Os ex-militares também
“sabem” viver sem comer

O Instituto de Reintegração Socioprofissional dos Ex-Militares (IRSM) angolano necessita de 108 milhões de euros para reintegrar mais de 117.000 ex-militares desmobilizados ao abrigo dos quatro acordos de paz assinados desde 1991, foi hoje anunciado. Lá vai o general Presidente estender a mão e sacar mais uns milhões… fiados. Ou, como até agora, vai assobiar para o lado? Segundo o director-geral do IRSM, Domingos Tchikanha, a instituição tem por reintegrar 80.000 ex-militares, cerca de 13.000 deficientes e 24.000 viúvas e órfãos de guerra, um processo “condicionado” (como convém repetir até…

Leia mais

Quanto não vale ser um país tão rico!

Quanto não vale ser um país tão rico! - Folha 8

Trinta e sete ex-militares das FAPLA (MPLA) e das FALA (UNITA), no município do Cuemba, 164 quilómetros a leste do Kuito, província do Bié, beneficiaram de uma ofertas especial, só possível num país rico como Angola. Cada um recebeu uma motorizada. A entrega de tão preciosos bens enquadra-se no âmbito do projecto do Instituto de Reintegração Social dos Ex-Militares (IRSEM) no Bié, que visa dar assistência aos ex-combatentes no país. José Jorge Cambinda (beneficiário) em nome dos demais louvou a iniciativa do governo que através do IRSEM está a resolver…

Leia mais