África e América do Sul no Conselho de Segurança da ONU, tese de João Lourenço

O Presidente de Angola, João Lourenço, defendeu hoje uma reformulação da composição do Conselho de Segurança das Nações Unidas, propondo a entrada de representantes africanos e sul-americanos para “reflectir o justo equilíbrio geoestratégico mundial”. Falando na Assembleia-Geral das Nações Unidas, que decorre esta semana em Nova Iorque, João Lourenço defendeu uma “reforma profunda da ONU para melhor competir com as grandes responsabilidades que tem na gestão e resolução de conflitos e prevenção das guerras” e vincou a necessidade de reformular o Conselho de Segurança. “Reiteramos a necessidade de alargar os…

Leia mais

Mais uma viagem,
mais uma corrida

O Presidente da República, João Lourenço, desloca-se amanhã, sábado, a Nova Iorque a fim de participar na 74ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas e discursará perante o plenário da ONU no dia 24. Segundo uma nota da Casa Civil da Presidência João Lourenço será o primeiro orador na sessão da tarde desse dia, o mesmo em que se inicia o debate geral com as tradicionais intervenções do Brasil e do país-sede da ONU, os Estados Unidos da América. A governação seguirá logo que possível. É também na terça-feira…

Leia mais

Decisões do BESA são “inválidas e ineficazes”

Sonangol no BESA significa nacionalização - Folha 8

O BES considerou hoje que as decisões tomadas na quarta-feira na Assembleia Geral (AG) extraordinária de accionistas do banco Espírito Santo Angola (BESA) são “inválidas e ineficazes”, pelo que informa que irá “agir em conformidade”. Em comunicado, o BES considera assim que “quaisquer decisões que tenham sido tomadas pelos accionistas na referida reunião são inválidas e ineficazes, pelo que irá agir em conformidade”. De acordo com a instituição liderada por Luís Máximo dos Santos, a representante do BES foi impedida de participar na reunião, sob o pretexto de se ter…

Leia mais

Regime angolano trata Portugal abaixo de cão

Portugal

“O BES, que tem 55,71% do BESA, vai impugnar as decisões tomadas na reunião dos accionistas que decorreu esta quarta-feira. Queixa-se de ter sido convocado para a reunião em cima do prazo e de a sua representante ter sido impedida de entrar na assembleia geral, alegadamente por ter chegado atrasada”, afirma o jornal português Expresso. Por Orlando Castro Nada de novo, portanto. Esta novela (ver notícia Sonangol, BESA, Banco Económico, regime & Cª) vem mostrar, mau grado os arautos angolanos e portugueses, que não basta virar os binóculos ao contrário…

Leia mais