Auditorias a tudo ou
apenas fogo-fátuo?

O Governo do MPLA, no Poder há 44 anos, defendeu hoje a extensão da auditoria interna em “todos os domínios do sector público”, desde o financeiro às infra-estruturas, considerando-a como um “poderoso aliado na eficácia e eficiência” na utilização dos recursos pelas organizações. Os auditores serão capazes de “salvar”, pela crítica, quem manda no país ou, como sempre, vão assassiná-lo pelo elogio? “A s actividades de auditoria e controlo interno são sem dúvida um poderoso aliado na eficácia e eficiência na utilização dos recursos pelas organizações, recursos humanos, materiais e…

Leia mais

Auditoria à dívida pública?
– O MPLA não vai cair nessa

O líder da bancada parlamentar da UNITA, maior partido da oposição em Angola, disse hoje que vai submeter ao Parlamento um pedido para constituição de uma comissão de inquérito à dívida pública, defendendo igualmente a realização de uma auditoria. De derrota em derrota até à vitória final, espera o Galo Negro. Adalberto da Costa Júnior falava à imprensa no final da sessão de aprovação do Orçamento Geral do Estado (OGE) para o exercício económico de 2018, que contou com voto contra da UNITA. “Nós temos ainda o inquérito ao BESA…

Leia mais

Sonangol. Saem milhões e a PwC. Entra, é claro, a KPMG

A petrolífera angolana Sonangol vai gastar 15,4 milhões de euros com a auditoria às contas do grupo, que serão garantidas pela KPMG, depois de preterida a consultora escolhida pela anterior administração, de Isabel dos Santos, cujas contas também serão analisadas. De acordo com um despacho assinado pelo Presidente da República, João Lourenço, de 6 de Fevereiro, o negócio, autorizado no documento, é justificado “por força” da identificação de uma “situação superveniente de conflito de interesse”, o que obrigou a Sonangol a “cancelar a adjudicação do contrato de prestação de serviços…

Leia mais

Parceiro (e padrinho) da Ernst & Young em Angola

O deputado Manuel Vicente, na qualidade de Presidente do Conselho de Administração da Sonangol, portanto, só nesta qualidade e não na de vice-presidente da República, não vá o diabo tecê-las e sermos acusados de estarmos a macular uma figura, constitucionalmente, inexistente, nesta função, que é a “imunidade”, em voga na boca de muito boa gente, inclusive, advogados, para justificar a não imputação criminal do visado, foi o responsável, melhor, o padrinho da reentrada triunfal da Ernst & Young, em Angola. Recorde-se, a mero título de exemplo, que a Ernst &…

Leia mais

Governo poderá aceitar
auditar a dívida pública

O Governo angolano admite a possibilidade de uma auditoria à dívida pública, que ultrapassou em 2017 os 67% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, conforme reclama a UNITA, maior partido da oposição. A posição foi transmitida aos deputados pelo ministro de Estado e do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, durante a discussão da proposta de lei do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018, na especialidade, na Assembleia Nacional. “Em nome do rigor e da transparência da gestão pública, não nos opomos para que sejam accionados todos…

Leia mais

Até prova em contrário,
Isabel é… culpada de tudo

A Administração da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), liderada desde Novembro por Carlos Saturnino, após a exoneração de Isabel dos Santos, anunciou hoje que iniciou uma auditoria para aferir a situação da petrolífera estatal. A posição surge num comunicado da petrolífera no qual garante que em momento algum prestou informação confirmando a existência de uma comissão de inquérito interna à administração de Isabel dos Santos. “A Sonangol tem um novo conselho de administração e, ao abrigo do que acontece em situações análogas, está em curso uma auditoria normal…

Leia mais

UNITA exigiu e ficheiro dos eleitores será auditado

A UNITA aplaudiu hoje a aprovação, pela Comissão Nacional Eleitoral (CNE) angolana, de uma auditoria ao ficheiro electrónico dos eleitores em condições de votar a 23 de Agosto e espera ver as irregularidades, que exaustivamente tem denunciado, corrigidas a tempo. “A s nossas manifestações, que naturalmente vão continuar, visam corrigir o que chamamos de irregularidades, para garantir a transparência do processo eleitoral. A auditoria ao Ficheiro de Cidadãos Maiores [FICM] tem sido uma das nossas exigências”, disse, em declarações à Lusa, o porta-voz da UNITA, Alcides Sakala. Angola realiza eleições…

Leia mais