Não basta ter razão

O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, afirmou hoje que ao fim de quase 15 anos de paz em Angola, o país “está longe” de ser uma “democracia autêntica”. Tem toda a razão. Se a isso se juntar o facto de também não ser um Estado de Direito, então o retrato do regime fica quase completo. “A vançamos muito menos do que os tempos permitem. Estamos ainda distantes da instauração institucional e da prática dos requisitos mínimos de uma democracia autêntica”, afirmou Isaías Samakuva, na abertura das VI Jornadas Parlamentares da…

Leia mais

Deputados (da oposição) unidos mostram o caminho

Os deputados à Assembleia Nacional pelas bancadas da UNITA, CASA-CE, PRS e FNLA, realizaram em Luanda, nos dias 8 e 9 de Setembro de 2015, as Jornadas Parlamentares Conjuntas sob o Lema: “Juntos Por um Parlamento Democrático ao Serviço dos Angolanos”. E is, na íntegra, o comunicado final das jornadas: “Apesar da rejeição da cedência de uma das salas solicitadas a presidência da Assembleia Nacional para a realização do presente evento, a sessão de abertura foi honrada com a presença de destacadas figuras da sociedade civil angolana, do mundo académico,…

Leia mais

Reconciliação pelo retorno dos corações entre irmãos

As I Jornadas Parlamentares dos Partidos da Oposição; UNITA, CASA-CE, PRS e FNLA poderá inaugurar uma nova época na relação entre as forças políticas da oposição e o actual e longevo regime, não já de Partido Único mas de Pessoa Única. P essoa única corporizada na figura de Eduardo dos Santos, qual cópia do rei francês Luís XIV: “L’état se moi” (O Estado sou Eu), se estes colocarem os seus caprichos umbilicais, abaixo dos mais sublimes interesses da maioria dos angolanos e partirem para uma Ampla Coligação Eleitoral da Oposição.…

Leia mais

Lições de Dom Francisco Viti

O Bispo Emérito do Huambo, Dom Francisco Viti, numa intervenção de sapiência, está a engalanar o terceiro painel das I Jornadas Parlamentares da Oposição, que decorrem em Luanda, no Plazza Hotel. A sala não se contém, principalmente, pelos seus contundentes apelos à paz, ao não enriquecimento ilícito e ao amor que deve existir entre todos os irmãos e não a uma paz que seja apenas uma pausa, do calar das armas. Temos de construir na unidade e na diversidade uma paz verdadeira, real, sem cinismo e com transparência nos actos…

Leia mais