Mesmo sem votar, os angolanos já “votaram” no MPLA

A voz da porta do MPLA, eufemisticamente designado porta-voz ou secretário do Bureau Político do MPLA para a Informação, Hidulika Kambami (Albino Carlos, em português) manifestou-se confiante na vitória do seu partido nas próximas eleições gerais em Angola, agendadas para 2022. “O povo angolano vai renovar o seu voto de confiança no MPLA”, disse em entrevista ao site “Fonte de Notícias”. Em relação ao possível entendimento entre a UNITA (partido dirigido, segundo os sipaios do MPLA, por um estrageiro), o Bloco Democrático e o PRA-JA, Hidulika Kambami disse que essa…

Leia mais

Só não será 100% se não quiserem!

Maio de 2012. Mesmo antes da votação de 31 de Agosto desse ano já Eduardo dos Santos definira a amplitude da vitória do MPLA. O resto era só para compor o ramalhete. Os anos passaram mas no essencial tudo continua na mesma. Será isso sinónimo de estabilidade? O secretário do Bureau Político do MPLA para a Informação, Rui Falcão Pinto de Andrade, disse ao jornalista Peter Wonacott (“The Wall Street Journal”) que “o fantasma da fraude, ou de qualquer outra coisa, advém daqueles que sabem, antecipadamente, que não têm capacidade…

Leia mais

Eleições autárquicas para quê?

O Presidente do MPLA (partido no Poder em Angola há 45 anos), também Presidente da República (não nominalmente eleito) e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, diz que este não é ainda o tempo para realizar as primeiras eleições autárquicas em 45 anos de independência e promete uma profunda renovação do partido no Congresso de 2021, ano em que a máquina eleitoral deverá estar afinada para, como sempre, dar a vitória ao… MPLA. Por Norberto Hossi No discurso de comemorações dos supostos 64 anos do Movimento Popular de Libertação de…

Leia mais

Não será preciso votar.
O MPLA votará por nós!

O MPLA, partido no poder em Angola desde 1975, disse hoje que “não tem medo” das eleições autárquicas, previstas para 2020, afirmando ser “o mais interessado”, enquanto a UNITA admite vontade política para as autarquias, defendendo “respeito de opiniões contrárias”. Claro que não tem medo. Nesta altura talvez até já pudesse divulgar os resultados eleitorais… “Nas eleições de 2017, dos 164 municípios do país o MPLA ganhou 156, isto é para ter medo? O MPLA é um partido de consenso, é uma máquina que trabalha, prepara muito bem, não tem…

Leia mais

Também é preciso caçar marimbondos da oposição

O MPLA aprovou a estratégia para as primeiras eleições autárquicas angolanas, em 2020, no qual definiu o perfil dos candidatos que se apresentem à votação. A ideia é mesmo erradicar os marimbondos da Oposição que, apesar de muito fraquinha, de vez em quando ainda… pica. No quadro deste “pacote”, o Comité Central recomendou às estruturas do partido que tenham em atenção os Estatutos do MPLA e regulamentos vigentes, “acautelando a organização, a disciplina, a transparência, o rigor, a objectividade e a previsibilidade em todo o processo de modo a salvaguardar…

Leia mais

Mais umas (boas) doses de esteróides anabolizantes

O novo líder (mais do que) absoluto do MPLA e de Angola, João Manuel Gonçalves Lourenço, acaba de ser consagrado como o novo e exclusivo “senhor disto tudo”, mas de tudo o que o seu discurso encerrou de lugares comuns, ressaltou, na positiva, pela primeira vez, a existência dos pais fundadores do MPLA. “Agradeço aos militantes ter sido eleito”, na realidade, nomeado, o 5.º presidente do MPLA, depois do primeiro, Ilídio Tomé Alves Machado, Mário Pinto de Andrade, Agostinho Neto e José Eduardo dos Santos. Gesto louvável, que deita por…

Leia mais

FLEC? “Isso” (ainda) existe?

O pastor Anny Kitembo (foto), vice-presidente da Frente de Libertação do Estado de Cabinda/Forças Armadas de Cabinda (FLEC-FAC) foi exonerado por exigência do estado-maior, por “desrespeitar a hierarquia” de comando e de utilizar “abusivamente” do cargo que ocupava, anunciou a organização. A história repete-se e o fim da resistência ao domínio de Angola está próximo. Por Orlando Castro “O chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, mente sobre o que se passa em Cabinda”. Quem terá dito estas aleivosias? Foi em Maio de 2004. Um alto dirigente da FLEC…

Leia mais

Quantum: Um – JLo: Zero

O Grupo Quantum Global e seu fundador, Jean Claude Bastos de Morais, venceram nesta na segunda-feira o processo sobre a ordem de congelamento mundial do Supremo Tribunal Inglês, que concluiu que advogados do Fundo Soberano de Angola enganaram o tribunal quando assegurou o despacho três meses antes. O tribunal impôs a ordem inicial de congelamento de 3 bilhões USD em Abril, depois que Norton Rose Fulbright, agindo pelo Fundo Soberano de Angola (FSDEA), disse ao tribunal que os fundos sob administração da Quantum corriam o risco de serem dissipados como…

Leia mais

JLo na “pole position”
(é o único candidato)

O congresso extraordinário do MPLA de Setembro terá como ponto único da agenda de trabalhos a conclusão do “processo de transição política na presidência” do partido com a eleição de João Lourenço, anunciou hoje o secretário-geral, Paulo Kassoma. O anúncio foi feito em Ondjiva, capital da província do Cunene, sul de Angola, no acto central de apresentação da convocatória ao VI congresso extraordinário do partido no poder que, a 8 de Setembro, deverá reunir 2.591 delegados, marcando a saída de José Eduardo dos Santos, ao fim de 39 anos, da…

Leia mais

Servilmente Portugal diz:
Seja feita a vossa vontade!

A anedótica e criminosa decisão portuguesa sobre o processo contra Manuel Vicente nem aos vendedores lusos de vaselina agradou. Dizem que os políticos portugueses já estão de tal modo habituados que já não precisam desse produto… Enquanto isso, o Governo angolano manifestou agrado por a Justiça portuguesa ter decido a transferência para Angola do processo que envolve o ex-vice-Presidente Manuel Vicente, arguido na Operação Fizz enquanto Presidente do Conselho de Administração da Sonangol. A posição do MPLA/Estado foi expressa pelo ministro da Justiça e dos Direitos Humanos de Angola, Francisco…

Leia mais