Diamantes na… agro-indústria

A Endiama, diamantífera estatal angolana, e a RGS Holding, empresa privada, vão investir mais de quatro mil milhões de dólares (3,3 mil milhões de euros), em projectos agro-industriais em três províncias do leste de Angola. Espera-se, com a ingenuidade que nos é genética, que não aconteça com os projectos em que se investiram milhões para produzir mandioca e em que a colheita revelou a produção de carros. Na sua intervenção, no acto de assinatura do acordo, o ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, Diamantino de Azevedo, disse…

Leia mais

Mano, estás enganado!

O meu Amigo e velho companheiro dos bancos da escola, Paulo Lukamba Gato, raramente se engana. Mas, agora, ao comentar o plano estratégico do regime para combater o líder da UNITA, enganou-se. O Mais Velho dele, e também meu, continua a ter razão. De facto, “estamos a dormir e o MPLA está a enganar-nos”. Por Orlando Castro «O que me deixa tranquilo no entanto, é que contrariamente aos exemplos atrás citados, no contexto actual já não há partidos políticos armados. Hoje os instrumentos de luta são a argumentação política e…

Leia mais

Mandioca ao poder, já!

O Governo angolano escolheu o polo de Cacuso, na província de Malanje, para lançar o processo de industrialização da mandioca, com foco na produção de amido. A informação foi hoje avançada pelo ministro da Indústria e Comércio de Angola, Victor Fernandes, à margem de um ‘webinar’ sobre “As Oportunidades e desafios na Cadeia de Valor da Mandioca em Angola”, que contou com participação de especialistas nacionais, do Brasil, da Argentina e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Victor Fernandes referiu que há cerca de um ano…

Leia mais

O mandiocal do MPLA

Angola tem uma produção anual estimada em mais de 11 milhões de toneladas de mandioca, sendo hoje o terceiro maior produtor de África, depois da Nigéria e o Gana, e quer apostar na sua transformação em amido. Quer? Não basta querer. É preciso fazer. Em Outubro de 2019 o secretário de Estado da Economia, Sérgio Santos, dizia que Angola era o segundo maior produtor da mandioca em África… Uma nota do Ministério da Indústria e Comércio referiu que o executivo angolano está apostado em criar programas de aproveitamento e agregação…

Leia mais

Lagosta ou mandioca?

A UNITA, maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, mostrou-se preocupada com a “partidarização” da comunicação social e recomendou a “reprivatização” urgente dos órgãos privados que passaram para as mãos do Estado. Talvez o MPLA alinhe. Mas, quiçá, para o fazer quererá que os dirigentes de UNITA deixem as lagostas e regressem à mandioca. Estarão eles dispostos a isso? Em declarações à Lusa após uma conferência de imprensa da UNITA sobre o estado democrático em Angola, 28 anos após as primeiras eleições gerais, a…

Leia mais

Garnisé Negro interpreta letra e música do… MPLA

A UNITA, maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, diz que o Orçamento Geral do Estado (OGE) revisto para 2020 “não tem pressupostos” que visam diminuir a trajectória económica negativa que o país regista há cinco anos. Se fosse Jonas Savimbi a fazer a análise diria que a trajectória económica negativa dura há 45 anos. A economia angolana regista recessão nos últimos anos e no OGE revisto para 2020, aprovado na quinta-feira na generalidade pelo Parlamento angolano onde desde sempre o MPLA tem maiorias…

Leia mais

Galo não voa mas cacareja

O grupo parlamentar da UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, vai exigir (isto é como quem diz) a constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para analisar o “desaparecimento” de 400 milhões de kwanzas (586 mil euros) do Banco de Poupança e Crédito (BPC). “N este momento o país está a viver um problema sério, desapareceram mais de 400 milhões de kwanzas no BPC e vamos exigir da Assembleia Nacional a constituição de uma comissão de inquérito. Seria incoerência da…

Leia mais

Oposição tem memória?

Estávamos no início de 2012. A UNITA, através de Adalberto da Costa Júnior, afirmou ao Folha 8 não haver nenhum pacto secreto com o MPLA. Nessa altura ficámos com a ideia de que apenas se registara um fenómeno africano: a mangueira deu loengos. As dúvidas estavam patentes no processo de devolução do património da UNITA, confiscado pelo governo durante o conflito armado e que constam, entre outras cláusulas, da rendição do Galo Negro, também chamada de Acordos de paz entre as partes. O calibre dos negociadores de um pacote de…

Leia mais

Adalberto, salve o que resta. Honre Jonas Savimbi!

Depois de ter admitido de que era um “candidato natural” à liderança da UNITA, o general Paulo Lukamba “Gato” decidiu não avançar com a sua candidatura. Com a “desistência” de Gato, nem mesmo a candidatura do general Abílio Kamalata Numa evitou que hoje se escrevesse o último capítulo da UNITA do Muangai, da UNITA de Jonas Savimbi. A tal UNITA que o Mais Velho dizia não se definir mas, apenas e só, sentir-se. Por Orlando Castro Numa das suas mais recentes intervenções o general “Gato” depois de se referir à…

Leia mais

A UNITA, a lagosta, a mandioca e as bitacaias

Quatro dirigentes da UNITA, Alcides Sakala, Kamalata Numa, José Pedro Catchiungo e Raul Danda formalizam esta segunda-feira a sua candidatura à liderança do partido, segundo a comissão organizadora do XIII Congresso Ordinário do partido. Na corrida já estava Adalberto da Costa Júnior. Depois do deputado e porta-voz do grupo parlamentar, Adalberto da Costa Júnior, na sexta-feira, entregam esta segunda-feira as candidaturas mais quatro dirigentes: o deputado Alcides Sakala, porta-voz e secretário para as relações internacionais da UNITA, o general na reserva e membro do Comité Permanente da Comissão Política, Kamalata…

Leia mais