APÁTRIDAS POR ORDEM DO MPLA

Ao escorraçar os angolanos de origem portuguesa (brancos, portanto), o MPLA cometeu (e continua a cometer) um crime mensurável no facto de, por exemplo, Angola ainda hoje não ter atingido os índices que equidade social que registava em 1973/74. Escudado na razão da força, os dirigentes do MPLA mais não conseguiram do que mostrar o seu monstruoso complexo de inferioridade. Por Orlando Castro Ao contrário da tese do MPLA, a culpa não é só dos portugueses de hoje que, ao contrário dos de ontem, procuram sacar tudo o que podem,…

Leia mais

PRESIDENTE RELATIVO DE UMA RELATIVA GOVERNAÇÃO

Nunca me senti tão, relativamente, decepcionado, perdão, absolutamente, revoltado com a relativa linguagem do presidente do MPLA, João Manuel Gonçalves Lourenço. De humilhação em humilhação, até a humilhação final, aos angolanos, chegou a vez de brincar, “brutalmente” com a fome, que assola cerca de 20 milhões de pobres. Dom Lourenço conjugou, abjectamente, o verbo, no relativo, transformando-o, em estrofe, relativa: “fome, fome, fome”, jocosamente, contra os autóctones, numa baixaria que nem a relatividade partidocrata encontra assento. Por William Tonet O presidente do MPLA, João Manuel Gonçalves Lourenço, ofendendo milhões de…

Leia mais

FOME, FOME, FOME, FOME

Um relatório do Governo angolano sobre a situação da insegurança alimentar e nutricional aguda em três províncias do sul (fome em bom português) concluiu que 1,32 milhões de pessoas estão bastante afectadas, e que até Março de 2022 pode chegar aos 1,58 milhões. Não são dados relativos… Os dados constam do relatório realizado pelo Departamento Nacional de Segurança Alimentar, da Direcção Nacional de Agricultura e Pecuária (DNAP), do Ministério da Agricultura e Pescas nas províncias do Cunene, Huíla e Namibe, entre Março e Maio de 2021, com inquérito em 17…

Leia mais

“A FOME É SEMPRE RELATIVA”, DIZ JOÃO LOURENÇO

Num pronunciamento feito durante um comício no sábado, 11, para assinalar a sua reeleição como presidente do MPLA (partido que governa Angola há 46 anos), João Lourenço disse que o país tem muita produção de bens alimentares e considerou que o uso incessante da palavra fome por vários actores talvez seja uma questão de conveniência própria ou política. “A fome é sempre relativa”, disse João Lourenço. Tem razão. No círculo familiar dos dirigentes do reino ninguém passa fome. João Lourenço acrescentou que, em rigor, o que se passa em Angola…

Leia mais

E O PRIMEIRO “DÍZIMO” FOI PARA… EDUARDA RODRIGUES

A Procuradora Eduarda Rodrigues, directora do Serviço Nacional de Recuperação de Activos da Procuradoria Geral da República, viu o seu trabalho compensado com a atribuição, a título definitivo, de uma milionária residência no luxuoso condomínio Malunga Residence, em Talatona, em Luanda. Por Graça Campos (*) A imponente casa passou para a esfera da funcionária da Procuradoria Geral da República por via do Instituto do Fomento Habitacional. Peritos em imobiliária avaliam o seu preço em mais de 1.500.000.000,00 (mil e quinhentos milhões de kwanzas), uma “ninharia” que, ao câmbio da moeda…

Leia mais

A história do Joãozinho

A Polícia angolana desmantelou, em Luanda, um grupo de supostos marginais, liderados por um menor de 10 anos, que se dedicavam ao crime de roubo em residências e estabelecimentos comerciais, com recurso a catanas e facas. Segundo o informe do comando provincial de Luanda da Polícia Nacional, o grupo era ainda integrado por outros menores de 16 e 17 anos e um adulto de 37 anos, que actuavam no distrito urbano do Zango, município de Viana. Conta-se que, em tempos, o mais ilustre comandante da Polícia Nacional (do MPLA), Paulo…

Leia mais

João Lourenço sabe escolhê-los a dedo

O ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, não descobriu a pólvora mas descobriu que Angola reúne todas as condições para passar de importador a exportador de frangos em grande escala, com o objectivo de inverter a dependência deste produto fundamental da cesta básica. Disse-o em Julho de 2020. Hoje, o secretário de Estado para o Planeamento, Milton Reis, afirmou que a importação de carne de frango absorveu cerca de 145 milhões de dólares nos primeiros oito meses do ano. João Lourenço sabe escolhê-los a dedo… Abril de 2017. O…

Leia mais

São geradas com fome, nascem com fome, morrem com fome

Metade das crianças com idade entre seis meses e dois anos de 91 países não faz o número mínimo de refeições recomendadas por dia, enquanto dois terços não têm a dieta variada necessária para se desenvolverem adequadamente. A denúncia, recorrente, é feita pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), num relatório hoje divulgado. “Os resultados do relatório são claros: Numa fase em que muito está em jogo, milhões de crianças pequenas sentem a ameaça do fracasso”, declarou a directora da UNICEF, Henrietta Fore, citada num comunicado que insta…

Leia mais

A malária é doença de pobres

Angola registou, entre Janeiro e Maio de 2021, 3.799.458 casos de malária e 5.573 óbitos, representando um acréscimo de casos, mas uma redução de mortes face ao período homólogo, segundo a ministra da Saúde angolana. Enquanto a malária não entrar nos “bunkers” dos donos do reino, continuará a ter livre trânsito para matar os pobres. Sílvia Lutucuta apresentou hoje os dados numa conferência de imprensa em Luanda, notando que a malária tem sofrido um ligeiro (segundo os dados oficiais que, contudo, estão muito longe da realidade) incremento no número de…

Leia mais

Em Cafunfo continuam a morrer pessoas

O arcebispo de Saurimo, José Imbamba, denunciou hoje que na região de Cafunfo e em zonas de exploração diamantífera do leste de Angola “continuam a morrer pessoas”, responsabilizando os seguranças que protegem as minas, e pediu a “salvaguarda da vida”. Não mata a Polícia Nacional (do MPLA), mata a segurança (à qual o MPLA dá cobertura). É a continuação do forrobodó canibalesco dos cleptocratas. “Em Cafunfo, ainda continuam a morrer pessoas, nas zonas de exploração diamantífera ainda continuam a morrer pessoas, portanto os seguranças das empresas que defendem as minas…

Leia mais