O “best-seller” de Paulo de Almeida

O comandante-geral da Polícia Nacional (do MPLA), Paulo de Almeida, continua a escrever o seu “best-seller” onde compila as suas emblemáticas anedotas. No passado dia 6 garantiu que, apesar de algumas ocorrências criminais registadas e mediatizadas na comunicação social, “Angola é um país seguro para todos os cidadãos”. Angola registou, entre Agosto e Setembro, 10.788 crimes, informou ontem, dia 12, a própria Polícia Nacional, tendo o seu porta-voz, comissário Orlando Bernardino, falado em preocupação com o número crescente de assaltos na capital, Luanda. Na apresentação da situação de segurança pública…

Leia mais

Promoções e casas para os polícias

O ministro angolano do Interior, Eugénio Laborinho, disse hoje, em Luanda, que o Governo está empenhado em melhorar as condições de vida dos efectivos policiais, quer através de promoções quer pela entrega de habitações, apesar das dificuldades financeiras. Pudera. Mais do que as eleições, o espectro da derrota a isso obriga. Eugénio Laborinho, que discursava na abertura do Conselho Consultivo Alargado do Ministério do Interior (Minint), sublinhou que o sucesso de qualquer organização passa pelo bom desempenho dos seus quadros (por isso o Governo de João Lourenço já vai em…

Leia mais

Às armas, às armas, contra a Covid lutar!

O Comandante-geral da Polícia Nacional (PN) de Angola, Paulo de Almeida, afirmou hoje (com o brilhantismo oratório que se lhe reconhece) que a corporação será “implacável” contra os incumpridores e desrespeitadores das novas medidas de prevenção contra a Covid-19. Com ou sem mísseis intercontinentais, com ou sem rebuçados (“balas” em brasileiro) ou chocolates, o dedo está no gatilho… Segundo o responsável, a PN será firme na sua missão para assegurar que as orientações resultantes da actualização do Decreto Presidencial sobre as medidas de protecção contra a Covid-19, que entrou em…

Leia mais

O top(ete) do Presidente

Com toda (e mais alguma) legitimidade de quem é Presidente da República apenas porque foi o cabeça-de-lista do partido mais votado, o general João Lourenço, enalteceu hoje a missão da Polícia Nacional de Angola (PNA), que cumpre o 45º aniversário (tantos quantos o MPLA tem de Poder), destacando o seu papel como garante da legalidade institucional, integridade territorial e segurança e estabilidade social. Por Orlando Castro Numa mensagem de felicitações dirigida à PNA, o general João Lourenço, também Comandante-em-Chefe das Forças Armadas (para além de ser, desde 2017, o representada…

Leia mais

Mísseis nos céus de Cafunfo

Activistas dizem que a polícia do MPLA (eufemisticamente chamada de Angola) deteve, esta madrugada, André Candala, catequista e morador em Cafunfo, que denunciou a “morte de inocentes” na semana passada durante uma tentativa de manifestação que o Governo classificou como “acto de rebelião”. Em declarações à Lusa, os activistas referiram que o filho de André Candala, Paulo André Candala, foi também detido e ambos foram espancados. Uma das fontes, que pediu (vá-se lá saber porquê…) para não ser identificada, adiantou que há mais pessoas que estão a ser presas, depois…

Leia mais

“Operação Laborinho”, êxito total!

Depois do enorme êxito da “Operação Cafunfo”, um mero exercício de treino tendo em vista não perder os ensinamentos da “Operação 27 de Maio”, urge recordar a também emblemática “Operação Laborinho” que, por exemplo, deteve entre 27 de Março e 25 de Maio de 2020 , 15.658 cidadãos, durante o estado de emergência devido à Covid-19. E o ministro do Interior, Eugénio Laborinho, nem teve necessidade de referir os números de chocolates e balas (rebuçados como dizem os brasileiros). Eugénio Laborinho apresentou os números quando discursava na cerimónia que marcou…

Leia mais

Se João Lourenço (ainda) for presidente…

O Comandante-geral da Polícia (do MPLA), Paulo de Almeida, defendeu o uso de “meios desproporcionais” para responder efectivamente contra ameaças ao Estado. Para Paulo de Almeida, a resposta da polícia foi em legítima defesa. Por Orlando Castro O comandante-geral da Polícia Nacional afirma (como aliás fez o seu primeiro presidente, Agostinho Neto, ao manda massacrar milhares de angolanos em 27 de Maio de 1977), que na defesa da soberania de um Estado não pode haver proporcionalidade, como defendem os juristas. “Isso é muito bom na teoria jurídica, nós aprendemos isso…

Leia mais

Corrigir o que está mal

O comandante-geral da Polícia Nacional de Angola, Paulo de Almeida, reconheceu “alguma deficiência” na legalização e preparação de processos criminais e defendeu maior interacção com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para “corrigir algumas situações”. Paulo de Almeida, que falava hoje à margem uma reunião com os procuradores junto dos serviços executivos centrais do Ministério do Interior, disse que o encontro serviu para “estreitar relações” para um melhor combate ao crime e para “corrigir algumas situações”. “Às vezes é a forma como se legaliza, às vezes os nossos actos, quando actuamos…

Leia mais