A “vandalização” da imagem do Presidente

Aconteceu na cidade de Cabinda algo insólito no dia 13 de Setembro: uma senhora entendeu expressar o seu protesto público contra a governação do Presidente João Lourenço rasgando a imagem gigantesca do seu rosto afixada no centro da cidade. Dizia a senhora no vídeo que está a circular: “eu dei-te o poder, mas agora acabou!…” Por Raul Tati O acto foi assistido por um grupo de cidadãos que não só não a impediu de fazer aquilo como apoiou o acto a 100%. Se prestarmos atenção ao vídeo vemos que há…

Leia mais

A ignorância é uma arma

Como se não lhes bastasse o controlo hegemónico das salas de aula, programas como o Fórum TSF, Antena Aberta ou Opinião Pública permitem ver como a brigada fundamentalista toma de assalto o pluralismo. Por Gabriel Mithá Ribeiro (*) O ser humano é indissociável da condição pensante quer enquanto indivíduo, quer enquanto colectivo. Significa que as sociedades apenas existem enquanto tal se produzirem um pensamento colectivo (ou social) autónomo não apenas em relação ao pensamento individual (ou intelectual), mas também em relação ao pensamento de outras sociedades. Serge Moscovici – psicólogo…

Leia mais

Basta. Stop MPLA!

João Lourenço está muito próximo do modelo do líder norte-coreano de Kim Jong-un, e muito longe do modelo Deng Xiao Ping que tinha prometido encarnar na sua governação. Foram quatro anos de desastre total. Cabinda que o diga. Por Osvaldo Franque Buela (*) Bastou-lhe quatro anos para quebrar todos os recordes de má governação, muito longe, a anos-luz do modelo de governo de Deng Xiao Ping, que teve uma onda de solidariedade e muita admiração por parte de alguns analistas políticos e todos os angolanos que acreditaram nas mudanças. Apenas…

Leia mais

Crescimento e desenvolvimento urbano da cidade de Luanda

Luanda foi fundada em 1575 com a chegada de Paulo Dias de Novais. O povoamento iniciou-se em torno da fortaleza erguida numa elevação junto à baía de Luanda. A nomeação de “Loanda” foi dada em meados do século XVII. Até então a cidade era designada por São Paulo de Assumpção cujo núcleo nasceu com a construção do hospital e da Igreja na hoje ainda chamada Cidade Alta. Por Andrea Carina de Almeida Bettencourt (*) A cidade desenvolve-se em dois níveis muito marcantes: A Cidade Alta, onde se localizam o centro…

Leia mais

Propaganda política saprófita

Ainda não há muito tempo o Departamento de Informação e Propaganda do MPLA ficou muito nervoso porque classificamos como nojenta a atitude de Luísa Damião, que aproveitou o fuzilamento de uma zungueira, pela polícia do MPLA, para usar a situação deixando-se fotografar com familiares, dizendo que estava a dar carinho e solidariedade, como mãe e mulher do MPLA, aos familiares da vítima mortal. Por José Filipe Rodrigues (*) O que nos incomodou mais nesse parasitismo oportunista necrófilo foi o facto de Luísa Damião não ter a dignidade e um processamento…

Leia mais

Entre a abjecção e a náusea – quando até as vítimas se tornam cúmplices da farsa

A chaga do 27 de Maio com o seu estendal de crimes bárbaros não se cura, já o afirmei em certa ocasião e volto a dizê-lo, com processos de gestão de conflitos conduzidos cima para baixo, como lamentavelmente se verificou em Angola. Por Carlos Pacheco Historiador angolano (*) Nós sabemos quem são eles e com quem estamos a lidar. Falo dos apparatchiks que nos enganam todos os dias com as suas técnicas de manipulação da informação no intuito de desfocar a realidade e oferecer das coisas uma visão idílica e…

Leia mais

O Simon Bolívar do Cazenga ou do Cacuaco

É tragicómico observar um fala-barato, especialista em demagogia e contradição, opinar sobre economia e política internacional e sobre ética e diversidade, um militante de um partido sanguinário e cleptocrático, de “esquerda progressista”, o especialista em comunicação social, que nem conseguiu aquecer o lugar como ministro da propaganda do governo autocrático de João Lourenço. Foi “zonerado”. Por Domingos Kambunji João Melo, ultimamente, tem andado armado em Simon Bolívar, do Cazenga ou do Cacuaco, a “libertar” países da América Latina dos liberalismos e neoliberalismos, como “progressista de esquerda” e a tentar dar…

Leia mais

Imaturidade política dos nossos “políticos”

O mundo está a atravessar momentos difíceis, fruto da crise sanitária causada pela Covid-19 e da Crise Económica e Financeira mundial. A humanidade está sofrendo, os pobres estão cada vez mais pobres e sem nada para comer, até a esperança que amanhã irá despertar lhe foi tirado. Por Adão Xirimbimbi “AGX” (*) Angola não está fora deste contexto a crise afectou gravemente o nosso país, tendo destapado as nossas falências desde o ponto de vista social. A política não é coisa ingénua e que deve ter-se muita moral para falar…

Leia mais

Celito recebido como craque de futebol (amado e odiado)

O Celito (Marcelo Rebelo de Sousa), Presidente da República Portuguesa, também já se tornou conhecido como o dono da lavandaria, onde grande parte dos dirigentes do MPLA, incluindo a actual família real presidencial, lavam e escondem o que se rouba de Angola… Daí, alguns opinadores considerarem excessiva a recepção efusiva, como se fosse um craque de futebol. Por Fernando Vumby (*) Marcelo, o Celito é populista, tem lá o seu jeito de fazer agradar e cair na graça de qualquer um e sempre que visita Angola torna-se assunto central das…

Leia mais

Os crimes das forças beligerantes no conflito armado da independência de Angola

Se Portugal incorreu em crimes de lesa-humanidade, as forças insurgentes não lhe ficaram atrás. Uns e outros enganados por doses opressivas de propaganda e oxidados na violência e na xenofobia. Por Carlos Pacheco Historiador angolano (*) Nos últimos tempos reganhou fôlego nos círculos da intelectualidade portuguesa o debate em torno do que é comum designar por guerra colonial. Fala-se muito da legitimidade da violência das organizações nacionalistas em armas contra o terror da hidra colonialista e das balas disparadas pelos portugueses contra populações inocentes nos teatros de guerra africanos. As…

Leia mais