SILÊNCIO COBARDE PERANTE INJUSTIÇAS SOCIAIS

O bispo de Cabinda, Belmiro Chissengueti, critica o silêncio “cobarde” de quem se cala perante situações sociais degradantes e nega que exista um ambiente de crispação entre a Igreja Católica e o executivo angolano, afirmando que o diálogo é “permanente”. Belmiro Chissengueti, que falava à Lusa em Cabinda, após a visita do presidente angolano à província, rejeitou a existência de reacções negativas por parte de membros do executivo às suas mensagens, frisando que os bispos defendem a pátria. Pátria que, segundo o regime, é sinónimo de MPLA. E quando isso…

Leia mais

QUANDO OS JOVENS DERROTAM O MEDO…

O bispo católico da “província” angolana de Cabinda, Belmiro Chissengueti, considerou hoje que os actos de vandalismo registados na segunda-feira em Luanda, na sequência da paralisação dos taxistas, “manifestam a necessidade imperiosa de um diálogo social intenso”. E talvez (dizemos nós), a urgência de o Presidente da República e do MPLA não deitar gasolina para a fogueira, incendiando (como recentemente disse João Lourenço) o “teatro de operações”. “E é esta necessidade de coração misericordioso, dialogante e compassivo que o país precisa no momento presente da sua história. Os acontecimentos de…

Leia mais

Quando quem manda só conhece a razão da força…

Os bispos católicos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) manifestaram hoje preocupação com a “degradação do discurso político”, que pode pôr em risco a unidade nacional, reconciliação, justiça e paz em construção, apelando à “contenção e respeito mútuo”. A preocupação dos bispos angolanos foi expressa no comunicado final da sua primeira Assembleia Plenária Anual, que decorreu de 24 de Fevereiro até hoje, no santuário mariano da Muxima, em Luanda, e apresentado em conferência de imprensa. No documento, apresentado pelo porta-voz da CEAST, Belmiro Chissengueti, os prelados católicos…

Leia mais