Deputados, patos, patrão, corrupção e… palhaçada

O ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira, disse hoje, em Luanda, que o Conselho de Ministros angolano vai aprovar, amanhã, quinta-feira, um Plano de Prevenção e Mitigação de Riscos que podem levar a actos relativos à velhinha instituição (tem 43 anos) implementada pelo poder absoluto e longevo do MPLA, a corrupção. O governante angolano respondia hoje na Assembleia Nacional, no âmbito da suposta discussão e aprovação (mesmo antes da formalidade da votação) na generalidade da proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2019, a dúvidas levantadas pelos deputados…

Leia mais

O MPLA quer, pode e manda
(e os escravos… obedecem!)

O Parlamento do MPLA aprovou hoje na globalidade e por unanimidade a Lei das Condecorações Militares das Forças Armadas Angolanas (FAA), que cria oito medalhas como forma de “incentivo à carreira militar” e ainda “condecorações a título póstumo”. Menos unânime (mas isso é irrelevante para o MPLA), foi a aprovação de alguns feriados. Tudo normal. Quem pode… manda. O diploma legal foi aprovado com 176 votos a favor durante a terceira reunião plenária extraordinária da 1.ª sessão legislativa da quarta legislatura da Assembleia Nacional, e destaca a Medalha da Palma…

Leia mais

Mercenário charlatão
e (é claro) fiel servente

O Victor Carvalho não tem vergonha na cara ao abordar a problemática das notícias falsas e dos falsos perfis na internet. A verdade é que estamos na presença de um falso jornalista que se especializou em apoiar a divulgação da mentira, como fiel servente do charlatão, ex-director do Jornal de Angola, José Ribeiro, tentando ambos branquear a actividade corrupta de José Eduardo dos Santos e acólitos. Por Domingos Kambunji Foram muitas as análises do Victor Carvalho, analfabeto sistémico, a tentar demonstrar que Angola estava no bom caminho e que José…

Leia mais

É palhaçada. Sejamos palhaços!

O Tribunal de Luanda ordenou hoje que 13 dos 17 activistas que estão, supostamente, a ser julgados por preparem uma rebelião e um atentado contra o líder divino e supremo do reino, fossem retirados da sala de audiências por apresentarem auto-caricaturas como palhaços estampadas nas ‘t-shirts’ que envergavam. Oprotesto, como fez questão de dizer um dos réus ainda no interior da sala do Tribunal, visava criticar a forma como o julgamento tem sido conduzido e os sucessivos atrasos, com 15 dos acusados privados da liberdade há nove meses. “Isto é…

Leia mais