Luísa Rogério eleita para a Comissão Executiva da FIJ

A jornalista angolana Luísa Rogério foi eleita, em Tunes, membro da Comissão Executiva da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) no decurso do 30º Congresso da instituição que congrega 187 sindicatos de 141 países. Segundo o secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA), Teixeira Cândido, a par de outros 15 membros eleitos na mesma ocasião, Luísa Rogério fará parte do restrito grupo que formula as principais acções executivas da FIJ, que reúne seis mil filiados (jornalistas). “Para o SJA e para a classe angolana é importante estar presente nos órgãos que…

Leia mais

Mais dois casos com a CASA

Ezequiel dos Santos Conde apareceu como candidato em duas listas, APN e CASA-CE. Mas não é só. A jornalista Luísa Rogério também aparece como candidata na coligação liderada por Abel Epalanga Chivukuvuku, mas reclamou porque, afinal, não chegou a acordo com a CASA-CE. Haverá mais episódios? O Tribunal Constitucional de Angola pretende multar em 500.000 kwanzas (quase 2.700 euros) um cidadão nacional que estava inscrito em simultâneo por dois partidos nas listas candidatas a deputados nas eleições gerais de 23 de Agosto. De acordo com o teor da decisão tomada…

Leia mais

Jornais independentes? Apenas e só o Folha 8 e O Crime

Os jornais F8 e O Crime são os únicos órgãos de comunicação social independentes, afirmou em Luanda, a Secretária-Geral do Sindicato dos Jornalistas Angolano (SJA), Luísa Rogério. A ainda Secretária-Geral do Sindicato é uma das mais refinadas jornalistas que o país pariu e fez tal comentário, numa curta conferência de imprensa, realizada no auditório da União dos Escritores de Angola (UEA), no 27.07.15, onde revelou a recusa de vários jornalistas rejeitarem cobrir as actividades realizadas pelo Sindicato, por orientações dos directores, que a acusam de fazer pronunciamentos contra o poder…

Leia mais

Filhos e (candidatos a) enteados

FILHOS E (CANDIDATOS A) ENTEADOS

A secretária-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos acredita que a postura da media não ajuda muito a reconciliar os angolanos, enquanto Reginaldo Silva, um dos membros do Conselho Nacional de Comunicação Social, é de opinião que o comportamento da media pública foge muito do verdadeiro conceito de media pública. Os dois especialistas foram prelectores à conferência sobre Paz, Democracia e Reconciliação Nacional organizada pela AJPD e Mãos Livres. Luísa Rogério reprova a forma como hoje está a ser gerido o sector da Comunicação Social: “A comunicação social não devia ser…

Leia mais