À rasca, tesos e famintos

Jovens angolanos desempregados, muitos qualificados, queixam-se das dificuldades de arranjar trabalho e até biscates para sobreviver, mas garantem “continuar na luta”, com mais fé em Deus do que nas políticas públicas. Na campanha eleitoral para as eleições de 2017, o candidato João Lourenço, actual Presidente de Angola, Presidente do MPLA e Titular do Poder Executivo, prometeu criar 500 mil novos empregos até ao final da legislatura, em 2022… Muitos têm qualificações técnicas e académicas, de electricistas, engenheiros informáticos e até juristas, mas não encontram oportunidade para mostrar as suas competências,…

Leia mais

(Des)empregados portugueses apostam em Angola

(Des)empregados portugueses apostam em Angola - Folha 8

Mais de 9 mil portugueses à procura de um emprego em Angola estão inscritos no único portal de Internet do género existente no país, Este número só é superado pelos candidatos autóctones. A empresa Jobartis indica que ultrapassou esta semana os 100 mil candidatos registados na sua base de dados online, à procura de emprego em Angola. “Este dado mostra o aumento na utilização das novas tecnologias comprovado em Angola, as quais já não são apenas utilizadas como divertimento, mas também como ferramenta profissional”, explica a Jobartis, que se descreve…

Leia mais