Coligar objectivos ou (co)ligar tachos?

Os partidos na oposição (e da oposição que o MPLA ainda permite que existe em Angola) dizem-se abertos a uma coligação de partidos, visando a quimera de protagonizarem uma alternância do poder nas eleições gerais de 2022, considerando que a “vontade da mudança e da consolidação da verdadeira democracia no país são enormes”. A vontade de mudança existe e é crescente. O MPLA sabe disso. Aliás, o MPLA sabe tudo há 45 anos. Sabe como domesticar (legal ou ilegalmente) os principais adversários, tal como sabe que é fácil comprar a…

Leia mais

“Coligação” UNITA/PRA-JA põe MPLA em pânico

O Tribunal Constitucional, sem elementos jurídicos de razão, decidiu chumbar, mais uma vez, através do Acórdão N.º 632/2020, as alegações de recurso, do processo de legalização do PRA-JA (Partido do Renascimento Angolano – Servir Angola) liderado pelo político Abel Chivukuvuku. Por Pedrowski Teca Segundo uma grande parte de juristas e proeminentes figuras da sociedade civil, os argumentos do acórdão, são tão básicos, que assentam razões apenas na discriminação contra o menino do Luvemba, que atemoriza, não só João Lourenço como o MPLA, receoso de uma coligação dinamite, Chivukuvuku- Adalberto. No…

Leia mais

Apunhalado pelas costas

O presidente da coligação angolana CASA-CE afirmou hoje que está em curso uma “trama” para o tentar afastar da liderança da terceira maior força política da oposição, após uma queixa em tribunal de alegado desvio de verbas. Novidade? Nem por isso. Abel Chivukuvuku preferiu, sobretudo nos últimos tempos, ser assassinado pelo elogio do que salvo pela crítica. O resultado está à vista. A posição do líder da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE) foi assumida em conferência de imprensa realizada hoje, em Luanda, na sequência daquilo…

Leia mais

Alicerces da CASA ruíram.
Resta a luta pelos tachos

Os militantes da coligação CASA-CE, a segunda força da oposição em Angola, ainda analisam a possibilidade da sua transformação em partido político, assunto que continua a não ser consensual, seis anos depois da sua constituição. As divergências sobre a transformação em partido foram admitidas hoje pelo secretário executivo nacional da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), Leonel Gomes, em conferência de imprensa que serviu para assinalar, em Luanda, o sexto aniversário daquela força. “Há os que pensam que o momento ainda não é adequado para partimos…

Leia mais

BD pede ajuda ao Povo

O Bloco Democrático (BD), é um partido político legal, registado no Tribunal Constitucional de Angola, pelo Despacho nº 34/TC/2010, do seu Juiz Presidente, datado de 20 de Outubro de 2010. Ressalta das suas linhas programáticas, a defesa da Democracia e da Justiça Social, sendo seu objectivo maior “Fazer de Angola uma potência económica de dimensão atlântica para enriquecer os angolanos”, instaurando um regime de liberdade, num Estado Social de Direito. De acordo com um seu comunicado, “as brigadas de recolha de assinaturas do Bloco Democrático – BD estão em acção…

Leia mais

(Mais uma) enorme lição dos jovens activistas

O grupo de 17 jovens activistas angolanos, condenados em 2016 com base em supostas provas forjadas nas latrinas do regime, divulgou hoje uma proposta para constituição de uma coligação de partidos na oposição, entregue há cerca de um mês e à qual responderam até agora apenas duas forças políticas. A proposta foi apresentada em conferência de imprensa realizada pelos 17 integrantes do grupo de activistas, conhecidos como 15+2, do processo em que foram julgados e condenados por supostos e nunca provados actos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores, a…

Leia mais

Abraços pela frente, punhalada pelas costas

Os delegados da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), reunida no seu II Congresso Ordinário, decidiram a favor da transformação da mesma formação política em partido político. Todos aceitaram, democraticamente, a vontade da maioria? Alguns disseram que sim mas, na primeira oportunidade, saltaram a barricada. Por Orlando Castro Integram (ou integravam) a CASA-CE os partidos PADDA – Aliança Patriótica, o Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), o Partido Pacífico Angolano (PPA) e o Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA). A decisão (transformação em…

Leia mais

CASA-CE concorre como coligação

O Conselho Presidencial da CASA-CE reunido hoje, 26 de Janeiro, para apreciar entre vários assuntos o despacho do Juiz Conselheiro Presidente do Tribunal Constitucional que indefere o requerimento da CASA-CE sobre a fusão e transformação desta em partido politico, emitiu o seguinte comunicado: “1. O Conselho Presidencial acata a decisão do Tribunal Constitucional versada no despacho de 19 de Janeiro de 2017, que indefere a transformação da CASA-CE em partido político e abstém-se do direito de interposição de recurso. 2. Em consequência, CASA-CE, vai concorrer às eleições gerais de 2017…

Leia mais

“Angola vai mudar”

VEJA O VÍDEO. A CASA-CE vai a eleições em Angola como partido ou coligação, apesar da “decisão política” do Tribunal Constitucional de não ter aceite, para já, o pedido de transformação da coligação em partido. A garantia foi dada pelo presidente, Abel Chivukuvuku, numa emissão especial de Facebook Live, hoje na VOA. “O plenário do Tribunal aprovou a transformação em partido e redigiu um acórdão que depois foi alterado, em virtude de algumas cartas recebidas, às quais, nós, a parte requerente, não tivemos acesso”, explicou Abel Chivukuvuku, dizendo acreditar que…

Leia mais

CASA-CE partido? Talvez apenas depois das eleições

O Tribunal Constitucional angolano indeferiu o pedido de transformação da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE) em partido político, alegando algumas irregularidades no processo. Em função do pouco tempo útil até às eleições, admite-se que a passagem a partido possa ficar para depois de Agosto. A decisão foi apresentada esta segunda-feira (23.01) àquela coligação de partidos, a segunda força da oposição e com representação parlamentar, numa reunião orientada pelo presidente do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira. “Acabamos por saber que das decisões dos órgãos dos partidos que…

Leia mais