O EPITÁFIO DA RENDIÇÃO DA UNITA

João Lourenço, bem acompanhado pelo seu séquito de bajuladores (encabeçado por Marcelo Rebelo de Sousa), toma hoje posse depois de ter sido derrotado pelo voto dos angolanos, mas reeleito pelas sucursais do MPLA, CNE (Comissão Nacional Eleitoral) e Tribunal Constitucional. O ambiente é de festa, razão pela qual as ruas de Luanda estão “ornamentadas” com vasto equipamento bélico pesado. Vejamos, na íntegra, a proclamação da rendição assinada pela UNITA que, contudo, quer que os angolanos acreditem que estando no Parlamento conseguirá que os jacarés do MPLA passem a ser vegetarianos.…

Leia mais

COCOROCÓ… A VITÓRIA (DO MPLA) É CERTA!

O deputado da UNITA, Nelito Ekuikui, afastado por Isaías Samakuva (quiçá por ordem do presidente do MPLA) do cargo de secretário provincial do partido em Luanda, diz-se “tranquilo e sereno” e defendeu múltiplas candidaturas à presidência mas também a reeleição de Adalberto da Costa Júnior (ACJ) no próximo congresso. Nelito Ekuikui, que durante quase dois anos dirigiu o secretariado provincial de Luanda da UNITA, maior partido na oposição que o MPLA (ainda) permite, foi afastado do cargo na segunda-feira pelo actual líder (escolhido, eleito e imposto pelo MPLA) do partido…

Leia mais

MPLA ORDENOU E ELE FOI PARA FICAR

O presidente angolano, João Lourenço, afirmou esperar que Isaías Samakuva, que voltou à presidência da UNITA depois do afastamento de Adalberto da Costa Júnior, ordenado pelo Presidente do MPLA (João Lourenço), tenha “vindo para ficar”, na cerimónia em que foi reempossado como conselheiro da República. Disse-o conscientemente perante alguém que deveria ter tido a coragem “savimbista” de renunciar a este direito, como deveria ter tido a coragem de não aceitar voltar à liderança da UNITA. Por Orlando Castro Coragem não é propriamente uma qualidade de Samakuva. Vejamos, utilizando o que…

Leia mais

Bispos católicos absolvem genocida

A Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) considerou hoje como “um acto de coragem” e “grande terapia social” o pedido de desculpas do Presidente angolano, em nome do Estado, pelas execuções sumárias de há 44 anos, quando Agostinho Neto (ainda hoje venerado herói do MPLA) mandou massacrar milhares e milhares de angolanos. Segundo o porta-voz da CEAST, Belmiro Chissengueti, o pedido de perdão do Presidente angolano, João Lourenço, é “um acto de coragem e um passo que foi esperado durante muitos anos, sobretudo pelas vítimas directas destes acontecimentos”.…

Leia mais

KO no primeiro “round”

A Assembleia Nacional (do MPLA) de Angola aprovou hoje – numa mera formalidade recomendada quando se quer fingir que o país é uma democracia – a proposta de revisão pontual da Constituição da República, apresentada pelo Presidente do MPLA, com a UNITA, maior partido da oposição que o MPLA ainda permite, a abster-se na votação. A proposta, como estava determinado por quem manda, passou com 157 votos a favor do MPLA, da CASA-CE, do PRS e da FNLA, e a abstenção da UNITA e de deputados (in)dependentes. Na apresentação da…

Leia mais

Ciclos novos na caquéctica ciclometria

Em Angola “há um ciclo novo” e o que aconteceu com Isabel dos Santos “vai acontecer a outros que pediram dinheiro ao Estado e não pagaram”, afirmou há um ano (6 de Janeiro de 2020) à Lusa o antigo primeiro-ministro e ex-secretário-geral do MPLA, Lopo do Nascimento. Quais outros, não disse para não pôr a cabeça a prémio. É que, se houver (“haver” na terminologia linguística do actual Presidente do MPLA) equidade, moral, respeito e coragem… João Lourenço estaria também na lista. “Quem recebe dinheiro do Estado e não paga…

Leia mais

Isaías Samakuva ajoelha-se
e vai ter (mesmo) de rezar…

O líder da UNITA escusou-se hoje a manter a polémica em torno das exéquias fúnebres de Jonas Savimbi, sublinhando que, numa hora de recolhimento como a actual, deve ser cultivada a unidade dos angolanos. Pena é que Isaías Samakuva se tenha esquecido do que Savimbi dizia: “Vocês estão a dormir e o MPLA está a enganar-vos”. Isaías Samakuva falava aos jornalistas após a entrega, por parte do Governo de Angola, dos restos mortais do líder fundador da UNITA, acto que decorreu hoje no Andulo, norte da província do Bié. Sintetizando…

Leia mais

Mo Ibrahim rendeu-se

O empresário e filantropo Mo Ibrahim afirmou, em entrevista à agência Lusa, estar “muito surpreendido” com as mudanças políticas em Angola. Bastou ao jacaré dizer que é vegetariano e ele (como muitos outros) acreditou. Ninguém cuida em verificar se, no remanso do seu esconderijo, ele não continua a ser carnívoro. É assim que se “elegem” os ditadores. Por Orlando Castro “F iquei muito surpreendido pelas mudanças em Angola porque todos assumimos que o novo Presidente de Angola [João Lourenço], que era um aliado do anterior Presidente e fiel à anterior…

Leia mais

Réquiem pelo 4 de Abril

O Folha 8 decidiu “decretar” o dia 4 de Abril como o seu “feriado” de reflexão. Reflectir é preciso. Para todos? Não. Por alguma razão em 2018 e 2019 esta data que assinala a Paz (no sentido apenas do calar das armas) e a Reconciliação Nacional não contou, em Angola, com a presença do mais alto magistrado do MPLA/Estado, João Lourenço. Em 2018, o Bureau Político do MPLA, partido no poder desde 1975, enalteceu a importância de José Eduardo dos Santos no alcance da paz em Angola, cujo 17º aniversário…

Leia mais

Tudo pronto para o climax

O Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, disse à agência Lusa que foi “uma opção intencional” sua passar o terceiro aniversário do mandato em Luanda, Angola, país onde já esteve mais de 20 vezes, desde 1966. Se a isso juntar o aniversário natalício do anfitrião e excluir qualquer referência ao país real (o tal dos 20 milhões de pobres), é o climax da bajulação. Nessas muitas viagens, Marcelo esteve pessoalmente com o anterior chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, com o líder histórico da UNITA, Jonas…

Leia mais