Nem os elefantes escapam

Os números da caça furtiva em África atingiram “níveis insustentáveis”, considerou hoje a comissária da União Africana (UA) para Economia Rural e Agricultura, Josefa Sacko, estimando que a prática rende anualmente entre 15 e 20 bilhões de dólares (13 a 17 mil milhões de euros). Discursando na abertura da segunda reunião do grupo de peritos sobre a aplicação da estratégia africana para o Combate à Exploração e ao Comércio Ilegais da Fauna e da Flora Selvagens, Josefa Sacko apontou ainda que África perde “cerca de 24 milhões de empregos” em…

Leia mais

Ordem na venda de Marfim

A ministra do Ambiente de Angola, Fátima Jardim, garantiu hoje que as primeiras acções contra o comércio nacional de marfim avançam nos próximos dias, antecedendo as comemorações do dia mundial do Ambiente, que vão decorrer este ano no país. As autoridades angolanas apresentaram em Março um plano para encerrar as bancadas de venda de marfim no conhecido Mercado do Artesanato de Luanda, a ser feito em duas etapas, a primeira de consciencialização e a segunda coerciva, a implementar pela nova Unidade de Crimes Ambientais. Angola tem sido identificada internacionalmente como…

Leia mais

Pôr ordem na venda de marfim

As autoridades angolanas apresentaram hoje um plano para encerrar as bancas de venda de marfim no conhecido Mercado do Artesanato de Luanda, a ser feito em duas etapas, a primeira de consciencialização e a segunda coerciva. Pplano foi hoje apresentado em Luanda, pela Unidade de Crimes Ambientais, na reunião da Comissão Interministerial Contra dos Crimes Ambientais e Relacionados com a Fauna e a Flora Selvagem. Angola tem sido identificada internacionalmente como rota de trânsito para o marfim ilegal, agravada pela continuação da existência do mercado nacional. Em 2015, o Governo…

Leia mais