Há minas e… minas

Angola registou este ano 55 acidentes com minas e explosivos não-detonados, segundo o assessor da comissão nacional de desminagem, acrescentando que o país possui ainda 613 áreas afectadas por minas. Será mesmo do interesse do Estado/MPLA acabar com este flagelo? É que as minas podem (continuar a) ser uma mina. Adriano Gonçalves informou que, segundo o registo provisório até à data, a maior parte dos acidentes deu-se com artefactos explosivos não-detonados (bomblets — munições, ‘rockets’, entre outros, lançados por via aérea ou terrestre, através de artilharia, que se espalham pelo…

Leia mais

Minas (das que matam) não nos largam

Angola libertou, nos últimos cinco anos, 90% das áreas suspeitas de contaminação por minas, mas os progressos não retiraram o país da lista dos 10 estados mais contaminados, segundo um relatório hoje divulgado. Sejamos justos e não imputemos responsabilidades ao Governo de João Lourenço que, como é visível, tem outras prioridades mais importantes e que não passam por salvar angolanos de serem mortos, ou feridos, pelas minas da nossa vergonha. De acordo com o relatório anual da Campanha Internacional para a Erradicação de Minas Terrestres (ICBL, na sigla em inglês),…

Leia mais

Eles fizeram o que o MPLA nunca fez durante 44 anos

O Presidente de Angola, João Lourenço, elogiou hoje a visita do príncipe britânico Harry ao país e agradeceu o trabalho que a sua mãe, Diana, efectuou para dar “atenção global” ao sofrimento dos civis angolanos, fazendo o que o MPLA nunca foi capaz de fazer nos últimos 44 anos. “A presença de Sua Alteza Real o Duque de Sussex em Angola, nesta semana, reflecte bem o espírito de optimismo que hoje alimenta o povo angolano. Angola agradece imensamente à sua mãe, Diana, Princesa de Gales, pela sua determinação em levar…

Leia mais

Minas (ainda) andam por aí

Verbas do Orçamento Geral do Estado diminuíram, assim como financiamento internacional. Estima-se que existam em Angola entre 40 a 60 mil vítimas de minas, número que o Governo quer apurar com mais rigor mas que, certamente, precisam do reforço orçamental que o Executivo diz não ter. Angola tem ainda mais de mil campos minados para eliminar, mas perdeu cerca de 90% do seu financiamento internacional para combater o flagelo, o que torna mais difícil cumprir a meta de libertar o país destes engenhos até 2025. Sucedem-se, aliás, as metas, as…

Leia mais

Se fosse o Povo a escolher as vítimas das minas…

O governo angolano necessita, segundo revelação feita hoje (27 de Agosto de 2019), de 300 milhões de dólares (269,7 milhões de euros) para se ver livre de minas até 2025, quando ainda tem cerca de 1.220 áreas do seu território afectado por este tipo de artefactos explosivos. No dia 7 de Junho de 2019, o mesmo responsável do CNIDAH afirmou: “As autoridades angolanas reconhecem que o país ainda apresenta um “alto nível de contaminação de minas”, sendo necessários pelo menos 300 milhões de euros para libertar anualmente, até 2025, 450…

Leia mais

Hoje e sempre, twapandula
à “nossa” princesa Diana

Angola “limpou” mais de 2.000 campos de minas desde 2002, quando acabou a guerra civil, estando ainda identificados outros mil, razão pela qual o Landmine Monitor ainda classifica como “grave” a situação, segundo o director do INAD angolano. O director do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) angolano, brigadeiro José Domingos de Oliveira, refere que o processo de desminagem em Angola já custou, desde 2002, mais de 500 milhões de dólares (446 milhões de euros). Domingos Oliveira ressalvou que, apesar da diminuição no número de campos com minas de diversas tipologias,…

Leia mais

Twapandula princesa Diana

Os Estados Unidos da América vão doar quatro milhões de dólares para o programa de desminagem de Angola, mas o país precisa de 246 milhões de dólares para cumprir o objectivo de concluir a limpeza até 2025. Isto se, entretanto, o dinheiro não “explodir” noutras frentes mais do agrado do regime de sua majestade o rei José Eduardo dos Santos. O anúncio da disponibilização desta verba pelo Departamento do Estado, a aplicar este ano, foi feito hoje no Huambo por Constance Arvis, ministra conselheira da embaixada norte-americana em Luanda, no…

Leia mais

Só o Povo é vítima das minas

O governo de sua majestade o rei de Angola pretende realizar uma conferência de doadores para o sector da desminagem, quando se prepara para pedir mais oito anos de extensão do prazo para cumprir o artigo 5.º da Convenção de Otawa, ou seja a declaração de país livre de minas. O anúncio foi hoje feito no decorrer de uma reunião organizada pela Comissão Nacional Intersectorial de Desminagem e Assistência Humanitária (CNIDAH), com parceiros, para informar as acções desenvolvidas nos últimos três anos, desde que foi dada a Angola uma moratória…

Leia mais

União Europeia disponibilizou 20 milhões de euros para desminagem

Vinte milhões de euros foram disponibilizados este ano pela União Europeia (UE) em apoio a projectos de desminagem em 11 províncias do país, numa iniciativa que visa melhorar a livre circulação de pessoas e bens. O facto foi dado a conhecer hoje, na vila do Bailundo, 75 quilómetros a norte da cidade do Huambo, pela responsável da Comissão Nacional Intersectorial de Desminagem e Assistências Humanitárias (CNIDAH), Rita Botelho Jesus Riba, durante o lançamento do projecto de desminagem no município do Bailundo. Informou ainda que o montante está a ser aplicado nas províncias do Huambo,…

Leia mais