Branco mau, preto bom?
Preto mau, branco bom?

Uma deputada do Bloco de Esquerda, Sandra Cunha, esteve no dia 25 de Janeiro de 2019 na manifestação de apoio aos moradores do bairro da Jamaica, no Seixal, distrito de Setúbal, onde defendeu que Portugal tem um “problema de racismo institucional”. Esqueceu-se, contudo, de também dizer que Portugal tem em alguns dos seus deputados um problema de nanismo intelectual e civilizacional, para além de um manifesto complexo de inferioridade. Por Orlando Castro “O combate à violência passa também pelo combate aos preconceitos, ao racismo, à xenofobia e nós sabemos que…

Leia mais

Governo não aprende

Já foi votada a nova lei que se inscreve no Plano de Reconciliação em Memória das Vítimas dos Conflitos Políticos. Mas o regime não se deixa ensinar pelos tumultos da história destes últimos 45 anos e criar as condições de reconciliação. Talvez o executivo devesse ouvir Nelson Mandela. Por José Marcos Mavungo (*) Esta quinta-feira, 21 de Maio, os deputados angolanos votaram a Lei do Regime Especial de Justificação de Óbitos ocorridos no país na sequência do longo conflito armado desde 1975, em especial dos crimes de Maio de 1977…

Leia mais

A metamorfose

Quando uma pessoa ou país chegam a meio da sua quarta (quarta não, quinta pois a primeira foi dos zero aos nove anos) década de vida, tem necessariamente que reflectir. Tenho eu, que tenho 45 anos, e tem Angola mais nova um ano. Mas como Angola “per si” (preferiria o itálico às aspas mas o livro de estilo do F8 assim determina) não se pode pronunciar eu – que não passo de um mero forasteiro pedante que jamais pôs os pés na África negra – taramelo pelos dois. Por Brandão…

Leia mais

Mandela e Dos Santos,
o gigante e o… pigmeu

O antigo Presidente da República sul-africano, Nelson Mandela, que nasceu a 18 de Julho de 1918, exortou vezes sem conta a Humanidade a criar um mundo melhor, com mais justiça e liberdade para todos. Pois. Seria bom. Seria sim senhor… José Eduardo dos Santos. O ex-presidente e Nobel da Paz, que passou 27 anos nas cadeias sul-africanas por ousar resistir ao regime de minoria branca, afirmou também por inúmeras vezes que “está nas nossas mãos criar um mundo melhor para todos os que nele vivem”. Recordam-se que José Eduardo dos…

Leia mais

O fantasma de Madiba

Hoje é “Dia Internacional Nelson Mandela pela Liberdade, Justiça e Democracia”. Para nós angolanos, sujeitos à tirania de um regime despótico, liberdade, justiça e democracia são pouco mais do que uma miragem. Mas a luta continua. Sua majestade o rei de Angola, José Eduardo dos Santos, enfrentou, isto é como quem diz, críticas por não ter decretado um dia de luto e não ter ido às exéquias de Nelson Mandela. Tudo sem razão. Afinal quem era, ou é, Madiba para que o Presidente angolano (paladino das liberdades e da reconciliação)…

Leia mais

Apartheid do MPLA escraviza angolanas

Uma bala / Um assassino / Um menino inocente / Uma morte / Foi o fim / Não! Por William Tonet Recolhido, fisicamente, nos braços de um desconhecido, a inanição de Hector Pieterson, ganhou outra vida nas vidas de outros carreiros da liberdade e avenidas do mundo democrático. O mundo deu-lhe direito à vida. Eterna! Sim! Porque Hector não foi subterrado pelas areias do Soweto, ergueu-se e caminhou, todos os dias, de 1976 – Joanesburgo, em direcção à escola, exigindo melhor ensino, fim da discriminação racial e liberdade, até o…

Leia mais

E o “escolhido de Deus”?

E o “escolhido de Deus”? - Folha 8

O embaixador emérito da Finlândia, Mikko Pyhälä. defendeu hoje, em Coimbra (Portugal), que Amílcar Cabral e Nelson Mandela foram os maiores pensadores e dirigentes políticos de África. M as o dirigente sul-africano não hesitava em afirmar que Amílcar Cabral tinha sido “o principal pensador e maior dirigente político do continente africano”, sublinhou o diplomata finlandês, que falava à margem da conferência “Entre a Finlândia e a Guiné. Mikko Pyhälä e Amílcar Cabral (1970-1971): Testemunho de um antigo dirigente da União Internacional de Estudantes (UIE)”. A comparação entre os dois nomes…

Leia mais

Mandela morreu há um ano

Mandela morreu há um ano - Folha 8

A África do Sul assina hoje com centenas de iniciativas o primeiro aniversário da morte de Nelson Mandela, o “pai fundador” da democracia e mítico líder da luta contra o regime segregacionista do ‘apartheid’. A cerimónia central da homenagem ao ex-presidente sul-africano — que morreu em Joanesburgo aos 95 anos, na sequência de prolongada doença respiratória — vai decorrer na sede do governo em Pretória, o ‘Union Buildings’. Na capital sul-africana, o vice-presidente, Cyril Ramaphosa, presidirá a uma celebração que inclui discursos e oferendas florais, com a participação de companheiros…

Leia mais

Primeiro aniversário da morte de Mandela

Portugal cria Prémio Nelson Mandela - Folha 8

O governo sul-africano vai promover em 05 de Dezembro, em Pretória, uma celebração oficial para assinalar o primeiro aniversário da morte de Nelson Mandela, anunciou a ministra do Desenvolvimento social citada pela agência oficial sul-africana SA News. A ministra Bathabile Dlamini precisou que as celebrações no Parque da Liberdade vão decorrer no primeiro aniversário do dia em que “Madiba” morreu na sua casa de Joanesburgo em 2013, e que permanece a principal referência da luta contra o antigo regime do ‘apartheid’. O objectivo consiste em “manter viva a sua memória”…

Leia mais

Eduardo dos Santos e Nelson Mandela

Eduardo dos Santos e Nelson Mandela - Folha 8

José Eduardo dos Santos enfrentou, isto é como quem diz, críticas por não ter decretado um dia de luto e não ter ido às exéquias de Nelson Mandela. Tudo sem razão. Afinal quem era, ou é, Madiba para que o Presidente angolano (paladino das liberdades e da reconciliação) se sentisse na obrigação de estar presente? Por Orlando Castro Sim, num continente onde Eduardo dos Santos é o maior, não fazia sentido a sua presença. Reconheça-se também que mandar o Vice-Presidente foi um acto magnânimo que os sul-africanos nunca esquecerão. A…

Leia mais