Chuva e seca só cá estão para chatear o santo MPLA

A época chuvosa em Angola já provocou 41 mortos, destruiu mais de mil casas e afectou 2.498 famílias, num total de 11.990 pessoas, em 12 províncias do país, informou hoje a Comissão Nacional de Protecção Civil. Se não é a chuva é a seca. Coisas novas, ao que parece, no nosso país. Segundo o coordenador da comissão, o ministro do Interior, Eugénio Laborinho, de Agosto de 2019 à presente data, as chuvas destruíram 12 igrejas e quatro pontes e deixaram parcialmente destruídas 1.145 residências, havendo ainda o registo de 975…

Leia mais

Há mais de um mês na rua. Não é no Bairro da Jamaica

Dezenas de angolanos, residentes na capital e não no bairro português da Jamaica, no Seixal, estão ao relento há mais de um mês em Luanda, depois de serem retirados de um edifício seiscentista devido às “inúmeras fissuras e risco de desabamento”, criticando o “silêncio das autoridades” quanto ao seu destino. No total são 24 famílias que, desde 7 de Janeiro, se encontram ao relento, no largo do Baleizão, distrito urbano da Ingombota, centro da cidade, depois de as autoridades terem esvaziado o edifício onde funcionou o antigo Colégio Dom João…

Leia mais

Sudão do Sul. Guerra e fome, fome e guerra

O país assinala hoje cinco anos de independência e três de uma guerra civil que parece estar longe do fim. Em dois dias morreram 115 pessoas. O Sudão do Sul assinala este sábado o quinto aniversário da sua independência. Mas não há muitas razões para celebrar: o acordo de paz estabelecido para virar a página de uma guerra civil devastadora está por um fio e a população nunca passou tanta fome. Várias dezenas de milhares de pessoas foram mortas desde Dezembro de 2013 e o início da guerra civil que…

Leia mais

Até tu São Pedro?

Até tu São Pedro? - Folha 8

As fortes chuvas que caíram em Luanda nas últimas horas provocaram um morto e desalojaram mais de 400 famílias, além do desabamento de 137 casas, informou hoje o governo da província da capital. O s dados foram conhecidos após reunião da comissão de protecção civil do Governo Provincial de Luanda, na sequência das chuvas registadas de segunda para terça-feira na capital e que provocaram várias inundações, afectando ainda 4.250 residências, nomeadamente em Viana, Cazenga e Belas. As consequências do temporal fizeram-se sentir ainda num trânsito mais caótico do que o…

Leia mais

1.500 desalojados pelas chuvas no Zaire

1.500 desalojados pelas chuvas no Zaire - Folha 8

Mais de 1.500 pessoas ficaram desalojadas na província do Zaire, no norte do país, na sequência das fortes chuvas que se têm feito sentir naquela zona, informaram hoje fontes dos bombeiros. De acordo com dados divulgados pelo serviço provincial de protecção civil e bombeiros do Zaire, as chuvas destruíram nas últimas horas 168 casas, de construção básica, em quatro municípios. Desde a madrugada de terça-feira que se registam vários episódios de mau tempo, nomeadamente chuva forte, em diferentes províncias angolanas, sobretudo no litoral. No Zaire, a situação corresponde a 1.536…

Leia mais

Afinal a culpa não é da oposição mas sim do clima

Cerca de 48 mil famílias ficaram desalojadas nos últimos anos em Angola devido a calamidades relacionadas com chuvas torrenciais, enfrentando o país ainda o avanço da desertificação. Quem o disse foi o vice-Presidente angolano, Manuel Vicente. “Temos assistido nos últimos anos, no nosso país, ao avanço da desertificação e seca, em algumas regiões, e calamidades, com chuvas torrenciais, em outras, que afectaram populações, forçando o desalojamento de 48 mil famílias, o que motivou a aprovação de um programa de emergência do Governo”, disse o Vice-Presidente angolano na intervenção que fez na inédita Cimeira…

Leia mais