Generais em prontidão (genocida)

O chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Furtado, acusa os partidos da oposição de criar insegurança e terror em Angola para forçar o adiamento das eleições gerais. Oposição devolve acusações ao general e ao MPLA. Mais. O que leva o responsável pela Casa de Segurança a meter a foice em seara supostamente alheia? Hum! Cheira a esturro. O general Francisco Furtado, chefe da Casa de Segurança do Presidente da República de Angola, pede (ordena) “prontidão” às Forças Armadas Angolanas (FAA) face à “estratégia errada e irresponsável”…

Leia mais

Mais caranguejos na rede

A Procuradoria-Geral da República (PGR) angolana deteve mais de 20 oficiais, entre os quais o comandante da Casa de Segurança do Presidente da República na província do Cuando Cubango. Por este andar, ainda vai ser “detido” o próprio titular da Cada de (in)Segurança, João Lourenço. Estas detenções, realizada no âmbito da operação “Caranguejo”, iniciada na sequência da detenção, em Luanda, de um major da Casa de Segurança do Presidente da República, encontrado com carradas de somas monetárias em euros, dólares e kwanzas, guardadas em malas na sua residência, foram confirmadas…

Leia mais

Ladrão que rouba ladrão…

Vinte e quatro militares afectos à Casa de Segurança do Presidente da República de Angola, João Lourenço, incluindo o major Pedro Lussaty, estão impedidos de sair do país por determinação da Procuradoria-Geral da Republica. Para o MPLA, assistir aos roubos e beneficiar dos roubos não faz de ninguém ladrão. Ladrão mesmo é só aquele rouba uma galinha para alimentar os filhos. Entre os 24 nomes, que constam da interdição de saída enviada a todos os órgãos provinciais do Serviço de Migração e Fronteiras (SME), incluem-se ainda um tenente general das…

Leia mais

O melhor mesmo é premiar os gatunos

O grupo parlamentar da UNITA, o maior partido da oposição que o MPLA ainda permite que exista em Angola, exigiu hoje a demissão do governador do Banco Nacional de Angola (BNA), devido ao escândalo financeiro que envolve oficiais da Casa de Segurança do Presidente da República, João Lourenço. Em conferência de imprensa, o partido exige também a demissão da responsável da Unidade de Informação Financeira, bem como a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito ao banco central angolano e ao Ministério das Finanças, para se determinar a extensão das…

Leia mais

Quem rouba é, ou não, ladrão?

Partidos políticos da oposição angolana condenaram hoje o “escândalo financeiro” que envolve oficiais superiores ligados à Presidência da República, pedindo “responsabilização exemplar” dos implicados, enquanto o MPLA garante que “o combate à corrupção vai continuar, doa a quem doer”. Por alguma razão João Lourenço afirmou que viu roubar, participou nos roubos, beneficiou dos roubos mas que não é… ladrão. “Estamos perante uma situação bastante grave, uma situação que vai afectar a reputação de Angola no ponto de vista económico e financeiro, porque não é admissível que avultadas somas financeiras fiquem…

Leia mais

Sebastião já era, Furtado “regressa”

O Presidente angolano, João Lourenço, exonerou esta segunda-feira o chefe da sua Casa de Segurança e ministro de Estado, general Pedro Sebastião, nomeando para o seu lugar o antigo chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, general Francisco Pereira Furtado. Exoneração acontece uma semana depois de ser tornado público o envolvimento de oficiais generais da FAA afectos à Casa de Segurança do Presidente, num crime de peculato (roubo, ladroagem) de milhões de dólares e euros. Além de Pedro Sebastião, o Presidente angolano decidiu fazer outras mudanças nos seus serviços…

Leia mais

Choça com (todos) eles!

O Banco Nacional de Angola (BNA) confirmou que o dinheiro encontrado na posse de um oficial das Forças Armadas Angolanas, e que pertencia à Casa de Segurança do Presidente João Lourenço, saiu de um banco comercial, sem revelar a identidade do banco. Por outras palavras, o BNA revelou que o país é uma espécie de casa da mãe-joana onde vale (quase) tudo. O escândalo multimilionário envolvendo valores em dólares e em euros voltou a abalar os angolanos (20 milhões dos quais passam fome às segundas, quartas e sextas, às terças,…

Leia mais

Afinal quem deixou os cofres vazios?

O oficial das Forças Armadas de Angola afecto à Casa de Segurança da Presidência da República de Angola, Pedro Lussaty, com a ajuda de outros generais, é dono de 45 imóveis, dos quais uma penthouse em Talatona, cinco apartamentos em Lisboa, um apartamento na Namíbia, dois iates de luxo, tinha em seu poder 19 malas abarrotadas de dólares, euros e kwanzas, duas dezenas de relógios de luxo revestidos de diamantes e ouro rosa e 15 viaturas topo de gama. Afinal quem deixou os cofres vazios? O ex-Presidente angolano e Presidente…

Leia mais

Caranguejo(la) “made in” MPLA

No âmbito da “Operação Caranguejo”, o Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve o major Pedro Lussaty, oficial das Forças Armadas Angolanas (FAA), afecto à Casa de Segurança do Presidente da República, João Lourenço, e descobriu que o militar é dono de 45 imóveis, dos quais uma penthouse no Talatona, cinco apartamentos em Lisboa, um apartamento na Namíbia; dois iates de luxo, dezanove malas abarrotadas de dólares, euros e kwanzas, duas dezenas de relógios de luxo revestidos de diamantes e ouro rosa e quinze viaturas topo de gama e comprovativos de…

Leia mais

Quando o Messias em vez de ser a solução é o problema

A campanha nacional e internacional (pelo menos) de divulgação dos feitos do Executivo angolano, liderado pelo Presidente do MPLA, da República e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, vai de queda em queda até à queda final. As mais recentes maçãs podres descobertas estão nas próprias Forças Armadas, cujos mais altas patentes estavam afectas à Casa de Segurança da actual Presidência da República de João Lourenço. Em Angola, o MPLA é governo há 45 anos e João Lourenço, há quase quatro anos no Poder, afirmou logo ao fim de 13…

Leia mais