(Se o MPLA deixar) 2019 consagrado a Savimbi

A UNITA, maior força da oposição angolana, declarou 2019 como “ano da consagração da memória” do líder histórico e fundador Jonas Savimbi, morto em combate em 2002, considerado pelo regime do MPLA como um criminoso ou até, segundo os mais ortodoxos, como terrorista, e cujos restos mortais continuam “sequestrados” pelo Governo, indica hoje um comunicado o partido do “Galo Negro”. Segundo o documento, a decisão foi tomada na primeira reunião deste ano do Secretariado Executivo do Comité Permanente da UNITA, liderada pelo presidente do partido, Isaías Samakuva. “A fim de…

Leia mais

Obrigado Presidente. Adeus Amigo Ben

O Ben voltou. Arlindo Chenda Pena “Ben Ben”. Vinte anos depois. General (à época do fatídico) chefe de Estado-Maior General Adjunto das FAA (hipoteticamente exército nacional e não do MPLA), logo distante, da guerrilha. Evacuado, por doença, para a África do Sul aí viria a falecer. Por William Tonet Sendo cidadão de pleno direito, a família pensou em trazer o corpo, como acontece com qualquer cidadão, mas, inesperadamente, o regime, vetou a pretensão. Com este gesto, levou, também, à morte a mulher Vide. Aprisionar um corpo inerte, numa câmara fria,…

Leia mais

MPLA só não põe a UNITA KO porque ela já está em coma

O Presidente angolano, João Lourenço, homenageou hoje o general Arlindo Chenda Pena “Ben Ben”, desejando que “os seus restos mortais descansem em paz na terra que o viu nascer e pela qual pugnou em nome da reconciliação”. Em nome da reconciliação João Lourenço dirá algo parecido de Jonas Savimbi? Não. Não dirá. Para já pôs a UNITA de joelhos e recebe, justamente, os aplausos de todos. Folha 8 incluído. A homenagem foi prestada no quartel Regimento de Infantaria 20 (RI20), em Luanda, para onde foi transportado o corpo de “Ben…

Leia mais

Líder da UNITA não honra
nem “Ben Ben”, nem Savimbi

O regresso do corpo do general “Ben Ben” a Angola, 20 anos depois de várias tentativas, representa “mais um passo” na remoção dos obstáculos para a reconciliação nacional dos angolanos, disse hoje, em Luanda, o presidente da UNITA. Claramente o MPLA usa Savimbi e ”Ben Ben” para ter a UNITA sob controlo. Se o Galo Negro não se importa, parecendo até que gosta… Isaías Samakuva falava aos jornalistas antes da chegada a Luanda dos restos mortais do general Arlindo Chenda Pena “Ben Ben”, antigo vice-chefe do Estado-Maior das FALA, o…

Leia mais

Que tal honrar os mortos reconciliando os… vivos?

O ministro da Justiça e Direitos Humanos de Angola, Francisco Queirós, disse hoje, em Pretória, que a trasladação dos restos mortais do general da UNITA, Arlindo Chenda Pena (‘Ben Ben’), corresponde à vontade do Presidente angolano, João Lourenço, de “reconciliar a grande família angolana”. Reconciliar só através dos mortos? Francisco Queirós, que chefia a delegação angolana responsável pelo processo de trasladação dos restos mortais do antigo vice-chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de Libertação de Angola (FALA), então braço militar da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA),…

Leia mais

“Ben Ben” regressa à (também) sua Pátria!

A Presidência sul-africana considerou hoje como um contributo para a “reconciliação” angolana o apoio à trasladação para Angola dos restos mortais do general da UNITA Arlindo “Ben Ben”, que faleceu na África do Sul em 1998. A cerimónia de repatriamento realizada na Base Aérea de Waterkloof, em Pretória, “como parte da assistência da África do Sul à República de Angola”, “contribuirá para a reconciliação entre a nação angolana”, lê-se no comunicado emitido hoje pela Presidência de Cyril Ramaphosa, chefe de Estado sul-africano. Uma delegação do Governo de Angola viajou hoje…

Leia mais

Corpo do general “Ben Ben” volta a casa 20 anos depois

Os restos mortais Arlindo Chenda Pena (“Ben Ben”), antigo general das Forças Armadas de Libertação de Angola (FALA, exército de UNITA), morto em combate em 1998, chegam quinta-feira a Luanda. De acordo com um comunicado divulgado pelos familiares de “Ben Ben”, ao qual o Folha 8 ontem fez referência, a decisão de repatriar os restos mortais surgiu na sequência de um pedido do líder da UNITA, Isaías Samakuva, ao Presidente angolano, João Lourenço, que, por sua vez, contactou o homólogo sul-africano, Cyril Ramaphosa, que deu “luz verde” à exumação. O…

Leia mais

Será o Presidente João Lourenço capaz de repor
a verdade dos factos?

A 19 de Maio de 1991 houve o primeiro acordo de Paz em Angola, entre a UNITA e o MPLA/Governo, no Alto Kauango. Principais protagonistas? Higino Carneiro, Ben Ben e William Tonet. Fez-se História que, desde essa altura, o regime de José Eduardo dos Santos tenta apagar. Não conseguiu. Não conseguirá. Talvez agora, com um novo Presidente ao fim de 38 anos, a História de Angola deixe de ser a história fabricada por uma parte do MPLA. Não parece. É verdade que a cobra muda de pele mas não deixa…

Leia mais

Se João Lourenço exonerar
os mentirosos, a verdade histórica será restaurada

Em 1991 houve o primeiro acordo de Paz em Angola, entre a UNITA e o MPLA/Governo, no Alto Kauango. Principais protagonistas? Higino Carneiro, Ben Ben e William Tonet. Fez-se História que, desde essa altura, o regime de José Eduardo dos Santos tentou apagar. Não conseguiu. Talvez agora, com um novo Presidente ao fim de 38 anos, a História de Angola deixe de ser a história fabricada por uma parte do MPLA. Foi um acordo importante e natural, entre angolanos. William Tonet estava a cobrir a guerra dos 57 dias de…

Leia mais

Do Cauango a Bicesse

Ao que parece, fazendo fé na verdade oficial do regime, continua a ser crime (talvez contra a segurança do Estado) o facto de esse acordo do Alto Cauango ter sido mediado, em 1991, por um autóctone angolano, com cultura do Sul e que pensa pela sua própria cabeça, William Tonet. Não adianta o MPLA, o regime e outros sipaios que se julgam donos da verdade, “esquecerem” a verdade dos factos. Eles são exactamente isso, factos. E um deles, o de ter sido um angolano a mediar pela primeira vez o…

Leia mais