psicólogo…

Leia mais

“Deus” e o rei jacaré (vegetariano)

José Eduardo dos Santos foi o “escolhido de Deus”, se bem que muitos ainda pensem que ele próprio era o deus. E foi ele, numa dessas duas qualidades, quem escolheu João Lourenço para o substituir e que, imediatamente, o apunhalou pelas costas (a prova provada que “deus” também se engana). Passamos assim a ter uma simbiose de Kim Jong-un e Teodoro Obiang. Por Orlando Castro Assegurada que estava (que estará sempre) a esmagadora vitória do MPLA nas eleições, o Folha 8 mantém firme a sua campanha mundial para que João…

Leia mais

Angola na sombra do perpétuo ditador

Tragicamente, a roda da história em Angola continua a ser empurrada numa direcção que não me inspira um só sentimento de tranquilidade. Os sinais que se me deparam, em vez de me permitirem descortinar um futuro de esperança, aparecem-me carregados de maus pressentimentos. Por Carlos Pacheco Historiador angolano (*) As décadas correspondentes à era José Eduardo dos Santos foram décadas inquietantes pelos piores males que se abateram sobre o país, especialmente o cerceamento das liberdades, a corrupção e a impunidade total dos seus dirigentes. Anteriormente Angola vivera quatro anos de…

Leia mais

Cabeças de pedra rolando na lama

Três dos meus amigos perderam os pais em 1977, em Angola, fuzilados na sequência de uma nunca provada tentativa de golpe de Estado contra o então Presidente da República, António Agostinho Neto. Num discurso famoso, Neto disse que não iria perder tempo com julgamentos, incitando ao assassinato de todos aqueles que contestassem a sua liderança. Perto de cinquenta mil pessoas foram presas, torturadas e mortas durante esse período de desvairado ódio institucional. Por José Eduardo Agualusa (*) Há poucos dias, o jornalista angolano Wiliam Tonet provocou acesa polémica no país…

Leia mais

A tragicomédia emepeliana

A tragicomédia “emepeliana” não irá tão rapidamente chegar ao seu epílogo. A bazófia demagógica encontra bastante dificuldade em modernizar-se, em ser mais construtiva e eficiente na concretização de resultados mais moralizadores para o combate à injustiça social, que o MPLA implantou e espalhou pelo país inteiro. As promessas falaciosas das últimas quase cinco décadas continuam a ser recicladas para “perfumar” os discursos oficiais, narcisistas, matumbos e estéreis. Por Domingos Kambunji A comunicação social oficial, contratada e assimilada pelo MPLA, não se cansa de repetir o que já foi dito anteriormente,…

Leia mais

MPLA está com Maduro

Angola “não tem razões para deixar de reconhecer o Governo” da Venezuela, pois é “legítimo e eleito”, disse esta segunda-feira o chefe da diplomacia angolana, Manuel Augusto, que defendeu o diálogo como a única solução para a crise naquele país. O Partido Comunista Português (PCP), por exemplo, diz a mesma coisa. Quem sai aos seus… “O bviamente que o Estado angolano não tem razões para deixar de reconhecer o Governo da Venezuela. É um governo legítimo e eleito e é com ele que temos relações diplomáticas. No que diz respeito…

Leia mais