ASSASSINO, GENOCIDA, CRIMINOSO, HERÓI DO MPLA

O MPLA exortou hoje os angolanos, sobretudo os jovens, a promoveram actividades que elevem a educação patriótica dos cidadãos e reiterou compromisso de “preservar, de forma incondicional”, o pensamento político-ideológico de António Agostinho Neto, o assassino que mandou fuzilar milhares e milhares de angolanos nos massacres de 27 de Maio de 1977. O MPLA (no poder desde 1975), em declaração alusiva ao centenário de António Agostinho Neto, primeiro presidente angolano e o maior genocida da história do país, que se hoje se assinala, destaca o seu “abnegado empenho” na luta…

Leia mais

No Ruanda, Agostinho Neto diz-se Theoneste Bagosora!

O primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, é considerado pelo MPLA como impulsionador da libertação da África Austral e um defensor intransigente da luta de libertação dos povos em África e no mundo. Assim disse o docente universitário Francisco Bala Francisco, em Setembro de 2017. É, portanto, certo para o MPLA que o massacre de milhares e milhares de angolanos no 27 de Maio de 1977 contribuiu para essa “libertação dos povos em África e no mundo”. Por Orlando Castro Em 2017, em declarações à Angop, a propósito da…

Leia mais

Herói há só um, o genocida e mais nenhum

As jornadas alusivas ao Dia do Herói Nacional do MPLA, que se celebra a 17 de Setembro, em alusão ao 98º aniversário do nascimento do primeiro Presidente de Angola, responsável pelo massacre de muitos milhares de angolanos no genocídio de 27 de Maio de 1977, António Agostinho Neto, arrancam no dia 1 de Setembro, em todo o país do MPLA. Sob o lema “Angola 45 anos: unidade, estabilidade e desenvolvimento”, com actos no país e nas missões diplomáticas e consulares de Angola, da Coreia do Norte à Guiné Equatorial, passando…

Leia mais

Certidões de óbito aliviam
mas não calam o massacre

O presidente da Fundação 27 de Maio congratulou-se com a aprovação da proposta de lei sobre a emissão de certidões de óbito para vítimas dos conflitos em Angola, dizendo que trará “alívio” para os familiares. O principal genocida de Angola, Agostinho Neto, continua a ser considerado pelo Governo (MPLA) como herói nacional. O Parlamento angolano aprovou, na segunda-feira, na generalidade, a proposta de Lei do Regime Especial de Justificação de Óbitos Ocorridos em Consequência dos Conflitos Políticos, com 188 votos a favor, sete abstenções da CASA-CE e nenhum voto contra.…

Leia mais

27 de Maio é sempre
que o MPLA… quiser

Três associações de sobreviventes e órfãos dos massacres de 27 de Maio de 1977, que vitimaram milhares e milhares de angolanos por ordem de Agostinho Neto (entretanto considerado pelo MPLA como herói nacional), criaram a Plataforma 27 de Maio para exigirem uma “verdadeira investigação” e uma “efectiva reparação” com a homenagem às vítimas, foi hoje anunciado. Em comunicado, o Grupo de Sobreviventes do 27 de Maio, a M27 (associação de órfãos) e a Associação 27 de Maio, que reúne sobreviventes e familiares das vítimas, consideram que só com as suas…

Leia mais

“Operação Lavagem” está ainda mais letal e pujante

O Presidente da República, Presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo, João Lourenço, deposita, segunda-feira, uma coroa de flores na estátua do Fundador da Nação, herói nacional e internacional, e o mais emblemático líder mundial, António Agostinho Neto, no Largo da Independência. Por Orlando Castro De acordo com uma nota da Casa Civil da Presidência da República, a actividade enquadra-se no programa comemorativo dos 44 anos da Independência Nacional, dia histórico para todo o mundo por representar o início de uma nova era desde o Paleolítico. O acto central…

Leia mais

Tudo é Neto, Neto é tudo

O Presidente da República, João Lourenço, reafirmou, nesta segunda-feira, em Luanda, o compromisso do Executivo com o sector social, particularmente as áreas da educação e saúde, com vista a melhoria da prestação destes serviços à população. Isto, é claro, sem esquecer que a Educação e a Saúde não eram preocupações nos últimos 44 anos de governação do MPLA porque… não existiam. João Lourenço falava à imprensa depois de ter descerrado a placa inaugural do Centro Ortopédico e de Reabilitação Polivalente António Agostinho Neto, que antes se designava Centro Ortopédico de…

Leia mais

“Herói” que foi assassino e Presidente sem vergonha!

Segundo o Presidente dos angolanos do MPLA, João Lourenço, “O Dia do Herói Nacional é consagrado para homenagearmos condignamente o Presidente António Agostinho Neto, primeiro Presidente da República, Fundador da Nação, pela entrega total à causa do povo angolano, ao liderar a luta armada de libertação nacional e consequentemente proclamado a Independência Nacional, aos 11 de Novembro de 1975”. “A escassos dias da comemoração do 44º aniversário da nossa Independência Nacional, embora numa conjuntura política, económica e social diferentes, o seu exemplo de homem íntegro e preocupado sobretudo com o…

Leia mais

António Agostinho deve
ser nome… obrigatório!

A residência onde viveu o primeiro Presidente de Angola, o genocida António Agostinho Neto, na década de 40 do século passado, enquanto esteve na província a trabalhar como médico, vai ser transformada em local de interesse histórico e turístico (certamente da amplitude mundial e em breve considerada monumento histórico do zoológico do MPLA), anunciou hoje (sábado), o governador de Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”. Em declarações à imprensa, à margem de uma palestra sobre “Vida e Obra de Agostinho Neto”, o governador disse estarem já em curso negociações com…

Leia mais

FLUP é sucursal do MPLA?
Só fica a faltar… Hitler!

Maria Eugénia Neto, presidente da Fundação António Agostinho Neto (FAAN), assinou ontem, dia 10 de Setembro, com a FLUP – Faculdade de Letras da Universidade do Porto (Portugal), um protocolo que cria a Cátedra Agostinho Neto nesta instituição de ensino superior. Assim a FLUP dá mais um passo no branqueamento da imagem daquele que foi o genocida responsável pelos massacres de milhares de angolanos no 27 de Maio de 1977. Só fica a faltar… Adolf Hitler. Por Norberto Hossi O acto representou uma homenagem da Universidade do Porto ao 40º…

Leia mais