O PSD também é nosso,
pensa (e bem) o… MPLA

«Apesar do escândalo Luanda Leaks, Isabel dos Santos conseguiu indicar dois dos seus colaboradores para dirigentes máximos do PSD, Paulo Mota Pinto (dos órgãos sociais da NOS, em que Isabel é accionista de referência) para presidente do Congresso e ainda Nuno Morais Sarmento, da Sociedade de Advogados que apoiava Isabel dos Santos, a PLMJ, de Júdice. Todos inclinados face ao poder de Isabel dos Santos. A impunidade e a falta de vergonha sem limites», afirma Paulo de Morais. O presidente do partido português PSD, Rui Rio, disse dia 28 de…

Leia mais

PSD, PS e MPLA são (é claro!) todos fuba do mesmo saco

Rui Rio, presidente do maior partido português, o PSD, considerou hoje que a visita oficial do primeiro-ministro António Costa a Angola abriu portas que “no passado recente estiveram fechadas” e enalteceu “o clima favorável” a Portugal que encontrou quando se deslocou ao país. Ao que tudo indica, se alguma vez Rui Rio for primeiro-ministro, o PSD vai querer bater o recorde de bajulação estabelecido por António Costa. Provavelmente, enaltecendo a separação de poderes em Portugal, o PSD conseguirá o milagre de o Poder Judicial estar de acordo em que todos…

Leia mais

Rui Rio enaltece pacto de bajulação e subserviência

O presidente do (ainda) maior partido português, o PSD, recusou hoje que a sua vinda a despacho ao MPLA (ainda na versão Eduardo dos Santos/João Lourenço) tenha causado algum mal-estar no Governo de António Costa, salientando o “simbolismo” de uma visita que diz ser uma “ajuda” nas relações entre os dois países. E foi uma ajuda importante, reconheça-se. Para além da assinatura que renova o pacto de subserviência e bajulação anteriormente subscrito por Pedro Passos Coelho, Rui Rio acrescentou uma cláusula implícita em que, sempre que necessário, o PSD passa…

Leia mais

Rui Rio e o jornalismo

Alguns amigos do actual líder do maior partido português, o PSD, não gostaram do que o Folha 8 escreveu ontem e anteontem sobre a visita de Rui Rio a Angola. Ou, melhor, da visita aos donos do país, o MPLA (versão Presidente da República e Presidente do partido). Angola é outra coisa. Por Orlando Castro Apelemos à memória. “Henrique Granadeiro pediu-nos para, antes de publicarmos artigos sobre a PT, o avisarmos, mas se houvesse algum problema, o que prevaleceria seria a linha editorial”, declarou na Comissão Parlamentar de Ética, José…

Leia mais

Rui Rio confirma que o PSD bajulou, bajula e bajulará

O presidente do maior partido português, o PSD, Rui Rio, disse hoje, em Luanda, que as relações entre Angola e Portugal têm agora uma “estrada aberta” pela frente, destacando o “simbolismo” de ter sido recebido pelo chefe de Estado angolano, João Lourenço. Nada de novo, portanto. A bajulação continua firme. Rui Rio falava aos jornalistas, no Palácio Presidencial, em Luanda, depois de uma audiência, pouco habitual (mas estratégica para o MPLA) enquanto dirigente partidário, de cerca de 30 minutos, com o Presidente angolano. À saída, Rui Rio admitiu que as…

Leia mais

Venham mais cinco…

Bem dizia Zeca Afonso (“Não me obriguem a vir para a rua gritar que é já tempo d’ embalar a trouxa e zarpar”). O líder do PSD, Rui Rio, viaja hoje para Luanda, Angola, e vai encontrar-se com o presidente angolano, João Lourenço. O presidente dos social-democratas antecipa-se assim a António Costa, que só deverá visitar Angola em Julho. A visita de Rio acontece depois de, na sexta-feira, a certidão do processo Fizz relativo antigo presidente da Sonangol e vice-presidente angolano Manuel Vicente ter sido enviada para a Procuradoria-geral da…

Leia mais

Tentativa totalitarista

Aproximam-se as eleições autárquicas e nunca a nossa democracia esteve tão frágil devido às conveniências partidárias. Pergunta-se em quem votar, votaremos no vencedor ou o derrotado vencerá? A perda de identidade de alguns partidos políticos, ao longo destes 43 anos de democracia, confundem as mentes mais adormecidas porém, inquietam as mentes mais atentas. Por Fernando Meireles (*) Os candidatos que se dizem autónomos são apoiados por partidos e, os candidatos pelos partidos dizem-se autónomos nas escolhas. Actualmente não há candidatos independentes. Discursos ou acções que visam manipular as paixões e…

Leia mais