Governo abre a bolsa para comprar medicamentos

O Presidente angolano autorizou esta segunda-feira a abertura de um concurso público para a aquisição de medicamentos, meios e dispositivos médicos no valor de 8.848 milhões de kwanzas (25 milhões de euros), indica uma nota oficial. Segundo a nota da Casa Civil do Presidente da República, João Lourenço, o concurso vai decorrer na plataforma do Sistema Nacional de Contratação Pública Electrónica. “Esta medida justifica-se em virtude da urgência no asseguramento da continuidade dos serviços hospitalares, bem como na melhoria da assistência médica e medicamentosa e do acompanhamento médico aos doentes”,…

Leia mais

Se é quase tudo ilegal, não será o MPLA também ilegal?

O Governo angolano estimou hoje que cerca de 50% dos medicamentos que circulam no país são contrafeitos e deu conta de que as autoridades sanitárias vão encerrar 217 farmácias ilegais, só em Luanda, nos próximos 15 dias. Isto são faculdades ilegais, farmácias ilegais… será que, depois de quase 43 anos de poder, o MPLA é legal? A situação foi apresentada hoje pelo inspector-geral da Saúde de Angola, Miguel de Oliveira, que deu conta da formação de um grupo de trabalho (mais um) multissectorial para “avaliar exaustivamente” ao longo dos próximos…

Leia mais

Vacina da febre-amarela vendida a 500 kwanzas

A vacina contra a febre-amarela que seria grátis para imunização de todos os citadinos, de acordo a narrativa oficial, está a ser depositada nas farmácias, de onde são comercializadas por 500 kzs cada ampola, soube o F8 de diversos cidadãos que acorreram em diferentes postos de vacinação, distribuídos por Luanda. A referida denúncia já confirmada pelo governador de Luanda, General Higino Carneiro, resultou no entanto, na detenção de cerca de sete suspeitos, logo às primeiras horas do dia 10.02.16. Segundo Rosa António, que acorrera na companhia do marido e rebentos,…

Leia mais

Novas farmácias? Dentro de momentos…

Novas farmácias? Dentro de momentos… - Folha 8

A farmacêutica Farmalog decidiu congelar a abertura de oito farmácias este ano em Angola, um país a braços com uma crise que já está, o que aliás não é novidade, a extravasar o sector petrolífero e as contas públicas e já chegou à economia real. E m declarações à Lusa, o presidente da NBC Medical, a farmacêutica portuguesa que abriu a angolana Farmalog há dois anos, explicou que “o objectivo era ter 16 farmácias em funcionamento até ao final do ano, mas a crise obrigou-nos a repensar os planos e…

Leia mais