Dívida pública? Tudo (+ou-) normal. Apenas 104% do PIB

A agência de notação financeira Moody’s considera que a dívida pública de Angola deve atingir um pico de 104% do Produto Interno Bruto este ano, antevendo um regresso ao crescimento em 2020, com uma expansão de 1,5%. No mais recente relatório de análise da economia de Angola enviado aos investidores, a agência de “rating” escreve que “o perfil de crédito de Angola é limitado por uma deterioração significativa das métricas da dívida nos últimos anos, com a dívida a dever atingir um pico de 104% do PIB este ano”. No…

Leia mais

Eleições autárquicas só
e quando o MPLA quiser

O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, coloca – mais uma vez – o dedo na ferida e afirma que “nos círculos do poder, a euforia à volta das autarquias abrandou de tal forma que os angolanos começaram a duvidar da vontade política do Estado de implementar as autarquias em 2020”. O processo de preparação para a prometida concretização de autarquias locais em Angola está em curso e poderá estar concluído até 2021, anunciava em 15 de Novembro de 2016, em Luanda, o então vice-Presidente de Angola. Manuel Vicente discursava na…

Leia mais

Minas (ainda) andam por aí

Verbas do Orçamento Geral do Estado diminuíram, assim como financiamento internacional. Estima-se que existam em Angola entre 40 a 60 mil vítimas de minas, número que o Governo quer apurar com mais rigor mas que, certamente, precisam do reforço orçamental que o Executivo diz não ter. Angola tem ainda mais de mil campos minados para eliminar, mas perdeu cerca de 90% do seu financiamento internacional para combater o flagelo, o que torna mais difícil cumprir a meta de libertar o país destes engenhos até 2025. Sucedem-se, aliás, as metas, as…

Leia mais

No não pagar é que está o ganho? Assim é mesmo fácil

Setenta e cinco projectos, dos 77 financiados pelo Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) na província da Huíla, estão com o prazo de liquidação do financiamento vencido, segundo o presidente do Conselho de Administração do banco, Abraão Gourgel, o que corresponde a um saldo em dívida de 12 mil e 384 milhões de Kwanzas. Abraão Gourgel fez esta revelação durante um encontro que manteve com empresários locais a propósito das formas mais práticas de implementar as linhas do BDA e informações sobre o programa do governo de apoio ao crédito,…

Leia mais

Todos fiam, fiam. Chato vai
ser quando vierem cobrar

Pelo menos 7.200 jovens angolanos foram formados nos últimos dez anos no âmbito de um programa de cooperação técnica entre os Governos de Angola e do Japão, nomeadamente no domínio da electricidade e construção civil. Segundo o ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Jesus Maiato, o país “precisa de cooperação que deixam marcas de inteligência e mais-valia nos cérebros dos angolanos”, aludindo à parceria com o Governo do Japão. “Agradecer o empenho das partes por termos esses resultados que se consubstanciam na formação nesse período de 7.200 formados,…

Leia mais

Sem engenho nem arte

O vice-presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), Mateus Magala, disse hoje que o conjunto de projectos que serão analisados em Angola no âmbito do Compacto Lusófono chega aos 2 mil milhões de dólares. Ainda alguém se lembra do Observatório Luso-Angolano? “O que foi acordado é que Portugal disponibiliza 400 milhões de euros para prestar garantias aos projectos co-financiados pelo BAD e pelos países, o que significa que podemos fazer uma alavancagem financeira de quatro a sete vezes, ou seja, dos 400 milhões de euros disponíveis em garantias estamos a…

Leia mais

Despejar dinheiro sobre
a crónica incompetência

O representante permanente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em Luanda diz que as duas principais vantagens do Compacto Lusófono para Angola são a assistência técnica e o acesso a financiamento mais barato. Que melhor poderá querer o Governo? Fiado mais barato? Vamos a isso, rapidamente de em força. “A ngola pode beneficiar do Compacto no sentido em que pretende ajudar na capacitação do sector privado para a preparação e articulação de projectos, ajudando a apresentar projectos bancáveis, portanto em termos de assistência técnica é muito importante”, disse Joseph Ribeiro,…

Leia mais

Quem será a “mulher”?
Ou é casamento “gay”?

O Banco Mundial (BM) e o Presidente angolano defenderam hoje que as duas entidades “devem casar” para que se torne “mais eficaz” a ajuda à implementação das políticas económicas em curso em Angola, disse um representante da instituição financeira, rendido aos encantos do consorte. “C onversámos sobre como o BM pode contribuir da melhor forma possível para o Governo de Angola. Estamos muito impressionados com a política económica que está a ser seguida e o termo que foi usado pelo Presidente, e por nós, é que vamos fazer um casamento…

Leia mais

Pirueta para EUA verem?
Avisos à China via Rússia

Angola vai deixar de oferecer petróleo como garantia das linhas de crédito negociadas com outros estados, nomeadamente a China, Brasil e Israel, disse o presidente João Lourenço à agência noticiosa russa TASS. Hum! Aqui há gato angolano. E no caso da China, o rabo ficou de fora e está pintado a vermelho, azul e branco, com 13 listas e 50 estrelas… “O volume [de aprovisionamento de petróleo] tem disso elevado nos últimos anos porque Angola negociou créditos com a China para a construção de estradas, pontes e outras infra-estruturas. O…

Leia mais

Quem vier atrás que feche
a porta (se ainda existir)!

O vice-presidente do Banco Mundial (BM) para Região de África, Hafez Ghanem, visita Angola de quarta a sexta-feira para analisar as reformas do Governo e verificar a evolução dos projectos, indica um comunicado oficial da instituição financeira. Dinheiro não falta. E como será quando for preciso pagar os juros? Aí se verá, responderá o governo. Pela primeira vez em Angola na qualidade de responsável máximo do BM a nível regional, Hafez Ghanem vai verificar a evolução da implementação da carteira de projectos financiados por esta instituição de Bretton Woods, a…

Leia mais