Se todos bajulam…

O vice-presidente da República destacou, nesta sexta-feira, os sinais positivos da dinâmica governativa do Chefe de Estado angolano, João Lourenço, desde que chegou ao poder a 26 de Setembro de 2017. Meus senhores, ministros e similares, façam fila e sigam o exemplo bajulador de Bornito de Sousa. O vice-presidente enumerou o combate à corrupção, bajulação (pasme-se!), impunidade e o nepotismo como os sinais positivos desta nova dinâmica na forma de governar. Segundo Bornito de Sousa, que falava na cerimónia de cumprimentos de fim de ano ao Presidente da República, confirma-se…

Leia mais

Estado dá garantias aos investidores estrangeiros

O Presidente angolano, João Lourenço, apelou hoje ao investimento estrangeiro no país, comprometendo-se o Estado com o repatriamento dos dividendos e com a segurança jurídica e dos bens físicos dos empresários que apostarem em Angola. A posição foi assumida na intervenção do chefe de Estado, no Palácio Presidencial, em Luanda, na tradicional sessão de cumprimentos de ano novo do corpo diplomático acreditado em Angola, pela primeira vez com João Lourenço como Presidente da República e, portanto, ao fim de 38 anos em que o “inquilino” era sempre o mesmo –…

Leia mais

Diplomatas bajulam sua majestade o divino rei

Como não poderia deixar de ser, o decano do Corpo Diplomático acreditado em Luanda, Jean Baptiste Dzangue, elogiou hoje os êxitos quase divinos da governação (que já dura há 37 anos) de sua majestade José Eduardo dos Santos. E, no agradecimento, Dos Santos disse que a interpretação de Dzangue traduz as qualidades de um observador atento e de um diplomata distinto. Ao discursar na cerimónia de cumprimentos de Ano Novo do Corpo Diplomático, José Eduardo dos Santos – na sua congénita modéstia de estadista de gabarito mundial – disse que…

Leia mais