Não há mísseis? Vai de azagaia

O governo de Luanda (que há 45 anos está nas mãos do MPLA) vai lançar (já se perdeu a conta às vezes que foram anunciados) novos concursos públicos para concessão do serviço público de limpeza, após suspender contratos com operadoras do lixo por dívida (do MPLA) de 246 mil milhões de kwanzas (308 milhões de euros), foi hoje anunciado. Segundo a governadora de Luanda, Joana Lina, o seu pelouro está a cumprir todos os procedimentos legais para o lançamento de concursos públicos com base num modelo aprovado, em Dezembro de…

Leia mais

Lixo, lixeiras? Onde, pergunta o MPLA

Amontoados de lixo nas ruas, paragens de táxi e mercados são agora um dos principais postais ilustrados de Luanda, uma capital que (como, aliás, todo o país) é governada há 45 anos pelo mesmo partido, o MPLA. Moradores e transeuntes temem doenças e queixam-se da demora na recolha e mau cheiro. O Governo esclarece que a resolução do problema está para breve, apontando que para isso só precisa de mais… 55 anos. Quem circula por Luanda facilmente vê os montes de lixo, no centro da cidade ou nas zonas periféricas,…

Leia mais

João, o Messias!

A campanha nacional e internacional (pelo menos) de divulgação dos feitos do Executivo angolano, liderado pelo Presidente do MPLA, da República e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, será lançada na próxima terça-feira, 8 de Dezembro em Luanda, sob a superior orientação da Governadora Joana Lina, e terá lugar às 10 horas no Centro de Conferências de Belas. A iniciativa é do Movimento Nacional Angola Avante (MONAA), organização dita social filantrópica de direito angolano, no âmbito das suas pesquisas científicas sobre a nova Angola, nos domínios sociais, políticos e económicos.…

Leia mais

Feriado é sinónimo de dia útil

O Governo Provincial de Luanda (GPL), sob a superior orientação da dupla JL (Joana Lina e João Lourenço), rejeitou a realização da manifestação agendada para quarta-feira, feriado em que Angola celebra o Dia da Independência, alegando que o horário não é permitido, fazendo uma emblemática referência aos dias úteis, entre outros motivos. Na segunda-feira, Dito Dali, um dos organizadores da marcha que pretende exigir coisas que se enquadram, segundo o MPLA, numa tentativa de golpe de estado e atentado à segurança nacional: melhores condições de vida e eleições autárquicas em…

Leia mais

Joana alinha

Estão totalmente enganadas as pessoas que pensavam que para ser nomeada, ou nomeado, governadora ou governador de Luanda seria necessário ser um pessoa inteligente, intelectualmente honesta, competente e com uma boa formação cultural, na gestão de recursos humanos e em relações públicas. Um dos exemplos mais paradigmáticos das caricaturas macabras que foram nomeadas para desempenhar o cargo de sipaia na governação de Luanda é a actual governadora, Joana Lina. Por Domingos Kambunji Ela só demonstra que para ser nomeado para esse cargo de chefia não é necessário ter capacidade de…

Leia mais

Enquanto não é ministra… finge ser governadora

Joana Lina, governadora de Luanda, ex-governadora do Huambo e futura ministra, pediu hoje mais rapidez na execução dos projectos do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), durante uma visita ao município da Quiçama. Recorde-se que o Presidente João Lourenço informou que o Executivo iria analisar a institucionalização do orçamento participativo, visando envolver mais os cidadãos na vida das comunidades. A governadora, que em Maio substituiu Luther Rescova (outro jovem de elevadíssimo potencial invertebrado), visitou vários pontos do município, um dos nove que integram a província de Luanda, para se…

Leia mais

A JLo (ou JES?) do Huambo

A governadora da província do Huambo, Joana Lina, procedeu hoje, terça-feira, à remodelação (refrescamento, para usar a terminologia de João Lourenço na sua mais recente alteração ministerial) do Governo do planalto central, com a exonerações em catadupa e, é claro, novas nomeação, visando – diz – conferir maior dinamismo aos órgãos da administração local do Estado. Por despacho (uma espécie de decretos a nível local), cessaram as funções os administradores da Chicala-Cholohanga, Luís Sabino Manuel Sampaio, do Ucuma, Júlio Cabral Paulo, e do Londuimbali, Luís Garcia Caíca, bem como os…

Leia mais