O MAIOR NÚMERO DE CORRUPTOS POR METRO QUADRADO

O analista angolano Eugénio Costa Almeida considerou hoje, em declarações à Lusa, que a divulgação das contas enquadráveis no que se convencionou chamar ‘Luanda Leaks’ provocou pouco mais do que o fim de uma certa nomenclatura económica e a saída de Isabel dos Santos do país. “Tirando o facto de ter acabado com uma certa nomenclatura económica, não me parece que tenha havido grande desenvolvimento, particularmente em termos de melhorar a classe económica, que permitisse uma substituição daqueles que foram projectados para fora do tecido económico angolano”, disse o investigador…

Leia mais

“Pandora Papers”? Angola, é claro, tem lugar cativo

No âmbito do chamado “Pandora Papers”, a leitura feita pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação identifica três políticos portugueses com “segredos financeiros”, políticos que o semanário Expresso diz serem Manuel Pinho, Nuno Morais Sarmento e Vitalino Canas. São igualmente identificados outros 19 políticos lusófonos, nove em Angola, nove no Brasil e um em Moçambique. A nova análise do consórcio (ICIJ, na sigla em inglês), chamada “Pandora Papers”, põe na praça pública os “segredos financeiros” de 35 líderes mundiais (actuais e antigos) e de mais de 330 políticos e funcionários…

Leia mais

A luta (conti)nua entre cleptocratas

Gravações secretas citadas por advogados de Isabel dos Santos num processo judicial em Londres alegam que os ficheiros relativos ao caso “Luanda Leaks” foram entregues pelos serviços secretos angolanos ao pirata informático Rui Pinto e que – como Folha 8 revelou em 19 de Janeiro de 2020 – uma cópia “seguiu de Luanda para Lisboa numa mala diplomática”. Os documentos foram depositados na semana passada junto do Tribunal Comercial do Tribunal Superior de Londres no âmbito do processo judicial da empresa de telecomunicações Unitel contra a Unitel International Holdings (UIH),…

Leia mais

Vingança ainda está em banho… Isabel

Segundo o jornal Financial Times, Isabel dos Santos alega que João Lourenço deu ordens a procuradores, juízes e espiões angolanos para lançarem uma “campanha política” e acções judiciais para desmantelar o seu império, no âmbito de uma “agenda política e vingança pessoal”. Diz o Jornal de Negócios (de Portugal) que – segundo documentação apresentada por Isabel dos Santos a Justiça britânica, verifica-se a existência de uma espécie de “task force” a nível governamental montada para a atingir. Existem, de acordo com a empresária, gravações secretas captadas pelo grupo israelita Black…

Leia mais

“MPLA Leaks”? Só noutra era…

O coordenador das parcerias em África e no Médio Oriente do Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ), Will Fitzgibbon, considerou hoje que, apesar das consequências da investigação ‘Luanda Leaks’, os problemas em Angola continuam por resolver. Quando todos pensavam que, por milagre, os jacarés passaram a ser vegetarianos… “Raramente um bilionário caiu tanto e tão depressa; mas em Angola e noutras partes do mundo, os males sistémicos que a investigação ‘Luanda Leaks’ trouxe para a ribalta – corrupção, a saída de riqueza para centros ‘offshore’ e uma indústria de…

Leia mais

E a culpada é (só pode ser)…

A acção do Estado angolano contra Isabel dos Santos, no âmbito do processo cível no qual o Estado reclama um crédito superior a mil milhões de dólares, deu entrada hoje no Tribunal Provincial de Luanda, segundo fonte judicial. “O julgamento tem todos os contornos de um julgamento de fachada”, disse Robert Besseling, director da consultora EXX Africa. A acção dá seguimento ao arresto preventivo de contas bancárias e participações sociais da empresária Isabel dos Santos, do seu marido Sindika Dokolo e do gestor Mário Leite da Silva, decretado pelo Tribunal…

Leia mais

“Arresto de contas impede pagamento de salários”

A empresária angolana Isabel dos Santos afirma que o arresto de contas bancárias pessoais e das empresas que tem em Portugal está a impedir o pagamento de salários, a fornecedores e impostos, alertando para as consequências. Em comunicado, a empresária refere que “contrariamente ao que aconteceu em Angola”, com o arresto decretado no final de Dezembro pelo Tribunal de Luanda, em Portugal a “justiça entendeu arrestar e congelar contas bancárias, bloqueando todo e qualquer movimento”. A situação, prossegue o comunicado, está a ter consequências na gestão das empresas, segundo Isabel…

Leia mais

O PSD também é nosso,
pensa (e bem) o… MPLA

«Apesar do escândalo Luanda Leaks, Isabel dos Santos conseguiu indicar dois dos seus colaboradores para dirigentes máximos do PSD, Paulo Mota Pinto (dos órgãos sociais da NOS, em que Isabel é accionista de referência) para presidente do Congresso e ainda Nuno Morais Sarmento, da Sociedade de Advogados que apoiava Isabel dos Santos, a PLMJ, de Júdice. Todos inclinados face ao poder de Isabel dos Santos. A impunidade e a falta de vergonha sem limites», afirma Paulo de Morais. O presidente do partido português PSD, Rui Rio, disse dia 28 de…

Leia mais

Pós Luanda leaks: Angola na encruzilhada

Durante anos, décadas, a oligarquia angolana andou a subtrair recursos ao povo angolano para enriquecer de forma despudorada. O corolário é o expectável. Angola é hoje um dos países menos desenvolvidos do mundo, tem das maiores taxas de mortalidade infantil, uma em cada quatro crianças morre nos primeiros cinco anos de vida; ao mesmo tempo, as maiores fortunas multiplicam-se, festas mais sumptuosas têm lugar em Luanda… Por Paulo de Morais (*) A filha do vice-presidente Bornito de Sousa gasta 200.000 dólares no vestido do seu casamento, nos restaurantes luxuosos janta-se…

Leia mais

Nem água benta nem caldos de galinha

A TIAC – Portugal admite, à luz do “Luanda Leaks”, que o país “tudo fará para não devolver o dinheiro roubado” a Angola, dando o exemplo do processo movido pela Justiça portuguesa contra Manuel Vicente, escreve a DW. Karina Carvalho, directora executiva da Transparência Internacional – Associação Cívica (TIAC – Portugal) entende que Portugal e Angola têm responsabilidades partilhadas na prevenção e combate à corrupção, tal como o dever de cooperarem activamente na recuperação de activos, uma vez que fazem parte da Comissão das Nações Unidas contra a Corrupção. Mas,…

Leia mais