A lição do MPLA,
goste-se ou não

O MPLA, no poder em Angola desde a independência em 1975, tornou-se hoje na primeira força política a ver a candidatura às eleições gerais de 23 de Agosto aprovada pelo Tribunal Constitucional. Foi, aliás, o único partido que não precisou de fazer correcções, alterações, emendas etc.. Estava tudo em ordem. O acórdão com a validação da candidatura foi hoje entregue ao mandatário das listas do MPLA, que tem como cabeça-de-lista o vice-presidente do partido, ministro da Defesa e general, João Lourenço, candidato à eleição indirecta (não nominal) para a Presidência…

Leia mais

Mais dois casos com a CASA

Ezequiel dos Santos Conde apareceu como candidato em duas listas, APN e CASA-CE. Mas não é só. A jornalista Luísa Rogério também aparece como candidata na coligação liderada por Abel Epalanga Chivukuvuku, mas reclamou porque, afinal, não chegou a acordo com a CASA-CE. Haverá mais episódios? O Tribunal Constitucional de Angola pretende multar em 500.000 kwanzas (quase 2.700 euros) um cidadão nacional que estava inscrito em simultâneo por dois partidos nas listas candidatas a deputados nas eleições gerais de 23 de Agosto. De acordo com o teor da decisão tomada…

Leia mais

Todos diferentes? Não.
Todos (bem) iguaizinhos

Já temos as listas! E agora que as temos, podemos ver o quão idênticas elas são. Uns dizem-se ser de esquerda, alguns do centro, outros de centro-esquerda, e ainda outros de centro-direita. Quando perguntamos aos militantes, ainda que do topo, qual o espectro político do seu partido, a maioria nem sabe dizer. E não o sabem porque, na verdade, são partidos sem definição. Por Sedrick de Carvalho Então, podemos partir para outra pergunta: o que acham da forma como o actual presidente da República, José Eduardo dos Santos, introduz os…

Leia mais

(Quase) todos a monte
e fé em qualquer coisa

O Tribunal Constitucional de Angola afixou hoje as listas preliminares das candidaturas de cinco partidos e uma coligação às eleições gerais de 23 de Agosto tendo reunido em plenário para uma primeira apreciação das mesmas. Ao Tribunal Constitucional foram remetidas as candidaturas do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), da Aliança Patriótica Nacional (APN), do Partido de Renovação Social (PRS) e da Frente Nacional de Libertação de Angola…

Leia mais