O MANICO(MIAL) CLÃ DOS GRILÍDEOS

O Sindicato Nacional de Professores (SINPROF) angolanos disse hoje, em Luanda, que vai submeter à Organização Internacional do Trabalho (OIT) provas das ameaças de que estão a ser alvo os docentes que aderiram à greve. Mas alguém acredita que um governo do MPLA, que há 47 anos é um paradigma do respeito pelas mais puras e sublimes regras da democracia, seria capaz disso? uilherme Silva, presidente do SINPROF, diz que “neste momento vive-se um terror psicológico de Cabinda ao Cunene, do Luau ao Lobito, no seio dos professores. Enviam SMS,…

Leia mais

VOTO DE CONFIANÇA DOS PROFESSORES OU DA CNE?

A ministra da Educação angolana, Luísa Grilo, pediu hoje “ponderação e voto de confiança” aos professores do ensino geral, que anunciaram uma greve a partir de quarta-feira, garantindo que o executivo está a trabalhar para solucionar as suas reivindicações. Há 47 anos que o MPLA promete “resolver os problemas do Povo”. O resultado está à vista. Só acredita quem quer. “executivo está a trabalhar no sentido de responder às preocupações apresentadas, algumas delas já foram solucionadas, outras estão em via de solução, e então apelava aos meus colegas a alguma…

Leia mais

ENTRE O ÓBVIO E O… ÓBVIO!

A UNITA, maior partido da oposição que o MPLA ainda permite em Angola, considerou hoje que este ano a situação dos professores do ensino superior, que recentemente suspenderam uma greve, “só piorou” e vai pedir mais verbas para o sector no Orçamento Geral do Estado. Afinal, ao que parece, o partido de Adalberto da Costa Júnior não está de férias… O grupo parlamentar da UNITA recebeu hoje representantes do Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Superior (Sinpes), o segundo encontro que se realiza este ano e afirmou que, de Fevereiro…

Leia mais

PROFESSORES (SÓ) QUEREM SER… GENTE

O Conselho Nacional do Sindicato Nacional de Professores (Sinprof) de Angola anunciou hoje que vai retomar a greve suspensa a 24 de Abril de 2021, caso as suas reivindicações não sejam atendidas. O comunicado final da IV reunião ordinária do Conselho Consultivo do Sinprof, que decorreu entre quinta-feira e hoje, refere que as greves foram agendadas para três períodos, a primeira, entre 23 e 30 de Novembro próximo, a segunda, entre 6 e 16 de Dezembro, e a terceira, entre 3 e 31 de Janeiro. No documento, o Conselho Consultivo…

Leia mais

MPLA SÓ CONHECE AS OUTRAS… CARTEIRAS!

Diavava Bernardo, o professor angolano que organizou um protesto para reivindicar mais carteiras numa escola de Luanda foi hoje recebido “euforicamente” pelos alunos, mas impedido de dar aulas pela direcção do estabelecimento escolar, certamente cumprindo ordens superiores de quem manda no reino, o MPLA. Diavava Bernardo, que chegou a ser detido pela polícia na semana passada, na sequência da marcha em que participaram cerca de 300 alunos, contou que se dirigiu à escola, em que leccionava há menos de dez dias, para dar aulas, mas foi informado que antes deveria…

Leia mais

“FALTA DE CARTEIRAS”? ISSO É “FAKE NEWS”…

A Direcção Nacional de Direitos Humanos de Angola criticou os tiros feitos pela polícia (que se diz nacional mas que é apenas do MPLA) para dispersar uma manifestação de um professor e alunos para exigir mais carteiras escolares, segundo dirigentes do Movimento Estudantil Angolano (MEA) que reuniram com a instituição. Segundo a porta-voz do encontro, Arminda Milena Ernesto, foram abordados vários assuntos, além da detenção de um professor, na semana passada, na sequência da tentativa de uma manifestação, com cerca de 300 alunos, para reivindicar a falta de carteiras suficientes…

Leia mais

ENSINO EM EBULIÇÃO

Professores universitários angolanos retomaram hoje a greve por tempo indeterminado, suspensa há um mês, por “falta de vontade política” do Governo em solucionar as reivindicações da classe, sobretudo em relação ao aumento salarial, disse fonte sindical. Segundo o secretário-geral do Sindicato Nacional dos Professores do Ensino Superior (Sinpes), Eduardo Peres Alberto, a greve interpolada em 5 de Abril para 30 dias, a retomada nesta segunda-feira acontece por falta de vontade política das autoridades. “Findo o prazo e caso o governo não desse soluções sobre o problema salarial no dia 9…

Leia mais

“GOVERNAÇÃO É UM FRACASSO”

Cerca de 500 professores universitários angolanos manifestaram-se hoje em prol de aumentos salariais e melhores condições laborais, e prometeram sair à rua de 15 em 15 dias enquanto o executivo não atender as suas reivindicações. A manifestação aconteceu um dia depois de os docentes universitários se reunirem em assembleia-geral, tendo decidido manter a greve, que dura desde 3 de Janeiro, por tempo indeterminado. “Foi um sucesso”, descreveu o secretário-geral do Sindicato dos Professores do Ensino Superior (Sinpes), Eduardo Peres Alberto, indicando que aos docentes de Luanda se juntaram também colegas…

Leia mais

QUEM ESTÁ A INTIMIDAR OS PROFESSORES?

O Sindicato dos Professores do Ensino Superior (Sinpes) angolano denunciou “acções de intimidação” e admitiu convocar manifestações na próxima semana, devido à falta de sinais concretos do Governo sobre a greve dos professores, há mais de um mês. Afinal a culpa não é da UNITA e dos bispos da Igreja Católica? Hum! Segundo o secretário-geral do Sinpes, Eduardo Peres Alberto, alguns professores do ensino superior público, em greve por tempo indeterminado desde 3 de Janeiro passado, estão a ser “coagidos para leccionar sob pena de verem os seus salários suspensos”.…

Leia mais

PROFESSORES EM GREVE. CULPA DA… ?

O Sindicato Nacional de Professores e Trabalhadores do Ensino não Universitário (Sinptenu) angolano começou hoje a segunda fase da greve, que decorre até 26 de Janeiro, para reivindicar actualização dos salários, anunciou fonte sindical. Segundo o secretário-geral do Sinptenu, Victor Gimbi, a greve surge por “não haver boa vontade” do Ministério da Educação na resolução das suas reivindicações, plasmadas num caderno reivindicativo remetido em Fevereiro de 2021. “A greve é um facto, porque estamos a reivindicar a actualização da tabela salarial. Não se justifica que um professor, seja qual for…

Leia mais