CASAS DE BANHO. SERÁ PEDIR MUITO?

A organização angolana Mosaiko pede ao Governo do MPLA (no poder há 46 anos) que garanta a existência de casas de banho e de iluminação nos acessos às escolas para prevenir o abandono escolar das raparigas, que a partir dos 15 anos é superior a 50%. Num recente relatório, intitulado “Políticas Públicas Inclusivas numa Perspectiva de Género”, a organização não-governamental angolana Mosaiko apresenta os resultados de 149 entrevistas em grupos e de inquéritos conduzidos, entre Junho de 2019 e Novembro de 2020, junto de 4.692 agregados familiares em 15 municípios…

Leia mais

NO CUNENE, 40% DAS CRIANÇAS DESISTEM DA ESCOLA

Enquanto o Presidente, João Lourenço, conta anedotas na Escócia e o vice-Presidente, Bornito de Sousa, se entretém a processar judicialmente quem fala dos custos do vestido de noiva da sua filha, 40% de crianças desistiram da escola, na província do Cunene, devido à seca e à fome que assolam a região… Segundo fonte oficial, a situação leva, continua a levar, à “dispersão populacional que busca pela subsistência”. Segundo o coordenador da Zona de Influência Pedagógica (ZIP) da província do Cunene, sul de Angola, Pelágio Ndafenongo Silikuvamwe, o calor, a seca…

Leia mais

Cão abandonado em Valongo

No dia 29 de Setembro encontrei um cão esquelético (só tinha pele e ossos), faminto, a vaguear numa rua de Koudougou no Burkina Faso. Na verdade encontrei-o na Rua Almada Negreiros, na cidade de Valongo, distrito do Porto (Portugal). Afinal, também nas terras lusas, até para ser cão é preciso ter sorte. Não foi o caso. A civilidade humana e, já agora, os direitos dos animais não fazem parte das prioridades dos detentores do poder autárquico em Valongo. Por Orlando Castro Eis o que se passou. No dia 29 de…

Leia mais

Recém-nascidos deitados às lixeiras no Longonjo

O número de recém-nascidos encontrados em lixeiras, após o abandono com vida, supostamente pelas próprias mães, tende a aumentar na província do Huambo, com o registo de mais um caso, no município do Longonjo, perfazendo quatro vítimas, em menos de dois meses. Do ponto de vista de quem manda, o MPLA, não é preocupante porque essa malta do Huambo não são propriamente… angolanos. De acordo com o porta-voz da Polícia Nacional no planalto central, intendente Martinho Kavita Satito, em declarações à ANGOP, o facto deu-se neste domingo, numa residência abandonada…

Leia mais

Urge exonerar a poeira

O director geral do Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola, Camilo Ceita, assegurou hoje que as cerca de 600 viaturas utilizadas no censo geral da população de 2014 “não estão abandonadas”, mas sim “ao serviço do Estado”. “E ssas viaturas não estão abandonadas, elas serviram para o Registo Eleitoral, Campanha de Vacinação contra a Febre-amarela, Registo Civil e Bilhete de Identidade, e apoiaram, e ainda apoiam, várias actividades da província da Huíla”, disse hoje Camilo Ceita em Luanda. Respondendo aos jornalistas sobre o estado das viaturas, face a relatos…

Leia mais

Há mais de um mês na rua. Não é no Bairro da Jamaica

Dezenas de angolanos, residentes na capital e não no bairro português da Jamaica, no Seixal, estão ao relento há mais de um mês em Luanda, depois de serem retirados de um edifício seiscentista devido às “inúmeras fissuras e risco de desabamento”, criticando o “silêncio das autoridades” quanto ao seu destino. No total são 24 famílias que, desde 7 de Janeiro, se encontram ao relento, no largo do Baleizão, distrito urbano da Ingombota, centro da cidade, depois de as autoridades terem esvaziado o edifício onde funcionou o antigo Colégio Dom João…

Leia mais

Há quem viva para servir

O padre angolano Pio Wakussanga, vencedor do prémio africano “Defensor de Direitos Humanos de 2018”, considerou hoje o galardão como um “estímulo” para “continuar a lutar” pela causa, sobretudo no interior do país “praticamente abandonado”. Em declarações à agência Lusa a partir da província do Huambo, o sacerdote, galardoado devido ao seu trabalho na defesa dos Direitos Humanos no Sul de Angola, disse que o prémio se traduz também num “grande desafio” no contexto da luta pelos direitos económicos, sociais e culturais do país. “É um estímulo e, ao mesmo…

Leia mais

Biblioteca de Mbanza Congo abandonada

Os estudantes residentes na cidade de Mbanza Kongo queixam-se de dificuldades em consultar a biblioteca local, encerrada parcialmente pelas autoridades sem uma explicação aos utilizadores. A biblioteca foi inaugurada a 4 de Abril de 2013 pelo governador do Zaire, José Joana André “Joanes”. Segundo o estudante universitário Nsalambi Waku Samuel, que lidera um protesto a favor da reabertura da Biblioteca municipal de Mbanza Kongo “a instituição não funciona. Fui para lá e encontrei-a fechada. Segundo os moradores a mesma não funciona. Está completamente abandonada. No acto da sua inauguração em…

Leia mais

Palavra de rei (e general) é, claro, palavra… honrada!

O presidente do MPLA e ex-chefe de Estado angolano durante 38 anos sem nunca ter sido nominalmente eleito, José Eduardo dos Santos, confirmou hoje que deixa a vida política em 2018 por vontade própria, argumentando que “tudo o que tem um começo tem um fim”. A posição foi transmitida hoje, em Luanda, no discurso de abertura da segunda sessão extraordinária do Comité Central do MPLA, partido que José Eduardo dos Santos lidera desde 1979 e que está no poder desde 1975, recordando que em 2016 tinha já anunciado a vontade…

Leia mais

Baía dos Tigres. “Fantasma”
à espera da… ressurreição

A pequena vila angolana da Baía dos Tigres foi fundada por pescadores do Algarve, por volta de 1860 e foi habitada por eles até ao final do período colonial, em 1975. Sem acesso a água potável, a vila ficou ao abandono. Ernesto Tchihihavo é o administrador da histórica Baía dos Tigres, nomeado há mais de 10 anos pelo Estado angolano, mas administra uma área de 100 quilómetros quadrados sem população e à qual nem o próprio consegue chegar. Foi junto ao deserto do Namibe, no município do Tômbwa, que a…

Leia mais