Quem não defeca na entrada, defeca na saída

A actual tentativa por parte do Bureau Político do MPLA (BP do MPLA) em criar folclore à volta de um comentário que o Folha 8 colocou na sua página do Facebook, se não tivesse por detrás uma questão demasiado séria, dava um bom tema para o anedotário nacional. Por Carlos Pinho (*) Com efeito, é por demais conhecido por todos e tratado até à exaustão por diversos historiadores, o facto de que o Primeiro Presidente de Angola ter sido um grandessíssimo patife, ombreando com figuras que são a vergonha da…

Leia mais

FLUP é sucursal do MPLA?
Só fica a faltar… Hitler!

Maria Eugénia Neto, presidente da Fundação António Agostinho Neto (FAAN), assinou ontem, dia 10 de Setembro, com a FLUP – Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal), um protocolo que cria a Cátedra Agostinho Neto nesta instituição de ensino superior. Assim a FLUP dá mais um passo no branqueamento da imagem daquele que foi o genocida responsável pelos massacres de milhares de angolanos no 27 de Maio de 1977. Só fica a faltar… Adolf Hitler. Por Norberto Hossi O acto representou uma homenagem da Universidade do Porto ao 40º…

Leia mais

O (cra)vinho de Hitler

João Gomes Cravinho, ministro português da Defesa e “militante” honorário do MPLA, é um perito de longa tradição socialista e certamente merecedor de um doutoramento “honoris causa” pelo MPLA. Por alguma razão este figurão comparou, em Novembro de 2005, em entrevista ao Expresso, Jonas Savimbi (que tinha morrido três anos antes) a Hitler. Por Orlando Castro Em tempos, a Comissão de Negócios Estrangeiros do Parlamento português quis ouvir o então secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação (João Gomes Cravinho) sobre a situação na Guiné-Bissau. Na altura, o…

Leia mais

MPLA no seu melhor: “Nós mentimos, logo existimos”

Para alguns, os “mais velhos” ou “kotas”, o memorial à derrota que o MPLA chama de vitória, na batalha do Cuíto Cuanavale, sudeste de Angola, não faz jus à História do país, porque conta apenas a versão de um dos lados, por sinal a de quem está no poder desde 1975 e que tem no seu historial vários massacres de angolanos, sendo o mais expressivo o do 27 de Maio de 1977. Para outros, mais novos, a interiorização de uma só versão – a do Governo/MPLA – é já um…

Leia mais

Propaganda política
de Hitler e “fake news”

Depois de Trump, nos Estados Unidos da América, ter ganhado a eleição presidencial à democrata Hillary Clinton num pleito eivado de “fake news”, e como se não bastasse essa vitória para nos apercebermos do impacto desta táctica propagandística numa democracia, eis que no Brasil um descarado racista e homofóbico chega à presidência fazendo propaganda falsa mas com maior agressividade. Por Sedrick de Carvalho O movimento mundial de levar ao poder indivíduos da extrema-direita elegeu a propaganda falsa como forma de atingir os seus objectivos sem escrúpulos, como ocorre sucessivamente na…

Leia mais

Um canalha à porta do Planalto

Equiparar Haddad a Bolsonaro constitui um acto moral e politicamente inqualificável. Quem o faz torna-se cúmplice de Bolsonaro, da sua vertigem proto-fascista, da sua propensão para o culto da violência. . É por isso que não pode haver hesitações neste momento da história do Brasil e, de uma certa maneira, da própria história da Humanidade. Por Francisco Assis (*) 1. Carlos Alberto Brilhante Ustra foi um dos maiores, senão mesmo o maior torcionário, no tempo da ditadura militar que vigorou no Brasil entre 1964 e 1985. Em 2008 foi o…

Leia mais

Cravinho à medida do MPLA

João Gomes Cravinho é o novo ministro português da Defesa, em substituição de José Azeredo Lopes. Trata-se de um perito de longa tradição socialista e certamente merecedor de um doutoramento “honoris causa” pelo MPLA. Por alguma razão este figurão comparou, em Novembro de 2005, em entrevista ao Expresso, Jonas Savimbi (que tinha morrido três anos antes) a Hitler. Em tempos, a Comissão de Negócios Estrangeiros do Parlamento português quis ouvir o então secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação (João Gomes Cravinho) sobre a situação na Guiné-Bissau. Na…

Leia mais

Muda o “querido líder” mas
o culto ao chefe continua!

A expressão “culto à personalidade” foi usado pela primeira vez em 1956 por Nikita Khrushchov durante o XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética. Continua, contudo, a ter férreos seguidores um pouco porto o lado. Da Coreia do Norte à Guiné Equatorial, sem esquecer a Angola do… MPLA. E viva (pois claro!) João Lourenço que até vai falar, em Nova Iorque, na 73ª Sessão da Assembleia-Geral das Nações Unidas, com o trunfo de até um dos seus ex-ministro (Augusto da Silva Tomás) ter sido preso… Khrushchov assumiu o posto…

Leia mais

Amo-te (muito) pela frente,
e assassino-te pelas costas

O vice-presidente do MPLA, João Lourenço, refutou hoje a ideia de que existe divisão no seio do partido no poder em Angola desde a independência entre “supostos eduardistas e lourencistas”, garantindo que existem apenas militantes do MPLA. Enquanto isso, uns e outros contam as armas e preparam estratégias. João Lourenço, igualmente chefe de Estado de Angola por obra e graça (para além de muita batota) de José Eduardo dos Santos, discursava na abertura hoje da II reunião Metodológica Nacional sobre a Organização do Trabalho do Partido. O dirigente do MPLA…

Leia mais

Em honra do “herói” do MPLA

Alguém disse que quem está sempre a falar do passado deve perder um olho. Será esse o destino de quem, como eu, como nós aqui no Folha 8, não se cansa de falar de um passado de Angola que nesta circunstância, tem 40 anos e carrega o massacre de muitos milhares de angolanos? É possível que sim. Por William Tonet Conforta-me, contudo, o facto de que esse mesmo alguém terá acrescentado que quem se esquecer do passado deve perder os dois olhos. As vítimas dos massacres do 27 de Maio…

Leia mais