Falta de vergonha no bordel

A ministra da Educação de Angola, Maria Cândida Teixeira, admitiu que há no país, particularmente em Luanda, crianças entre os 13 e 16 anos a frequentarem o ensino nocturno, por escassez de escolas. Isso não as impede de, à beira do fogueira, fazer continhas engraçadas de somar e saber quanto custou o “Presidential Golf Day” ou a escola de equitação do clube Mangais. Maria Cândida Teixeira, que falava em Luanda à margem do lançamento de um projecto (já se perdeu a conta aos projectos da propaganda) de resgate da cidadania…

Leia mais

Escolas vão ter tudo…
o que conseguirem ter

A produção e distribuição de manuais e equipamentos escolares para o ano lectivo de 2019 em Angola, que se inicia em Fevereiro, vai custar ao Estado angolano mais 10.392 milhões de kwanzas (35 milhões de euros) do que o inicialmente previsto. A informação consta de uma autorização, através de decreto presidencial, de 10 de Julho, para a abertura de um crédito adicional no Orçamento Geral do Estado (OGE) deste ano para o “suporte de despesas” relacionadas com este processo, a favor do Ministério da Indústria. Esta decisão surge na sequência…

Leia mais

Faltam 20 mil carteiras
nas escolas de Luanda

As escolas do município de Luanda precisam de pelo menos 20.000 carteiras face às necessidades já identificadas, com as autoridades a lamentarem a situação de carência em que milhares de alunos estudam, mas que atribuem à crise económica. Agora a crise económica serve para tudo. Não tenhamos medo da verdade. Nem no tempo colonial isto acontecia. Ao fim de quase 42 anos de independência, 15 de paz total, o regime do MPLA (que está no poder deste 1975) nem consegue resolver o problema deste tipo de… carteiras. A única coisa…

Leia mais