ANGOLA QUEIMA LIAMBA (MAS) RUANDA AUTORIZA 

Angola tem vindo a passar por situação de grande instabilidade, incerteza e um caos generalizado onde as discussões giram sempre em torno de questões irrelevantes e as soluções surgem como propostas demagogas e autoritárias, é um verdadeiro desgoverno de fazer inveja aos tempos conturbados de João Lourenço. Por mais que autoridades e pesquisas científicas sigam a alertar sobre os danos à saúde causados pelo uso intensivo de liamba, a planta existe e é consumida no país. Por Elias Muhongo crise na sociedade angolana é generalizada, do lado político não se…

Leia mais

DEVANEIOS DE PLÁSTICO CONTRA OS PLÁSTICOS

A organização ambientalista EcoAngola disse hoje que a elaboração do Plano Nacional de Banimento dos Plásticos pode demonstrar interesse na resolução do problema, mas receia que “se torne apenas mais uma intenção”. m causa está (como o Folha 8 revelou ontem) o grupo de trabalho, criado pelo Presidente angolano, para elaborar um Plano Nacional de Banimento dos Plásticos para “fazer face à degradação ambiental” e regular o modo de produção e utilização destes produtos. Num documento da EcoAngola sobre a criação do plano, a organização ambientalista realça que há mais…

Leia mais

Pobres aplaudem luta contra tráfico de drogas

O presidente do Parlamento (do MPLA), Fernando da Piedade Dias dos Santos “Nandó”, considerou hoje que a luta contra o tráfico e uso de drogas lícitas ou ilícitas constitui um “enorme desafio” para o país, sobretudo no domínio da “segurança dos cidadãos”. Tem razão, gritaram em uníssono os 20 milhões de angolanos pobres. “P ara o nosso país, esses desafios têm a ver com a segurança dos cidadãos, com o desenvolvimento das nossas comunidades, com a justiça e a saúde das nossas populações”, afirmou Fernando da Piedade Dias dos Santos,…

Leia mais

É preocupante o aumento de preços devido ao IVA

O Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) angolano admitiu hoje que continua “preocupante” a situação do aumento de preços, que se verifica no país desde a aplicação do Imposto sobre Valor Acrescentado (IVA), no princípio do mês. Como o Governo garante que isso não é possível, não será oportuno o Presidente da República exonerar o Titular do Poder Executivo? De acordo com o chefe de departamento de apoio ao consumidor e de resolução de litígios, Wuassamba Neto, de 1 a 25 deste mês, o instituto recebeu 1.155 denúncias de…

Leia mais

A falta de água mostra o mau estado deste Estado

Luanda está a enfrentar desde domingo restrições ao abastecimento de água devido a “questões técnicas” e com a “reduzida capacidade de produção”, explicou hoje a empresa pública. Se a isso se juntar os problemas com o fornecimento de energias ficamos a saber o (mau) estado em que o Estado está. Segundo o porta-voz da Empresa Pública de Água de Luanda (EPAL), Waldemir Bernardo, a empresa produz em média 500 mil metros cúbicos de água por dia, enquanto a necessidade de abastecimento de Luanda está acima de um milhão, para uma…

Leia mais

Cuidado! Há muitos produtos suspeitos

As autoridades angolanas advertiram hoje que em cada 10 produtos suspeitos e analisados a nível laboratorial três são “impróprios para o consumo humano”, nomeadamente “frescos e lacticínios”, tendo apelado à sociedade para “atenção redobrada”. A informação foi transmitida à RNA pelo director-geral do Laboratório Nacional de Controlo da Qualidade de Angola, José Alberto Sofia, que indicou que a instituição recebe por semana 10 amostras de produtos consumíveis, sobretudo do mercado formal, suspeitos e que “34% são confirmados como impróprios”. Segundo José Alberto Sofia, que se diz “preocupado” com a situação,…

Leia mais

Arroz só mesmo importado (Presidente não é culpado!)

Angola está a consumir uma média anual de 400 mil toneladas de arroz, produzindo apenas 25 mil toneladas, correspondente a 6% do total, importando o restante cereal, indicou hoje o director nacional da Agricultura do país. Na Província do Moxico, na última fase do período colonial português, chegaram a produzir-se 270 mil toneladas anuais de arroz… José Carlos Bettencourt, que falava em Luanda num fórum sobre agronegócios, salientou que também a soja está nas mesmas circunstâncias: Angola produz apenas 30 mil toneladas, para necessidades estimadas entre 220 e 230 mil…

Leia mais

Quebra de 340 milhões
na venda de petróleo

Angola registou uma quebra de 340 milhões de dólares (300 milhões de euros) na comercialização do petróleo bruto no terceiro trimestre de 2018, face ao anterior, período em que exportou 130,5 milhões de barris, informou hoje o Governo. De acordo com o director Nacional de Mercado e Promoção da Comercialização do Ministério dos Recursos Mineiras e Petróleos de Angola, Gaspar Sermão, que falava num evento de apresentação de dados sobre o sector petrolífero angolano, que decorreu hoje em Luanda, o preço médio ponderado do barril foi de 74,9 dólares, tendo…

Leia mais

Taxa única de IVA (14%). Bens essenciais ficarão isentos

O Governo angolano propõe aplicar uma taxa única de 14% na introdução no país do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) a partir de 2019, mas prevê a isenção para produtos da cesta básica, combustíveis ou medicamentos. O IVA é um imposto geral que incide sobre o consumo de bens e serviços, em taxas variáveis e nas várias fases do circuito económico. Incide, por isso, sobre o consumo de produtos, serviços, importações e transacções comerciais. Na prática, a cobrança do IVA tem lugar quando uma empresa vende um produto ou…

Leia mais

O álcool rende impostos
e acalma almas famintas

O imposto sobre o consumo de cerveja em Angola deverá crescer acima dos 70% em 2018, face ao ano anterior, rendendo globalmente, na previsão do Governo, mais de 54.119 milhões de kwanzas (215 milhões de euros). Os dados resultam da proposta de lei do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2018, em discussão no Parlamento, e contrastam com o valor orçamentado pelo Governo para o ano anterior, que foi de 31.732 milhões de kwanzas (126 milhões de euros). Este encaixe divide-se entre a aplicação do imposto ao consumo de cerveja…

Leia mais