Há gatunos maus e gatunos bons

O Presidente João Lourenço saudou o pedido de desculpas que lhe foi feito por um grupo de jovens que pretendia realizar uma manifestação, entretanto cancelada, depois de terem chamado “gatuno” ao chefe de Estado (não nominalmente eleito) e também Presidente do MPLA (partido que está no Poder há 45 anos) e Titular do Poder Executivo. “Louvo o gesto do grupo de jovens, que ontem pediu desculpas públicas pelos seus comportamentos, que este exemplo seja seguido por outros jovens. Aceitamos o pedido de desculpas, estão perdoados”, escreveu João Lourenço na sua…

Leia mais

Matumbos, mas não tanto!

Dois polícias, incluindo um inspector-chefe, envolvidos no massacre de 30 de Janeiro em Cafunfo, foram demitidos devido a “infracções disciplinares graves”, nomeadamente ofensas corporais e profanação de cadáver, segundo um despacho do Comandante-Geral da Polícia Nacional (do MPLA), Paulo de Almeida. Segundo a nota, assinada por Paulo de Almeida, o inspector-chefe Eduardo Tomé e o agente Jonilto Txijica incorreram em “actos de ofensas corporais contra detidos e profanação de cadáver, quando da invasão da esquadra policial de Cafunfo”, a 30 de Janeiro. Nesse dia, segundo a Polícia cerca de 300…

Leia mais

Afinal quem é o ladrão?

O ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos negou hoje ter deixado a Presidência com os cofres vazios, garantindo que deixou pelo menos 15 mil milhões de dólares ao executivo que lhe sucedeu, ou seja a João Lourenço, contrariamente às declarações do seu sucessor. É caso para perguntar: Afinal quem é o ladrão? Figuras próximas de Eduardo dos Santos admitem que o ex-presidente “será preso ou até mesmo assassinado num qualquer atentado forjado”. Por Orlando Castro e Domingos Kambunji (nos EUA) “N ão deixei os cofres do Estado vazios. Em Setembro…

Leia mais