As nossas crianças alguma
vez conseguirão ser gente?

Pelo menos cinco mil crianças foram vítimas de violência em Angola, de Janeiro a Outubro de 2019, com Luanda a liderar os casos, disse hoje fonte oficial, manifestando preocupação com a existência de “menores envolvidas na prostituição”. As crianças são gente? Às vezes, vezes a mais, parece que não. “Os dados que existem não são só de crianças, são de mulheres envolvidas e que no meio dessas senhoras há crianças, há menores. As menores envolvidas na prostituição existem e a situação é preocupante”, afirmou hoje à Lusa o director geral…

Leia mais

Uma picada sem saída

O bispo católico da província angolana do Moxico, Jesus Tirso Blanco, manifestou-se preocupado com o aumento da prostituição, alcoolismo e consumo de drogas a nível da juventude local, referindo que a situação “tende a agudizar-se devido à crise”. É assim em todo o país. Quarenta e quatro anos depois da independência, o MPLA (o único partido que foi, é e será governo) só tem para lhes dar “fuba podre, peixe podre, panos ruins, cinquenta angolares e porrada se refilarem”. Segundo o bispo, citado hoje pela emissora católica angolana, a situação…

Leia mais

Drama dos alunos angolanos na Rússia

A Federação da Rússia, face à cooperação com Angola, existente no domínio da Educação, todos os anos tem disponibilizado vagas para os melhores estudantes angolanos para licenciaturas e mestrados, fazendo um processo de selecção dos candidatos com uma olimpíada com o título: “É tempo para estudar na Rússia”. Nessa “prova” são avaliadas a capacidade dos estudantes nas disciplinas de Matemática, Física, Química e escrita. Aos candidatos com melhores resultados são concedidas bolsas de estudo, sendo que toda bolsa externa é gerenciada pelo INAGBE, Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de…

Leia mais

Tráfico de órgãos? Não.
E quanto ao de pessoas?

O Governo angolano garantiu hoje que são “completamente falsas” as informações referentes a casos de tráfico de órgãos humanos na província angolana do Cunene, considerando tratar-se de “uma campanha que visa instalar o pânico e insegurança” à população. Em comunicado, o Ministério do Interior de Angola refere que “de algum tempo a esta parte, pessoas com fins inconfessos têm divulgado nas redes sociais falsas informações referentes a eventuais casos de tráfico de órgãos humanos”. O padre católico angolano Félix Gaudêncio disse, recentemente, que a população da província do Cunene, sul…

Leia mais