Na nova farsa, pedreiros ocupam lugar dos “15+2”

Os cinco cidadãos angolanos acusados inicialmente e sem qualquer prova concludente de tentativa de homicídio contra o vice-presidente da República, Bornito de Sousa, foram provisoriamente soltos sob a medida de coacção de Termo de Identidade e Residência (TIR). Advogado Sebastião Assureira fala do assunto como sendo uma reedição do famoso caso dos “15+2”. Sebastião Assureira disse que as medidas de coacção decretadas vão permitir aos cinco pedreiros aguardar o julgamento em liberdade. A decisão tomada pelo Ministério Público, junto da instrução preparatória, surge depois de, em meados Fevereiro, o Serviço…

Leia mais

Carrascos voltaram a falhar

Vários amigos perguntaram-nos, na passa terça-feira (dia 7), se era verdade que o nosso Director, William Tonet, sofrera um atentado e que estaria gravemente ferido. Não era totalmente verdade. Ou seja, sofreu um atentado mas foi no dia seguinte e saiu ileso. Coincidências. Por Orlando Castro A pergunta desses nossos amigos baseava-se no que, em Luanda e em círculos próximos do regime, se comentava à boca pequena. Foi um mal-entendido, concluímos nesse dia, terça-feira. No entanto, habituados a estas coisas, ficamos a pensar que por regra não há fumo sem…

Leia mais

Continuamos a ser Ganga

Manuel Hilberto de Carvalho, “Ganga”, angolano, jovem militante e dirigente da CASA-CE, foi assassinado. Quem disparou foi um elemento da Guarda Presidencial. No dia 12 de Dezembro de 2013 foi apresentada a respectiva queixa na DNIAP e na PGR. Hoje o julgamento foi adiado “sine dia”. É este o país que a maioria não quer mas que uma minoria mantém acorrentado dentro do cárcere do regime. Por Orlando Castro J ustiça? Possivelmente nunca. As autoridades procuram ainda o candeeiro que encandeou o autor dos tiros, originando assim que o tiro…

Leia mais

Assassinado há um ano

Guarda Presidencial esconde assassino de Hilbert Ganga

O primeiro aniversário da morte de um dirigente da CASA-CE, Manuel Hilberto Ganga, assassinado a tiro por elementos da Unidade Guarda Presidencial (UGP), foi hoje assinalado em Luanda com uma marcha que decorreu sem incidentes conhecidos. E scoltada por elementos policiais, a marcha envolveu centenas de pessoas, entre dirigentes políticos, activistas e população, e culminou no cemitério de Santana, arredores de Luanda, ao fim de mais de uma hora, sem incidentes. Manuel Hilberto Ganga, dirigente da coligação eleitoral Convergência Ampla de Salvação de Angola (CASA-CE), foi abatido com um tiro…

Leia mais