“Fake News”

A expressão “Fake News” não foi inventada por Donald Trump mas foi e continua a ser muito usada por Trump para tentar camuflar os seus cambalachos e vigarices muitíssimo evidentes. O uso abusivo dessa expressão motivou muitos ditadores em todo o mundo, incluindo na Re(i)pública da Angola do MPLA, a copiar Trump, usando essa expressão, com demasiada frequência, na tentativa de acusar instituições e pessoas ligadas à comunicação social de distorcerem a verdade, para poderem continuar como ditadores, déspotas, corruptos, sanguinários, manipuladores retrógrados de mentalidades e matumbos. Por Domingos Kambunji…

Leia mais

Alucinações e paranóias

Torna-se cómica, demasiado cómica, a esquizofrenia demonstrada por um dos apêndices do departamento de propaganda do MPLA, o jornal da Angola do MPLA, em relação às “Fake News” (notícias falsas). Só encontramos uma explicação para esse facto, o jornal da Angola do MPLA não gosta de sentir concorrência na publicação de “Fake News” e pretende continuar dominador no mercado das alucinações, paranóias, futilidades, sofismas e falácias. Por Domingos Kambunji Um dos objectivos na gestão de empresas, na conquista de mercados, é tentar eliminar os concorrentes mais directos para tentar exercer…

Leia mais

Fake News

Não compreendo a razão pela qual as pessoas dão tanta importância às “fake news”, sobretudo as que circulam nos esgotos imundos e profundos das redes sociais, nas revistas cor-de-rosa e nas gazetas de natureza mais tablóide. Por Brandão de Pinho Verdadeiramente um cidadão leitor deveria saber que uma noticia só é fidedigna se confirmada pelos seus órgãos de comunicação social de referência, devendo ter uma atitude o mais céptica possível e na razão directa da confiabilidade do órgão do qual bebe a informação, não esquecendo de lhe dar os devidos…

Leia mais

As “fake news” só o são se não agradarem ao Poder

Órgãos de comunicação social angolanos consideraram que, “apesar de incontornáveis”, as falsas notícias, podem ser “acauteladas”, defendendo a “verificação e fundamentação contínua” das notícias que circulam, sobretudo nas redes sociais, antes da sua publicação. Recordemos o ponto 6 do Código Ético e Deontológico dos Jornalistas do Folha 8: «O Jornalista do Folha 8 assume sempre a responsabilidade por todos os seus trabalhos e actos profissionais, e deve ser rápido na rectificação das informações que se revelem inexactas ou falsas.» Segundo a directora adjunta de informação da Televisão Pública de Angola…

Leia mais

Higienizar e desparasitar “fake” jornalistas do MPLA

O jornal da Angola do MPLA não pára de nos surpreender com actividades e afirmações cómicas, daquela comédia barata, tipo “fast food” para as mentalidades que não estão vacinadas contra o perigoso vírus da demagogia. Por Domingos Kambunji Ontem dizia que que “o carnaval tem maior força cultural em Luanda”. E nós acrescentámos “durante todo o ano”, para essa afirmação ficar mais completa. Hoje surge com a opinião de que “é hora de começar o processo de higienização do jornalismo em Angola”. Esta afirmação foi publicada num país em que…

Leia mais

Propaganda política
de Hitler e “fake news”

Depois de Trump, nos Estados Unidos da América, ter ganhado a eleição presidencial à democrata Hillary Clinton num pleito eivado de “fake news”, e como se não bastasse essa vitória para nos apercebermos do impacto desta táctica propagandística numa democracia, eis que no Brasil um descarado racista e homofóbico chega à presidência fazendo propaganda falsa mas com maior agressividade. Por Sedrick de Carvalho O movimento mundial de levar ao poder indivíduos da extrema-direita elegeu a propaganda falsa como forma de atingir os seus objectivos sem escrúpulos, como ocorre sucessivamente na…

Leia mais