MPLA JÁ FORNECEU O GUIÃO AOS OBSERVADORES EUROPEUS

A missão de peritos eleitorais da União Europeia já se encontra em Angola e foi recebida pela presidente do Tribunal Constitucional (sucursal do MPLA), Laurinda Cardoso, segundo uma nota do gabinete de comunicação do TC. A missão europeia chegou a Angola na passada quinta-feira e é chefiada pela Embaixadora da União Europeia em Angola, Jeannette Seppen. Conta igualmente com a presença de Tânia Maria Magalhães Marques e de Alexandre Gray, ambos responsáveis do Serviço Europeu para a Acção Externa (SEAE). Durante a audiência com Laurinda Cardoso, a missão europeia recebeu…

Leia mais

DEMOCRACIA? UM DIA… TALVEZ!

Enquanto membros da sociedade civil angolana (julgando estar num Estado de Direito Democrático) deram entrada hoje de uma acção popular junto do Tribunal Supremo (TS) angolano contra o Presidente da República e os órgãos de informação públicos, pela “falta de isenção e tratamento desigual” dos partidos políticos, a Assembleia Nacional (do MPLA) já tratou das reservas nos melhores hotéis do reino para alojar os 50 observadores internacionais dos países-membros da CPLP e da SADC. A acção popular, subscrita por 57 membros da sociedade civil, afectos a várias organizações cívicas, foi…

Leia mais

FOCINHOS HÁ MUITOS…

A diplomacia angolana (ou seja o MPLA, ou seja o Governo, ou seja o Presidente da República, ou seja João Lourenço) já avisou os candidatos a observadores internacionais às eleições de 24 de Agosto que não volta a aceitar “ingerências” nos assuntos internos. Com o MPLA nada muda, nada se transforma. No dia 31 de Março de 2016, o regime de José Eduardo dos Santos classificou a declaração dos embaixadores União Europeia acreditados em Luanda sobre a condenação de 17 activistas como uma atitude “inamistosa”. Assim sendo, cuidem-se. Os diplomatas…

Leia mais

OBSERVADORES JÁ ESTÃO (BEM) ATENTOS….

Mais de 20 Organizações Não-Governamentais (ONG) que integram a plataforma Observatório Eleitoral Angolano (Obea) entregaram hoje na Comissão Nacional Eleitoral (CNE) o pedido para serem observadores nas eleições gerais de 24 de Agosto próximo. Segundo Carlos Cambuta, director-geral da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), ONG que integra o Obea, a CNE (sucursal do MPLA) acusou a recepção do pedido individual daquelas organizações. E acusar a recepção é já uma evolução digna de registo! “Do ponto de vista legal, o Obea não existe. O Obea é uma designação…

Leia mais

ESTÁ CONFIRMADA A FRAUDE ELEITORAL

Os números não deixam de surpreender. São milhares? Não! Milhões! O MAT, mancomunado com os SME, Polícia Guarda Fronteira, vão escancarar as fronteiras de Angola com os países vizinhos, para entrarem “falsos” cidadãos, autênticos mercenários eleitorais, vindos das República Democrática do Congo, República do Congo, Mali, Eritreia, Etiópia, Guiné Conacri, São Tomé, que entrarão pelas províncias do Uíge, Cabinda, Zaire, Lundas Norte e Sul, Moxico. Por William Tonet Os locais onde antes haviam controlos policiais foram levantados e a entrada é como o deslize de faca quente em manteiga mole.…

Leia mais

OBSERVADORES À E POR MEDIDA

A Comissão Nacional Eleitoral (CNE) angolana, sucursal do MPLA, anunciou hoje que vai formular convites para observação eleitoral a nove organizações internacionais, nomeadamente a União Europeia (UE), União Africana, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, SADC e Centro Carter dos EUA. Convites para observação das eleições gerais de Angola, convocadas para 24 de Agosto, começara hoje a ser formulados também à Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), Fórum das Comissões Eleitorais dos Países da SADC (Comunidade de Desenvolvimento da…

Leia mais

JACARÉS DO MPLA SÃO TODOS VEGETARIANOS

Enquanto o activista e professor universitário angolano Fernando Macedo defende que o MPLA deve abster-se “de voltar a realizar um processo eleitoral fraudulento”, criticando o “regime autoritário” e defendendo uma “rebelião pacífica” caso haja fraude eleitoral, o (ainda) dono disto tudo, João Lourenço, recomenda à UE que “não tenha pressa” na observação eleitoral. Falando aos jornalistas à margem da sua intervenção na conferência “Processos de democratização e Desenvolvimento em Angola”, que decorre na Universidade Católica de Angola, Fernando Macedo disse que “quem está no poder (em Angola) exerce o poder…

Leia mais

OBSERVADORES ELEITORAIS SÓ FEITOS À MEDIDA… DO MPLA

O líder da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, apelou ao Governo angolano (ou seja ao MPLA) para que avance com o pedido de observação internacional democrática das próximas eleições, para que esta não se restrinja aos “primos africanos”. Não serão primos africanos. Serão mesmo irmãos do MPLA, sejam africanos e/ou europeus. Adalberto da Costa Júnior falava aos jornalistas após receber uma delegação da União Europeia, num encontro em que foram analisados desafios do período eleitoral, entre outros temas, e que descreveu como “bastante positivo”. Sublinhando as “grandes expectativas” quanto a…

Leia mais

SÓ QUEM É SÉRIO ACEITA OBSERVADORES INDEPENDENTES

Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) terá Missão de Observação nas Eleições 2022 no Brasil. Além da CPLP foram convidadas outras instituições como OEA, Carter Center, Parlasul, Ifes e Uniore. Quanto às eleições em Angola é tudo mais pacífico pois, como nas anteriores, sabe-se quem ganha e porque margem mesmo antes da votação… Em assembleia extraordinária virtual realizada hoje, a Rede Eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) confirmou o envio de uma Missão de Observação Eleitoral para acompanhar as Eleições 2022 no Brasil. A reunião contou…

Leia mais

NAVITA NGOLO E JOÃO SOARES ARRASAM “DITADURA” DO MPLA E DE JOÃO LOURENÇO

A mandatária da campanha eleitoral de Adalberto da Costa Júnior (ACJ), Navita Ngolo, tal como a comunidade internacional, incluindo um grupo cada vez maior de membros do PS (Partido Socialista português), “amigo do MPLA” na Internacional Socialista, começa a distanciar-se da “ladainha” de alegada veia reformista e democrática de João Lourenço. Por Kuiba Afonso e Teresa Chambula Manuel Todos lhe apontam o dedo de autoritarismo de viés ditatorial e, neste grupo, distingue-se, também, o político português, João Soares, tal como a deputada angolana, com uma visão que arrasa o Presidente…

Leia mais