Portugal é… “barriga de aluguer”

A Winterfell, empresa de Isabel dos Santos que controlava a Efacec, apresentou uma acção de impugnação da decisão do Governo português de nacionalizar as suas acções da companhia, argumentando, entre outras alegações, violação de preceitos legais. Em comunicado, a Winterfell refere que, “nos fundamentos desta acção”, são apresentados dez argumentos de que a nacionalização da Efacec – empresa portuguesa que opera nos sectores da energia, engenharia e mobilidade – terá alegadamente violado “um conjunto de preceitos legais”. Na nota, a empresa Winterfell informa que, “na sequência da publicação no Diário…

Leia mais

PGR de Angola desconhece leis de países onde pleiteia

A recente nacionalização da Efacec e a informação distorcida passada pelo Procurador-Geral da República de Angola, general doutor, Pitta Groz, ao Titular do Poder Executivo, levando, erroneamente, João Lourenço a enquadrar o acto do governo português, de 2 de Julho de 2020, como estando no quadro da cooperação judiciária, entre os dois países. A nacionalização da empresa eléctrica, através do Decreto-Lei n.º 33-A/2020 de 2 de Julho, está fora dos acordos. Logo é uma ofensa à razoabilidade jurídica, tal interpretação e, mais grave é da irracionalidade e raiva na gestão…

Leia mais

Os louros de João Lourenço

O Presidente angolano, João Lourenço, considerou hoje que, “de alguma forma”, a nacionalização da Efacec está relacionada com a cooperação judiciária entre Angola e Portugal no âmbito dos processos que envolvem a empresária Isabel dos Santos e cuja documentação (supostamente comprovativa) a “Justiça” angolana ajudou a encaminhar para o “Luanda Leaks”. “É um trabalho que vem sendo feito entre a justiça angolana e a justiça portuguesa”, afirmou o chefe de Estado, à margem da inauguração do novo Instituto Geológico de Angola, em Luanda. Por outras palavras, o também Presidente do…

Leia mais

Portugal nacionaliza a Efacec

O Governo português anunciou que vai nacionalizar 71,73% do capital social da empresa Efacec Power Solutions. Esta medida garante, segundo o Executivo a “salvaguarda de cerca de 2.500 postos de trabalho” e a “continuidade da empresa”. A reprivatização deverá ser a fase seguinte. “E sta participação social é detida pela sociedade Winterfell 2, com sede em Malta, e indirectamente controlada por Isabel dos Santos”, disse, por sua vez, o ministro da Economia. “O Conselho de Ministros tomou esta decisão porque a Efacec está em situação de grande impasse accionista, na…

Leia mais

O último a rir é o que chora melhor

Isabel dos Santos recebeu quase 30 propostas para a aquisição da empresa que define como “um caso de sucesso”. A Efacec. Tanto sucesso que, no final e de acordo com a estratégia da Procuradoria-Geral da República do MPLA (Angola), os angolanos vão continuar com a barriga (ainda) mais vazia, e os seus proprietários continuarão a cantar e a rir num qualquer paraíso, fiscal ou não. Isabel dos Santos defende o sucesso da Efacec e sublinha que está “impossibilitada de poder ajudar”. Em comunicado emitido em nome da accionista Winterfell, tendo…

Leia mais

Sem contas congeladas

A empresa portuguesa Efacec esclareceu hoje que não tem as contas congeladas e que “está a operar a todos os níveis”, sublinhando que a sociedade e os seus accionistas “são entidades distintas”. No dia em que o Ministério Público de Portugal requereu o arresto de contas bancárias da empresária Isabel dos Santos, no âmbito do pedido de cooperação judiciária internacional das autoridades angolanas, a Efacec veio esclarecer, em comunicado, que a empresa e os seus accionistas “são entidades distintas”, pelo que as contas da empresa “não foram congeladas, nem em…

Leia mais

E quem se lixa são os…

Em Portugal, os trabalhadores da Efacec estão com o coração nas mãos após o anúncio da venda da participação de Isabel dos Santos (declarada “inimiga número 1” pelo supostamente novo regime do MPLA). Temem o que será uma certeza, novos despedimentos. O Sindicato das Indústrias Transformadoras e Energia do Norte (Site Norte) tem-se mostrado “apreensivo”, primeiro com o arresto das contas e participações em empresas de Isabel dos Santos e, mais recentemente, com o anúncio da venda da participação da empresária angolana na Efacec, rejeitando que tal possa vir a…

Leia mais

Portugal ou engole sapos
ou terá de engolir… sapos

O Sindicato das Indústrias Transformadoras e Energia do Norte de Portugal admitiu hoje “apreensão” com o arresto das contas e participações em empresas da empresária angolana Isabel dos Santos, mas avisa que não pode ser pretexto para novos despedimentos na Efacec. Pois é. E que terá, agora, a dizer o Governo socialista de António Costa que colocou Isabel dos Santos nos píncaros da imaculidade empresarial? Num esclarecimento enviado à comunicação social, o Site-Norte admite “apreensão” com a situação, apesar de o arresto “não abranger as empresas em Portugal, nomeadamente o…

Leia mais

Espirro em Luanda,
gripe em Lisboa

O Banco de Portugal, liderado por Carlos Costa, diz que “considera todos os factos novos” para avaliar accionistas de bancos em Portugal, como é o caso da filha de José Eduardo dos Santos, Isabel dos Santos, que controla 42,5% do EuroBic. Supervisão? Há quem diga que sim. O arresto preventivo de participações e contas de Isabel dos Santos em Angola não passou despercebido ao Banco de Portugal. Questionado pelo jornal português PÚBLICO sobre os efeitos desta iniciativa da justiça angolana no EuroBic, banco detido em 42,5% por Isabel dos Santos…

Leia mais

Mais do que racionalidade “cheira” a purga… pessoal!

A empresária angolana Isabel dos Santos (declarada “inimiga número 1” pelo supostamente novo regime) confirmou hoje uma ordem do Presidente de Angola, João Lourenço, para a saída da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) da portuguesa Efacec Power Solutions. Em declarações ao jornal Valor Económico, a filha do ex-presidente José Eduardo dos Santos reiterou, porém, que não foram utilizados fundos públicos na compra de acções na Efacec e declarou que a ENDE não chegou a pagar o valor total da sua participação, que desceu de 40% para 16%. “Fomos…

Leia mais