Na história de Portugal (e do MPLA)

Otelo Saraiva de Carvalho, militar e estratega do 25 de Abril de 1974, morreu hoje de madrugada aos 84 anos, em Lisboa. Foi um dos obreiros do 25 de Abril, sendo considerado o cérebro da revolução. Era o responsável pelo sector operacional da Comissão Coordenadora do Movimento das Forças Armadas (MFA), dirigindo as operações da revolução a partir do posto de comando no quartel de operações no Regimento de Engenharia n.º 1, na Pontinha, nos arredores de Lisboa. No Movimento das Forças das Forças Armadas (MFA), que derrubou a ditadura…

Leia mais

Os crimes das forças beligerantes no conflito armado da independência de Angola

Se Portugal incorreu em crimes de lesa-humanidade, as forças insurgentes não lhe ficaram atrás. Uns e outros enganados por doses opressivas de propaganda e oxidados na violência e na xenofobia. Por Carlos Pacheco Historiador angolano (*) Nos últimos tempos reganhou fôlego nos círculos da intelectualidade portuguesa o debate em torno do que é comum designar por guerra colonial. Fala-se muito da legitimidade da violência das organizações nacionalistas em armas contra o terror da hidra colonialista e das balas disparadas pelos portugueses contra populações inocentes nos teatros de guerra africanos. As…

Leia mais

A memorável e individual memória

A 15 de Março de 1961 começou, em Angola, a guerra contra a dominação colonial portuguesa. Entre muitas obras já escritas, recordamos a “Guerra Colonial – A História na Primeira Pessoa”, 16 volumes publicados em 2011 e de que são autores dois jornalistas angolanos, Orlando Castro (hoje director-adjunto do Folha 8) e Paulo F. Silva (já falecido). “Para Angola depressa e em força”, anunciou António de Oliveira Salazar no rescaldo da insurreição angolana em 1961. Entre as plantações de algodão e café, as intervenções militares portuguesas começavam a ser uma…

Leia mais

Que história militar?

Segundo o órgão oficial do MPLA, o Jornal de Angola, estrategas militares e historiadores angolanos dizem-se prontos, para o desafio lançado, dia 17 de Dezembro, pelo Presidente da República, general João Lourenço, que espera contar com uma maior contribuição dos reformados das Forças Armadas Angolanas, na elaboração da “história militar”. João Lourenço, que falava por altura de mais um aniversário do exército, um dos três ramos das Forças Armadas Angolanas, acredita que com essa contribuição o país estaria a perpetuar a história das grandes batalhas militares. Ouvidos, em exclusivo pelo…

Leia mais

1961, 1975 ou… 1482?

Deputados angolanos defenderam hoje que, em vez de 1975, a data da independência de Angola seja considerada 1961, início da luta armada no país, o marco para o reconhecimento das vítimas de conflitos armados no país. O mais correcto talvez fosse tudo começar em 1482, ano em que terá chegado à foz do rio Congo uma frota portuguesa, comandada pelo navegador Diogo Cão. Este ano, 1961, marcou o início da guerra colonial, que se prolongou por 13 anos e começou em Angola. A posição foi hoje expressa durante a discussão,…

Leia mais

Ditaduras a sério é assim
– MPLA cria a sua OPVDCA

O Governo do MPLA defendeu hoje a entrada em funcionamento, no reino de que é proprietário (Angola), dos Conselhos e Vigilância Comunitários (CVC), previstos na lei desde 2016, para auxiliar os órgãos de defesa e segurança no combate e prevenção da criminalidade. São uma espécie de Brigadas Populares dos primórdios da independência ou, antes disso, da colonial OPVDCA (Organização Provincial de Voluntários e Defesa Civil de Angola). O propósito foi avançado pelo ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, General (com escola militar no…

Leia mais