Justiça precisa dos psicólogos criminais

A reforma da justiça que se pretende para Angola passa inevitavelmente, também, pelo aproveitamento dos quadros capazes de identificar a génese dos comportamentos desviantes e/ou criminosos, como psicólogos, sociólogos, etc.. Apesar de terem ainda pouco espaço para poderem subsidiar os nossos órgãos de justiça, cada vez mais, assistimos ao crescimento do número de psicólogos criminais no país. Por Cesário Sousa (*) A Psicologia Criminal abrange a análise da conduta – delituosa ou não – do indivíduo, incluindo o estudo da vítima, origem e/ou motivação do comportamento criminoso e, de forma…

Leia mais

O banquete dos Juniores Caetanos

Então não é que as redes sociais tinham razão quando diziam que o MPLA não é um movimento popular de libertação de Angola mas sim uma Matilha de Predadores Ladrões de Angola? O júnior Caetano do Jornal da Angola (JA) do MPLA vem agora dizer que ele e os seus kapangas dos órgãos oficiais de comunicação social, parasitas do dinheiro de todos os angolanos, “endeusaram pessoas cuja conduta merecia reprovação e nunca exaltação”? Por Domingos Kambunji Não nos esqueçamos que o JA homenageou durante vários anos o soba da corrupção,…

Leia mais

Mercado das ilusões e alucinações

O caudal dos rios neste tempo das chuvas tem levado muitas pontes em todo o país. Depois o governo da Re(i)pública da Angola do MPLA envia os técnicos especializados pelo MPLA para construírem pontes provisórias, com o objectivo de facilitarem a circulação da população, e, passados poucos dias, “a chuva chove”, aumenta o caudal dos rios e o caudal dos rios leva as pontes provisórias. Por Domingos Kambunji Tudo é provisório neste país, as pontes, as estradas, a ideologia do partido que se governa há 45 anos neste país, as…

Leia mais

A montanha (só) pariu um rato

A situação e a estratégia (apesar de querer ser megalómana é tão só minimalista) política do regime em Angola parece (ou é) uma autêntica tragicomédia, tal é a desfaçatez dos dirigentes transformarem o mal em bem e o errado em certo, num exercício de canibalismo económico e social. É a loucura em potência. Por William Tonet Mais grave é ver o absurdo trilhar as mais altas cortes do poder, com a incompetência a ter estatuto de liderança, com os néscios a alcandorarem-se ao patamar de uma suposta genialidade. O quadro…

Leia mais

Eu não sou bajulador

Por vezes sorrimos, com um sorriso muito amarelo de tristeza, ao observar o anquilosamento mental de vários kapangas ao serviço dos órgãos oficiais de comunicação social do Estado, pagos com o dinheiro de todos os angolanos, especialmente aqueles que não conseguem ver os angolanos que se encontram socialmente negligenciados e atirados para a pobreza. Desta vez o nosso grito de escárnio vai para um indivíduo que se intitula jornalista, colaborador do Jornal da Angola do MPLA, de nome Carlos Calongo. Por Domingos Kambunji Diz o Carlitos que, na perspectiva da…

Leia mais

Papagaia ambulante

Alguma daquelas crianças que morreram, devido à fome, no Cunene, Cuando Cubango, Huíla, Bié, Huambo… era filha, filho, neta, neto ou familiar directo da Luísa Damião? Alguma daquelas muitíssimos milhares de crianças que ficaram fora do sistema escolar, por falta de escolas e de professores, é filha, filho, neta, neto ou familiar directo da Luísa Damião? Por Domingos Kambunji A Luísa Damião, a vice-presidente do MPLA que dá carinho e solidariedade aos familiares das zungueiras que a polícia do MPLA mata, à semelhança de muitos outros dirigentes do MPLA, está…

Leia mais

Joana alinha

Estão totalmente enganadas as pessoas que pensavam que para ser nomeada, ou nomeado, governadora ou governador de Luanda seria necessário ser um pessoa inteligente, intelectualmente honesta, competente e com uma boa formação cultural, na gestão de recursos humanos e em relações públicas. Um dos exemplos mais paradigmáticos das caricaturas macabras que foram nomeadas para desempenhar o cargo de sipaia na governação de Luanda é a actual governadora, Joana Lina. Por Domingos Kambunji Ela só demonstra que para ser nomeado para esse cargo de chefia não é necessário ter capacidade de…

Leia mais

Angola em tempos de incertezas

O discurso do Presidente da República de Angola, João Lourenço, na abertura da 4ª sessão Legislativa da IV Legislatura não tem credibilidade. A intervenção é pobre para a crise instalada há 45 anos. Na quinta-feira, 15 de Outubro, o Presidente da República destacou os efeitos provocados pela pandemia da Covid-19 na economia e assegurou que seu Governo “vai continuar a apostar na política de desenvolvimento e diversificação económica, bem como na estabilidade macroeconómica”. Por José Marcos Mavungo (*) Li ao pormenor o bonito discurso do Chefe de Estado angolano, na…

Leia mais

No meu antigamente na vida

Naquele tempo, lá na primeira metade da década de 1960, lá na cidade de São Paulo de Assunção de Luanda, sim já naquele tempo Luanda se escrevia com “u”, pois que o tempo em que Loanda se escrevia com “o” ainda era mais lá no antigamente na vida e eu ainda não tinha existência. Por Carlos Pinho Pois nesse meu antigamente na vida, em que eu era monandengue, ia lutar de espadachim lá nas Barrocas dos Coqueiros, eu e os meus kambas colegas de bairro, todos nós candengues, nós, a…

Leia mais

As camarilhas do MPLA degolam-se entre si

Irene Neto, filha de Agostinho Neto, despertou para uma realidade inumana e obscena, a realidade demoníaca do regime político do qual ela é um dos seus rostos proeminentes e do qual possivelmente se julgaria a salvo de qualquer tormento. Uma ilusão. Queixa-se Irene Neto, filha do primeiro presidente de Angola, que o seu nome e dos seus familiares estão a ser esfacelados em praça pública sem que alguém lhes faça chegar um gesto de solidariedade, tamanha a avalanche de calúnias que diariamente enfrentam. Por Carlos Pacheco (*) Esclareço que, por…

Leia mais