A VITÓRIA (FINAL) ESTÁ A CHEGAR

Adalberto da Costa Júnior, no primeiro encontro enquanto líder da UNITA com o Presidente angolano, João Lourenço, pediu a devolução do património do seu partido, “nunca cumprida”, e que estava prevista nos acordos de paz. “Foi uma boa conversa, uma conversa aberta a que esperamos dar continuidade futura no sentido de criarmos confiança e diálogo, mesmo quando possa haver leituras divergentes, para que tenhamos oportunidade de encontrar momentos de aproximação”, disse Adalberto da Costa Júnior, após a longa audiência de cerca de hora e meia na Cidade Alta, em Luanda.…

Leia mais

“EU SOU ANGOLA, ANGOLA SOU EU”

De acordo com o MPLA (através da sua sucursal CNE – Comissão Nacional Eleitoral) o MPLA venceu as eleições em Angola com 51% dos votos contra 44% da UNITA. João Lourenço “explicou” que, como esperado: “Eu sou Angola, Angola sou eu”. Por Orlando Castro Em Dezembro de 2018, na segunda conferência de Imprensa colectiva do seu mandato (na altura os jornalistas ainda não tinham de mandar antecipadamente as perguntas), o Folha 8 questionou o Presidente João Lourenço. O nosso Director (“amigo William Tonet” na terminologia então usada pelo Presidente) abordou…

Leia mais

HERÓICO VOO DO GALO NEGRO NÃO FOI SUFICIENTE

O MPLA venceu as eleições gerais de Angola com 51,07%, seguido da UNITA com 44,05% dos votos, divulgou a Comissão Nacional Eleitoral (CNE) de Angola, quando estavam escrutinadas 97,3% das mesas de voto. Os resultados provisórios foram divulgados hoje pelo porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Lucas Quilundo, numa altura em estavam escrutinadas 97,3% das mesas de voto, pelo que não deverá haver alterações substanciais, adiantou. O MPLA elege 124 deputados e a UNITA fica com 90 assentos parlamentares. A histórica FNLA, o Partido de Renovação Social e o estreante…

Leia mais

MPLA ACEITARÁ OS RESULTADOS (DA VITÓRIA, É CLARO!)

O líder do MPLA, João Lourenço, disse hoje que o seu partido vai “aceitar e respeitar” os resultados que a Comissão Nacional Eleitoral (CNE/MPLA) divulgar sobre as eleições de 24 de Agosto em Angola. Claro que vai aceitar porque quem já decidiu a percentagem da vitória foi o MPLA, e a vitória é certa. O Presidente angolano e cabeça-de-lista às eleições gerais do MPLA, no poder desde 1975, considerou que os resultados “provisórios e depois os definitivos, quaisquer que sejam esses, devem ser respeitados pelos candidatos”. Claro que devem se…

Leia mais

O REI SABE QUE JÁ ESTÁ NO PAPO

O líder do MPLA, partido no poder em Angola há 46 anos, Presidente da República (não nominalmente eleito), Titular do Poder Executivo e Comandante-em-Chefe das Forças Aramadas, João Lourenço, disse hoje que a oposição está fragilizada, por isso recorre a “golpes baixos”, como mobilizar jovens para vandalizar bens públicos e privados. E se ele o diz… a razão da força dos seus sipaios já está de prevenção activa. “Eles estão fragilizados, estão a dar sinais evidentes de que estão fragilizados, quando alguém recorre a golpes baixos é porque está fragilizado,…

Leia mais

Mesmo sem votar, os angolanos já “votaram” no MPLA

A voz da porta do MPLA, eufemisticamente designado porta-voz ou secretário do Bureau Político do MPLA para a Informação, Hidulika Kambami (Albino Carlos, em português) manifestou-se confiante na vitória do seu partido nas próximas eleições gerais em Angola, agendadas para 2022. “O povo angolano vai renovar o seu voto de confiança no MPLA”, disse em entrevista ao site “Fonte de Notícias”. Em relação ao possível entendimento entre a UNITA (partido dirigido, segundo os sipaios do MPLA, por um estrageiro), o Bloco Democrático e o PRA-JA, Hidulika Kambami disse que essa…

Leia mais

Só não será 100% se não quiserem!

Maio de 2012. Mesmo antes da votação de 31 de Agosto desse ano já Eduardo dos Santos definira a amplitude da vitória do MPLA. O resto era só para compor o ramalhete. Os anos passaram mas no essencial tudo continua na mesma. Será isso sinónimo de estabilidade? O secretário do Bureau Político do MPLA para a Informação, Rui Falcão Pinto de Andrade, disse ao jornalista Peter Wonacott (“The Wall Street Journal”) que “o fantasma da fraude, ou de qualquer outra coisa, advém daqueles que sabem, antecipadamente, que não têm capacidade…

Leia mais

Eleições autárquicas para quê?

O Presidente do MPLA (partido no Poder em Angola há 45 anos), também Presidente da República (não nominalmente eleito) e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, diz que este não é ainda o tempo para realizar as primeiras eleições autárquicas em 45 anos de independência e promete uma profunda renovação do partido no Congresso de 2021, ano em que a máquina eleitoral deverá estar afinada para, como sempre, dar a vitória ao… MPLA. Por Norberto Hossi No discurso de comemorações dos supostos 64 anos do Movimento Popular de Libertação de…

Leia mais

Não será preciso votar.
O MPLA votará por nós!

O MPLA, partido no poder em Angola desde 1975, disse hoje que “não tem medo” das eleições autárquicas, previstas para 2020, afirmando ser “o mais interessado”, enquanto a UNITA admite vontade política para as autarquias, defendendo “respeito de opiniões contrárias”. Claro que não tem medo. Nesta altura talvez até já pudesse divulgar os resultados eleitorais… “Nas eleições de 2017, dos 164 municípios do país o MPLA ganhou 156, isto é para ter medo? O MPLA é um partido de consenso, é uma máquina que trabalha, prepara muito bem, não tem…

Leia mais

Também é preciso caçar marimbondos da oposição

O MPLA aprovou a estratégia para as primeiras eleições autárquicas angolanas, em 2020, no qual definiu o perfil dos candidatos que se apresentem à votação. A ideia é mesmo erradicar os marimbondos da Oposição que, apesar de muito fraquinha, de vez em quando ainda… pica. No quadro deste “pacote”, o Comité Central recomendou às estruturas do partido que tenham em atenção os Estatutos do MPLA e regulamentos vigentes, “acautelando a organização, a disciplina, a transparência, o rigor, a objectividade e a previsibilidade em todo o processo de modo a salvaguardar…

Leia mais