Até breve, Avó Cessá

Ontem, 26 de Setembro, foi a enterrar minha avó Cessá. Triste! Muito! Era uma referência incontornável, pois preservava a imagem, também, do avô Maximbombo, paterno de mamãe e tios, não poucos, o cassule, foi gerado, estava ele, africanamente, falando, no esplendor da idade: 91 anos. Por William Tonet O conhecimento do infausto acontecimento, tive-o, na véspera, da sua inesperada partida. Deixou-me destroçado, pois estava na redacção, com o compromisso do fecho da edição impressa da semana. A avó Cessá era, além de tudo, uma exímia “otchissanguista” (fazedora de bebida caseira,…

Leia mais

Um até sempre!

Olhei a chuva amarga que batia /tão felina quanto agre e agreste / nas vidraças do meu coração. / Fiquei sem saber se era pesadelo / ou apenas a saudade de uma dor / que fez da oração só um abafo. Por Orlando Castro Olhei a penumbra que vinha do sul como se com ela viessem notícias da minha banda, da outra banda. Fiquei sem saber se a saudade vive ou se apenas é miragem africana num coração que baloiça ao vento. Olhei a madrugada que sonolenta dormia aos pés…

Leia mais

Morreu o nacionalista Jaime de Sousa Araújo

Jaime de Sousa Araújo, uma referência histórica da luta de libertação de Angola, nascido em Angola a 14 de Outubro de 1920, faleceu hoje em Portugal, aos 99 anos, vítima de doença. No segundo volume da “Guerra Colonial – História na Primeira Pessoa”, uma série de livros publicada em Portugal e de que são autores os jornalistas Paulo F. Silva e Orlando Castro (este hoje director-adjunto do Folha 8) é reproduzido um artigo de Jaime de Sousa Araújo, publicado no Notícias Lusófonas em 15 de Março de 2007 e que…

Leia mais

Governo lamenta morte de Diogo Freitas do Amaral

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Domingos Augusto, lamentou hoje (tal como ontem já tinha feito a UNITA), com “profunda consternação”, a morte de Freitas do Amaral, sublinhando o seu “enorme e indelével contributo à luta pela libertação dos povos africanos de língua portuguesa”. Numa nota de pesar em nome do povo e do Governo de Angola e em seu nome pessoal, enviada ao ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, o ministro angolano considerou que a morte de Freitas do Amaral, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros da…

Leia mais

Até breve José Pedro Tonet

No passado dia 23 de Dezembro faleceu, na África do Sul, José Pedro Tonet, Tio do nosso Director. Por questões burocráticas o funeral só teve lugar, em Angola, no dia 31 de Dezembro. À família do falecido o Folha 8 apresenta os seus mais sentidos pêsames. E m homenagem a José Pedro Tonet, aqui reproduzimos o elogio fúnebre feito por William Tonet: “Hoje estamos aqui reunidos carregados de um misto de tristeza, dor, saudade e alegria, pelo passamento de um grande homem, quer para a família, como para os amigos…

Leia mais

Morreu Maria Barroso

Maria Barroso, mulher do ex-Presidente da República Mário Soares, morreu hoje, aos 90 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internada, em estado grave, desde 26 de Junho. O funeral será amanhã, quarta-feira. para o Cemitério dos Prazeres, em Lisboa. I nternada devido a uma queda, foi-lhe depois diagnosticado um derrame intracraniano e entrou em coma no mesmo dia. Maria Barroso casou com Mário Soares em 1949, de quem tem dois filhos, João e Isabel. Actriz, foi uma das fundadoras do Partido Socialista, liderado por Mário Soares,…

Leia mais

Morreu Afonso Van-Dúnem “Mbinda”

fonso Van-Dúnem "Mbinda"

Faleceu hoje em Luanda, vítima de doença, aos 73 anos, o secretário para as Relações Exteriores do MPLA e presidente do Conselho de Administração da Fundação Sagrada Esperança, Afonso Van-Dúnem “Mbinda”. Afonso Van-Dúnem foi, segundo um comunicado MPLA, “um nacionalista e fortes e grandes convicções, tinha 73 anos de idade e dedicou toda a sua vida à causa do povo angolano, tendo ingressado nas fileiras do MPLA em 1961, aos 20 anos de idade”. O MPLA precisa que durante a luta de libertação nacional, participou na Conferência Nacional do Movimento,…

Leia mais

Faleceu a historiadora Dalila Cabrita Mateus

Faleceu a historiadora Dalila Cabrita Mateus - Folha 8

Dalila Mateus era autora de uma obra de referência, “A PIDE/DGS na guerra colonial 1961-1974”, e, em conjunto com Álvaro Mateus, de várias investigações mais recentes sobre a guerra que assolou Angola nos anos pós-independência. Olivro sobre o papel da PIDE na guerra colonial apresentava a originalidade quase iconoclasta de mostrar as diferenças entre o comportamento da mesma polícia na metrópole e nas colónias. Sem nunca desvalorizar as violências e torturas da PIDE em Portugal, a historiadora mostrava como a polícia da ditadura conseguia ser ainda mais brutal, logo que…

Leia mais