Génios do MPLA têm o cérebro (potável) no intestino

O Bureau Político do MPLA, no poder em Angola há 45 anos e liderado por João Lourenço, critica o posicionamento de líderes políticos e personalidades da sociedade civil (incluindo altos dignitários da Igreja Católica) que condenaram o que muitos chamaram de “massacre” na aldeia de Cafunfo, na província da Lunda Norte, quando confrontos entre as forças de segurança e manifestantes convocados pelo Movimento do Protectorado Lunda Tchowe deixaram um número ainda indeterminado de mortes no dia 30 de Janeiro. Em comunicado divulgado no fim-de-semana, aquele órgão de apologia bajuladora ao…

Leia mais

Lei KO aos corruptos

O Presidente da República, certamente com anuência explícita do Presidente do MPLA e o beneplácito institucional do Titular do Poder Executivo, todos os dias (para além de anunciar obras e projectos com dinheiro que Angola não tem) nos garante que vai acabar com a corrupção, com a cleptocracia, com a bajulação, com o compadrio, com o esclavagismo. Para isso tem em preparação a “Lei KO aos corruptos”, um diploma que vem reforçar os mecanismos de combate à cultura da corrupção, por forma a garantir o prestígio do Estado e das…

Leia mais

Repto directo a Dos Santos
– Meta a boca no trombone

O presidente angolano desafia, em entrevista ao jornal português Expresso, o antecessor, José Eduardo dos Santos, a denunciar os corruptos. Para João Lourenço, são esses os traidores da pátria. Era bom e o Povo agradeceria que – se possível num órgão nacional – Eduardo dos Santos respondesse à letra, isto é, situando João Lourenço no escalonamento dos traidores e corruptos que tão bem conhece. Por Orlando Castro É claro que João Lourenço é, também no contexto angolano mas sobretudo do MPLA, uma figura impoluta, íntegra e honorável que nada tem…

Leia mais

Os czares africanos

Os czares africanos - Folha 8

Alguém, cego, fiel, fanático, mercenário e servente do Re(i)gime, afirmou que as crianças em Angola estão sempre em alta. As notícias que surgiram recentemente não confirmam essa bacorada, quando se constata de que, pelo menos, 10% das nossas crianças ficaram fora do sistema escolar, no corrente ano lectivo, inaugurado com discursos e foguetes, com petardos de grande alarido na propaganda. Por Domingos Kambunji O grande problema dessas crianças é que elas são negligenciadas devido às instituições financeiras parasitárias e aos branqueadores de actos de nepotismo, cabritismo, incompetência e do narcisismo…

Leia mais