Mais um amigalhaço na ONU

A manchete do Boletim Oficial do regime de sua majestade o rei de Angola, José Eduardo dos Santos, diz tudo: “Portugal agradece apoio”. Apoio, neste caso, à escolha de António Guterres como secretário-geral da ONU. Por Orlando Castro Em Luanda, a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal, Teresa Ribeiro, agradeceu “o apoio activo de Angola” na candidatura de António Guterres: “Portugal está grato a tudo quanto Angola tem feito nesse domínio”. No passado dia 21 de Setembro, o antigo primeiro-ministro de Portugal agradecera já o…

Leia mais

Epidemia de bajulação

O antigo primeiro-ministro de Portugal, o socialista António Guterres, agradeceu, em Nova Iorque, o apoio de Angola à sua candidatura ao cargo de secretário-geral das Nações Unidas, elogiando o papel do reino de José Eduardo dos Santos no contexto internacional. Por Orlando Castro António Guterres, que foi igualmente alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, falava à rádio pública angolana, sobre o apoio de Angola, salientando que tem sido “um instrumento muito importante” para que tenha possibilidades de vencer. “Gostaria de exprimir toda a minha gratidão e o meu…

Leia mais

Razões para vetar Guterres

O antigo alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, veio a Luanda para pedir o apoio de Angola à sua candidatura a secretário-geral ONU. Certamente que o regime não lhe negará esse apoio. Pena é que, estamos em crer, o candidato se esqueça de que Angola não é o regime e que, por cá, existem angolanos a morrer todos os dias. O caso do Hospital Pediátrico de Luanda é, apenas e só, o mais recente exemplo. Em declarações à Angop, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, António…

Leia mais

ONU critica indiferença dos países ricos

ONU critica indiferença dos países ricos - Folha 8

O responsável da ONU para os direitos humanos condenou hoje os países ricos pela sua indiferença às migrações mundiais, depois do anúncio de que cerca de 3.400 pessoas morreram no Mediterrâneo este ano procurando chegar à Europa. Para o ano haverá mais mortos e mais críticas. A falta de “preocupação que vemos em muitos países pelo sofrimento e a exploração deste tipo de pessoas desesperadas é muito chocante”, afirmou o Alto Comissário para os Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, Zeid Ra’ad al-Hussein, no início de conversações sobre o…

Leia mais