Profesores cubanos enseñan portugués muy bien

O Presidente da República, João Lourenço, exigiu (voltou a exigir) mais qualidade no ensino e considerou a formação do homem como uma aposta para “corrigir muitas deficiências” que o sector enfrenta. Tem razão. E, reconheça-se, não é por culpa do MPLA que só está no Poder há… 45 anos. Se “haver” necessidade, os angolanos aceitam um “compromíssio” para assim continuar por mais 55 anos. Ao falar na cerimónia de posse do novo secretário de Estado para o Ensino Secundário, Gildo Matias José, o Chefe de Estado defendeu um grande investimento…

Leia mais

“Compromíssio” salvará a “sexta básica” do ensino?

O Presidente da República, João Lourenço, manifestou hoje, em Luanda, o desejo de ver (não será “haver”?), nos próximos tempos, melhoria na qualidade de ensino, com realce para o da Língua Portuguesa, por entender que é o veículo, enquanto língua oficial, para a transmissão e absorção do conhecimento de outras disciplinas ou ramos da ciência. Será, presume-se, um “compromíssio” para levar a sério. Numa intervenção durante o acto de tomada de posse dos novos ministros da Educação, Administração Pública, Trabalho e Segurança Social e do Comércio, o também Titular do…

Leia mais

Lágrimas de muita raiva

O belíssimo poema “Meninos do Huambo”, não é mais nada do que isso mesmo. Um belíssimo poema, infelizmente sem utilidade prática qualquer, uma mera utopia. Não que eu seja contra a poesia, muito pelo contrário, sempre que eu leio o “Testamento” de Alda Lara vêm-me lágrimas aos olhos. Por Carlos Pinho Professor da FEUP – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Mas de facto olhando para esta foto, que mão amiga me fez chegar via Whatsapp, também me vêm lágrimas aos olhos, agora não de comoção, como na leitura…

Leia mais

2,5 milhões de novos alunos no ensino geral

O ano escolar de 2020 em Angola vai contar com 2,5 milhões de novos alunos para o sistema geral de ensino, anunciou hoje a ministra da Educação, Ana Paula Elias, admitindo, no entanto, “insuficiência de vagas” para o ingresso de mais estudantes. A ministra, que falava à Rádio Nacional de Angola, disse que todas as condições estão criadas para o arranque do ano lectivo de 2020, cuja abertura oficial está agendada para 31 de Janeiro, devendo contar igualmente com novos professores. O processo de inscrições e matrículas para o ensino…

Leia mais

Ser cubano (mas não só)
é meio caminho andado!

A contratação de médicos estrangeiros, nomeadamente cubanos, quando existem no país mais de 4.000 profissionais desempregados, foi hoje questionada, em Luanda, pelo Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (Sinmea). Eles são médicos, são professores, são tudo o que Cuba quiser. É assim desde 1975, altura em que os mercenários de Fidel Castro vieram ajudar o MPLA a matar… angolanos. Segundo o presidente do Sinmea, Adriano Manuel, o Ministério da Saúde foi a Cuba para contratar médicos expatriados, “alguns deles com rótulos de especialistas”. “E quando vêm para Angola, nós identificamos…

Leia mais

“Frumação de Profeçores”

Essa deve ser, com quase certeza absoluta, uma brincadeira de mau gosto. Com que então agora dizem que os professores angolanos poderão vir a ser formados na República do Gana, na sequência de um acordo assinado entre os dois países? Isto até parece mentira. Por Domingos Kambunji Angola corre o risco de, em breve, ter mais universidades do que população. Não nos esqueçamos que somos quase trinta milhões de angolanos residentes… Na próxima campanha eleitoral o MPLA irá prometer fundar 40 milhões de universidades? O objectivo é fundar muitas, muitíssimas…

Leia mais

Para ensinar português
só mesmo os… cubanos!

Representantes de associações cubanas, em Angola, defenderam, em Luanda, a necessidade dos governos dos dois países reforçarem a cooperação no domínio da educação, por ser a chave para o desenvolvimento económico e social. Certamente que, em Cuba, João Lourenço manifestará o seu acordo. Ninguém melhor do que os cubanos para, por exemplo, ensinar os angolanos e falar e a escrever em… português. Em declarações à Angop, o presidente da Associação da Comunidade Cubana Residente em Angola (ACRA), Carlos Moncada Valdez, sugeriu que as autoridades angolanas explorem mais o potencial cubano…

Leia mais

Com professores assim…

Portugal é o país que menos cumpre as recomendações do Conselho da Europa contra a corrupção. Um relatório agora publicado garante que no final de 2018 faltavam cumprir 73% dessas recomendações. Com tão bons professores e amigos não admira que os alunos do MPLA sejam o que são, sendo legítimo que queiram ser ainda… “melhores”. Portugal é quem fica pior na fotografia, posicionando-se atrás da Turquia (70%), Sérvia (59%), Roménia (44%), Bélgica (42%) e Croácia (39%). O relatório faz ainda questão de “lamentar” que Portugal, à semelhança de outros 13…

Leia mais

Entre a “sexta básica” financeira e a “cesta básica” educacional

O Ministério da Educação e a Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG) assinaram hoje, em Luanda, um protocolo de cooperação para a introdução de conteúdos de educação financeira no sistema de ensino angolano, a partir de 2022. E para quando a introdução de conteúdos sobre como escrever (mais ou menos) bem a língua portuguesa? Não basta ser general, ou ter um diploma da Universidade Agostinho Neto, para saber quando deve dizer “houver” e não “haver”, ou “cesta básica” e não “sexta básica”… Estabelecer as premissas para inserção…

Leia mais

“Mpalês” ou português?

Em Angola, como mandam as regras do MPLA já que é o único partido que governa o país desde 1975, o regime prefere professores cubanos que nos ensinam a falar da “sexta básica” e não da “cesta básica”, de “marimbondo na cumeia” e não na colmeia ou, como se lê no site da Universidade Agostinho Neto (secção História), de “Repúbica”, “Silvicltura”, “Ectroténica”, “edífico”, “Ogânicas”, “orgãos”, “Senando”. Segundo o encarregado de Negócios da Embaixada de Angola no Egipto, Francisco Leandro de Almeida, na sessão comemorativa do 14º aniversário da institucionalização do…

Leia mais