Inflação é como a fome. Não pára de crescer

Os preços em Angola aumentaram 24,82% nos últimos 12 meses, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano, depois de ter visto um aumento de 2,09% nos preços entre Março e Abril. “A variação homóloga situa-se em 24,82%, registando um acréscimo de 4,01 pontos percentuais com relação a observada em igual período do ano anterior”, refere o Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN). A classe Alimentação e Bebidas não Alcoólicas foi a que registou um maior aumento dos preços neste período, com 2,58%, seguindo-se Saúde,…

Leia mais

No desvalorizar é que está o (ganho do) MPLA

A consultora Oxford Economics considera que o kwanza deverá depreciar-se mais de 50% face ao valor do ano passado, o que fez a inflação subir para o nível mais alto desde Dezembro de 2017. Como se vê, o Governo continua a melhorar o que está bem e corrigir o que está mal… “Principalmente devido à queda do preço do petróleo este ano e à liberalização cambial, o kwanza perdeu cerca de 20% do seu valor desde o início do ano, tendo passado a barreira dos 600 dólares em Junho, mas…

Leia mais

Kwanza? Ainda existe?

O kwanza desvalorizou quase 250% desde 2017, uma estratégia necessária para defender as reservas líquidas internacionais, mas não suficiente, porque o país ainda precisa de dinamizar o sector produtivo de Angola, defende o economista Fernandes Wanda. Vamos, portanto, de desvalorização em desvalorização até ao… óbito. O investigador da School of Oriental and African Studies University of London salientou que existe uma interligação entre a desvalorização do kwanza, a política cambial, a inflação e a política monetária, “um problema que não é de hoje”, embora se tenha acentuado. Fernandes Wanda notou…

Leia mais

Kwanza bate no fundo por obra e (des)graça do BNA

A consultora Economist Intelligence Unit considerou que a decisão do Banco Nacional de Angola (BNA) de retirar o limite de 2% à variação do kwanza foi o “gatilho provável” da forte depreciação da moeda em Outubro. “A retirada do limite de 2%, que terá acontecido no princípio de Setembro, foi o gatilho provável para a repentina depreciação do kwanza, e não um aumento da procura de importações nas vésperas do natal nem uma falta de dólares devido ao combate às actividades criminosas”, escrevem os peritos da unidade de análise económica…

Leia mais

Reservas líquidas caem
e estão ao nível de 2011

O gabinete de estudos do Banco Fomento Angola disse hoje que as reservas líquidas de Angola em moeda estrangeira caíram para 10,1 mil milhões de dólares, o valor mais baixo desde pelo menos 2011, ano em que começaram a ser feitas estas estatísticas. De acordo com o relatório semanal enviado aos investidores, os analistas do BFA sublinham que este valor, equivalente a 9,1 mil milhões de euros, “é o valor mais baixo desde pelo menos 2011, quando a actual série estatística começou”. No documento, o gabinete de estudos económicos do…

Leia mais

Para o MPLA, quando cai o kwanza tem mais encanto

A moeda nacional perdeu 15,8% este mês, segundo os dados oficiais do Banco Nacional de Angola, que reviu novamente os câmbios esta tarde, o que arrastou o kwanza para uma perda de 31,3% desde Janeiro. Coisa normal dirão os nossos peritos com a carteira abarrotada de… dólares. De acordo com os cálculos da Lusa com base nos dados do banco central angolano, um dólar valia esta tarde 449 kwanzas (valor médio), quando em 1 de Outubro a equivalência era de 378 kwanzas. Olhando para os dados desde o princípio deste…

Leia mais

Poesia da crise. Inflação rima com desvalorização

A moeda angolana depreciou-se hoje ligeiramente para um mínimo histórico face à europeia, ao ser transaccionada oficialmente a 355,737 kwanzas/euro, “batendo” os 355,047 kwanzas/euro registados a 20 de Novembro de 2018, indica hoje o Banco Nacional de Angola (BNA). Segundo os dados do banco central, a moeda angolana, que se tem mantido estável nos últimos dois meses, variando entre os 350 e os 354 kwanzas/euro, continua com essa tendência, depois de, já este mês, ter oscilado entre os 352 (dia 4 de Janeiro) e 354 kwanzas/euro (dia 2). Desde 9…

Leia mais

Talvez um dia o alvo encontre a bala

O Banco Nacional de Angola (BNA) indicou hoje que vai disponibilizar este mês 700 milhões de dólares (610 milhões de euros) em moeda estrangeira aos bancos comerciais, mantendo a frequência diária de leilões de preços na venda de divisas. No primeiro comunicado de 2019, o BNA refere que a venda de divisas se destina também a garantir os “plafonds” para cartas de crédito, bem como a liquidação de cartas de crédito, ao atendimento às casas de câmbio e às operadoras de remessas. Após cada sessão, o BNA divulgará, no seu…

Leia mais

Kwanza cai, fome aumenta

A moeda angolana, o kwanza, depreciou-se este ano 47,734 por cento face à congénere europeia e 46,504 por cento frente à norte-americana, apesar de se manter estável há cerca de dois meses, segundo os dados hoje apresentados pelo Banco Nacional de Angola (BNA). Hoje, último dia do ano, o euro está cotada a 354,828 kwanzas (a 1 de Janeiro transaccionava-se a 185,4 kwanzas/euro), o que corresponde a uma depreciação de mais de 47 por cento, tendo atingido mínimos históricos há cerca de mês em meio (355,057 kwanzas/euro). Em relação ao…

Leia mais

Quénia e Etiópia podem ultrapassar Angola

A consultora Bloomberg Intelligence (uma espécie de marimbondo que de vez em quando teima em azucrinar o superior qualidade governativa da equipa de João Lourenço/MPLA) alertou hoje que novas desvalorizações do kwanza, no seguimento do acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), podem fazer com que Angola caia para o quinto lugar das maiores economias da África subsaariana, sendo ultrapassada pelo Quénia e Etiópia. Mal sabe a consultora que, nesta altura, estará já a ser escolhida uma comissão técnica e multissectorial para encontrar matéria de facto que justifique que o…

Leia mais