PORTUGAL MANTÉM, COBARDEMENTE, CABINDA DEBAIXO DO TAPETE

Praticamente desde que aterrou em Díli que fotos e vídeos do Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, inundaram as redes sociais com milhares de comentários, entre os quais se destacam as comparações com o líder histórico timorense, Xanana Gusmão. É o espectáculo habitual. Dois pesos e duas medidas “made in Portugal”. Cabinda continua debaixo do tapete putrefacto dos areópagos portugueses. “É o avô Nana de Portugal”, pode ler-se em vários comentários aos vídeos e fotos de Marcelo Rebelo de Sousa nos contactos com a população, e que levaram a que…

Leia mais

DE XANANA GUSMÃO A MAX STAHL

Timor-Leste assinala hoje 20 anos do fim da ocupação indonésia. No dia 12 de Novembro de 1991, o exército indonésio disparou sobre manifestantes que homenageavam um estudante morto pela repressão no cemitério de Santa Cruz, em Díli. Mais de 300 pessoas foram mortas no local. O jornalista britânico e timorense Max Stahl filmou o massacre de Santa Cruz. Max Stahl morreu a 27 de Outubro do ano passado. Por Orlando Castro Condecorado com o Colar da Ordem da Liberdade, o mais alto galardão que pode ser dado a um cidadão…

Leia mais

FINANCIAR MEDICAMENTOS E MINISTRAR PLACEBOS

O PACED – Projecto de Apoio à Consolidação do Estado de Direito tem por objectivo contribuir para a afirmação e consolidação do Estado de Direito nos PALOP/Timor-Leste, através da prevenção e luta contra a corrupção, branqueamento de capitais e crime organizado, especialmente tráfico de estupefacientes. A corrupção, lavagem de dinheiro e crime organizado, especialmente o tráfico de produtos estupefacientes, são flagelos presentes em todas as sociedades, cujos recursos humanos, institucionais e financeiros enfrentam grandes desafios para lidar eficientemente com a crescente sofisticação e globalização destes fenómenos. Estas dificuldades enfraquecem o…

Leia mais

EM MEMÓRIA DE MAX STAHL

O jornalista britânico e timorense Max Stahl, que filmou o massacre de Santa Cruz, em Díli (Timor-Leste), em Novembro de 1991, morreu ontem num hospital da cidade australiana de Brisbane, vítima de doença prolongada. Por Orlando Castro Condecorado com o Colar da Ordem da Liberdade, o mais alto galardão que pode ser dado a um cidadão pelo Estado timorense, Max Stahl viu-lhe atribuída a nacionalidade timorense. Christopher Wenner, que começou a ser conhecido como Max Stahl, iniciou a sua ligação a Timor-Leste a 30 de Agosto de 1991 quando, “disfarçado…

Leia mais