No sector mineiro, falta pouco para… quase

Mantendo a pandemia de promessas, o presidente da administração da recém-criada Agência Nacional de Recursos Minerais (ANRM) angolana, Jacinto Rocha, comprometeu-se a “colocar ordem no sector”, “respeitar a lei e melhorar o clima de investimento” e atrair empresas africanas, europeias e norte-americanas. “O s desafios são enormes, teremos que captar novos investimentos, introduzir ordem no sector e assim vamos conseguir trabalhar e melhorar o clima de investimento no país. Há leis e, como juramos aqui, vamos respeitar as leis e fazê-las cumprir”, afirmou em declarações aos jornalistas, prometendo fazer agora…

Leia mais

A casa da mãe joana

João Lourenço vai coordenar o novo modelo de governação do sector mineiro, que prevê também a redução da presença directa do Estado na actividade económica mineira. Por não encontrar no MPLA, seu exclusivo arsenal de especialistas, gente que tivesse o cérebro fora do intestino (grosso), lá teve ele de assumir o dossier. E para ajudar à festa, Elsa Maria Pires Lopes dos Santos Lourenço, recém nomeada Secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher, não aceitou participar na tomada de posse que teve lugar hoje, porque foi nomeada…

Leia mais

MPLA promete chegar lá.
Onde? Isso nada importa!

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, destacou hoje os resultados obtidos com a reestruturação do sector diamantífero, assinalando que já se regista uma “melhoria” das receitas provenientes desta actividade, a par de novos investimentos. Lentamente o MPLA promete chegar lá. Se aos 44 anos que leva de governo juntar aí mais uns 56… chegará (presume-se) a bom porto. Na abertura da 1ª Conferência e Exposição Internacional sobre o Sector Mineiro Angolano, no Centro de Convenções de Talatona, o Titular do Poder Executivo (e também Presidente do MPLA) referiu…

Leia mais

Suspensas licenças para exploração mineira

A emissão de novas licenças para exploração mineira em Angola está suspensa, por decisão do Governo, que pretende “arrumar a casa”, tendo em conta que “a maioria” das 1.836 autorizações atribuídas não está a ser utilizada. A decisão foi tomada pelo executivo em reunião conjunta das comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros, realizada em Luanda, seguindo-se, além da suspensão de novas licenças mineiras, uma avaliação aprofundada ao estado actual das que foram atribuídas, ao abrigo do Código Mineiro angolano. “A maioria esmagadora não está a…

Leia mais